por: Viagem e Gastronomia Viagem e Gastronomia

Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Descobertas surpreendentes pelo Porto, cidade apaixonante na foz do Douro

    A segunda maior cidade de Portugal possui a biblioteca mais bonita do mundo, um restaurante com estrelas Michelin desde os anos 1930 e parques cenográficos com lindos pores do sol

    Daniela Filomenodo Viagem & Gastronomia

    Porto, Portugal

    Ouvir notícia

    Após atravessar o norte de Portugal por mais de 200 km, margear encostas verdejantes que carregam vinhedos renomados e servir como uma rota cenográfica para o escoamento do Vinho do Porto, finalmente o Douro encontra sua foz.

    E é justamente seu ponto final, onde o caudaloso rio deságua no mar, que consiste numa das cidades mais apaixonantes de todo o país: o Porto.

    Distante cerca de 120 km do coração do Vale do Douro, de onde saem uvas para primorosos vinhos portugueses e onde descansam paisagens consideradas Patrimônio da Humanidade, o Porto também encanta por uma série de adjetivos.

    Gastronomia aguçada, hotéis imponentes, construções históricas e uma vida cultural e social pulsantes são apenas algumas das características que podemos ver e sentir pelas ruas da segunda maior cidade de Portugal – ela só perde para a capital Lisboa.

    Assim, a cidade costeira no noroeste do território português é mais um dos destinos que fazem parte da quarta temporada do CNN Viagem & Gastronomia, quando pude percorrer os cantinhos mais especiais do país e, assim, entender as deliciosas diferenças de cada um deles.

    Chegada ao Porto

    Seguindo a viagem sensorial por Portugal, digo que o Porto é um ótimo destino para se deparar com arquiteturas incríveis e apreciar célebres vinhos, principalmente o Vinho do Porto.

    Há um aeroporto internacional que serve a cidade com voos de várias regiões da Europa, incluindo a ponte Madrid-Porto, assim como a Estação São Bento serve a cidade com trens que partem e chegam de variados destinos nacionais e até internacionais – é uma boa maneira de ir ou de chegar do Vale do Douro, por exemplo. Além disso, a região é cortada por estradas que ligam os principais pontos de Portugal.

    Uma vez no Porto, o ideal é descobrir a cidade a pé, principalmente seu centro histórico: além de agradável e segura, nada fica muito longe – basta uma caminhada de poucos minutos para chegarmos a lojas, restaurantes, igrejas e outras atrações históricas.

    Do salão árabe do Palácio da Bolsa ao restaurante gastronômico do The Yeatman, com duas estrelas Michelin, até o pôr do sol no Jardim do Morro, siga comigo por algumas descobertas no Porto que equilibram passeios tradicionais com atividades fora do óbvio.

    Programas culturais pela cidade

    Salão árabe do Palácio da Bolsa

    Porto está recheada de pontos para lá de fotogênicos e instagramáveis. E o interior do Palácio da Bolsa, construído a partir de 1842, é um dos locais mais bonitos de toda a cidade, assim como sua fachada neoclássica.

    Mas não são apenas suas colunas magistrais e detalhes pomposos, muitos deles em ouro, que nos surpreendem: suas paredes e pátios também carregam muita história.

    Monumento nacional situado no centro histórico do Porto, por aqui passaram grandes investidores e comerciantes ao longo do tempo, além de autoridades políticas mundiais. Aqui podemos ver de perto a escadaria nobre, o pátio das nações, a biblioteca e bem conservados gabinetes e galerias.

    Mas o ponto alto da visita reside no Salão Árabe: inaugurado em junho de 1880, o ambiente oval é todo adornado em estuques do século 19 inscritos a ouro e com caracteres árabes pelos cantos, do teto às paredes.

    Foi nessa época de 1880, inclusive, que todo o trabalho requintado dos interiores que brilham nossos olhos começou a ser desenvolvido. Hoje, então, somos testemunhas da história. A entrada para adultos sai por 10 € e o Palácio fica aberto todos os dias das 9h às 18h30.

    Fundação Serralves

    Casa de Serralves, exemplo notável de art déco em meio ao Parque da fundação / Paula Soler-Moya/Flickr

    Para quem, assim como eu, é amante da arte e de espaços ao ar livre, a Fundação Serralves é um deleite fora do centro histórico, e está situada mais próxima da região da Foz.

    E o mais bacana é que o local é 4 em 1: o espaço da fundação compreende parque, museu, casa histórica e uma casa de cinema, reunindo então uma cena cultural para lá de interessante no Porto.

    A Fundação é reconhecida como uma das principais instituições culturais de Portugal, e abrange um notável patrimônio arquitetônico e paisagístico e projeta artistas nacionais.

    O sereno parque possui 18 hectares e é recheado de jardins, bosques e até quinta, onde obras de arte, como algumas esculturas, ficam expostas permanentemente e formam um passeio agradável – há também uma passarela na altura da copa das árvores que nos integra ainda mais à natureza ao redor.

    Pelo recinto está o Museu de Arte Contemporânea, aberto em 1999 e que conversa harmoniosamente com o entorno. Ainda há a Casa de Serralves, exemplar notável da arquitetura art déco que remonta aos anos 1930, e também a Casa do Cinema Manoel de Oliveira, que recorrentemente apresenta programação de exposições temporárias e ciclos de cinemas temáticos.

    Em resumo, a fundação é uma instituição cultural que tem por missão promover a arte contemporânea. Por 20 €, é possível ter acesso a todos os espaços da fundação – há também ingressos individuais para cada atração por 12 €.

    Livraria Lello

    Se Lisboa tem a Livraria Bertrand, conhecida como a mais antiga em funcionamento do mundo, Porto não fica para trás e possui a Livraria Lello, tida como uma das mais bonitas do planeta. Ponto superconhecido e concorrido da cidade, vale a passada para contemplar sua fachada neogótica e seu interior digno de “uau”.

    Localizada bem próxima à emblemática Torre dos Clérigos, a Lello já é quase uma instituição do Porto e existe desde 1906. O exterior neogótico se abre para um interior com escadarias vermelhas para lá de fotogênicas e outros tantos detalhes em madeira.

    E não podemos deixar de olhar para cima: vitrais no teto de mais de oito metros de comprimento complementam os pormenores arquitetônicos junto de bustos de escritores portugueses.

    Além de tudo, claro, encontramos muitos livros e salas com nomes de ilustres autores. A dica aqui é escolher algum ponto mais tranquilo das escadarias e apostar em várias fotos, além de ficar atento a cada cantinho, pois todos eles transpiram história.

    Atualmente, a entrada na livraria custa 5 €, mas o valor pode ser revertido na compra de algum livro.

    Passeio pelo centro

    Digo que se “perder” pelas construções históricas das ruelas e avenidas do centro de Porto já é um dos melhores programas da cidade e uma das maneiras mais gostosas de conhecer de fato o Porto.

    O bom é que o centro histórico, onde fica a maior parte do comércio e das atrações, pode ser explorado a pé, já que tudo fica a poucos passos de distância.

    Um bom começo é a Ponte D. Luís I, cartão-postal da cidade. Ponte metálica do século 19, ela possui cerca de 400 metros e liga Porto a Vila Nova de Gaia em uma altura de 45 metros sobre o Douro – o que é sinônimo de lindos cliques tanto de dia quanto de noite.

    A poucos metros da ponte começa a série de pontos históricos: há a Igreja da Sé, do século 12, que consiste numa das construções mais antigas de Portugal; a Estação São Bento, de onde partem trens para os mais diferentes destinos e que possui uma azulejaria portuguesa azul digna de nota; e a Avenida dos Aliados, mais importante endereço da cidade recheado de prédios do governo e monumentos.

    O centro também é lar da famosa Torre dos Clérigos, que data do século 18 e possui 75 metros de altura. Imponente e com detalhes barrocos, aqui temos vistas privilegiadas da cidade, onde se paga uma taxa de cerca de 6 € para entrar.

    Mais acima, na Fonte dos Leões, há a Igreja do Carmo, marcada por típicos azulejos azuis. O curioso é que uma outra construção religiosa fica literalmente colada nela, a Igreja dos Carmelitas, e apenas uma casa extremamente estreita as separa.

    A dica para as compras é a Via Santa Catarina, extensa rua com lojas de departamento e souvenirs bem próxima ao Mercado do Bolhão, mercadão que vende produtos frescos locais e serve comidinhas típicas. Na região do Bolhão fica a Igreja de Santo Ildefonso, uma das mais lindas da cidade: sua fachada é marcada por paredes cobertas de azulejos azuis típicos de Portugal e o seu interior também vale ser apreciado.

    Ainda no centro, a Galeria de Paris é o endereço que concentra a vida noturna do Porto, onde vários restaurantes e bares descontraídos são pontos de encontro de locais e turistas.

    Não posso deixar de citar a ribeira, um dos locais mais charmosos do Porto: no nível do rio, com a Ponte D. Luís I de fundo, a região é para lá de aconchegante com seus restaurantes com mesas na calçada e cenários encantadores. É um convite para um passeio sem pressa, em que pequenas embarcações atracadas nos cativam.

    Pôr do sol no Jardim do Morro

    Vista para o Rio Douro e o centro de Porto a partir dos bancos do Jardim do Morro, em Gaia / Daniel Rodrigues/Porto Conventions & Visitors Bureau

    Após atravessarmos a Ponte D. Luís I rumo a Vila Nova de Gaia nos deparamos com um dos pontos mais espetaculares para apreciar as vistas do Porto.

    Falo do Jardim do Morro, serena área verde que olha diretamente para a paisagem formada pelo Douro com as construções típicas da cidade ao fundo.

    É ponto ideal para curtir um fim de tarde romântico ou ao lado de amigos em um bonito gramado. Prepare a câmera do celular e chegue num horário tranquilo para poder apreciar as vistas com calma.

    Gastronomia estrelada

    The Yeatman Gastronomic Restaurant

    O restaurante do hotel cinco estrelas The Yeatman, que fica na verdade em Vila Nova de Gaia e vislumbra o Douro e o Porto de maneira ímpar, é um dos mais conceituados pontos gastronômicos da região. A cozinha é descrita como de “imaginação”, em que sabores tradicionais portugueses chegam à mesa com pegada contemporânea.

    Não é à toa que a casa acumula duas estrelas Michelin, exaltada por seu menu degustação inovador que apresenta ingredientes sazonais e equilíbrio de sabores. A adega é tida também como uma das melhores de toda Portugal.

    No cardápio, encontramos uma variedade de peixes e produtos para lá de frescos que combinam especialidades regionais. Sob a batuta do chef Ricardo Costa, o menu degustação sazonal sai por 210 € por pessoa, com a possibilidade de harmonização com vinho que nos leva a uma viagem pelas vinícolas de Portugal.

    Restaurante DOP

    Entrada do DOP, restaurante de Rui Paula no centro da cidade / Nelson Garrido

    Casa comandada pelo célebre chef Rui Paula, o DOP ocupa dois andares de um casarão antigo no centro do Porto e nos proporciona uma interessante experiência gastronômica que passeia por clássicos da cozinha portuguesa, refeitos aqui de forma mais moderna.

    Com pegada cosmopolita que se contrapõe ao estilo tradicional do entorno, o DOP oferece uma variedade deliciosa de peixes e frutos do mar, assim como carnes, sopas e massas tradicionais, em que uma explosão de sabores segue a linha de uma cozinha descrita como etno-emocional – que está ligada à raízes culturais.

    Além de opções à la carte, a casa tem dois menusdegustação, “Memória” e “Mar”, ambos a 110 € e que podem ainda ser harmonizados com vinhos – a adega com rótulos portugueses e internacionais é bastante elogiada. Vale lembrar que o chef também está por trás do DOC, restaurante emblemático e moderno à beira do rio literalmente no coração do Vale do Douro, na freguesia de Folgosa.

    O Escondidinho

    Na região do Bolhão fica este que é um dos restaurantes mais tradicionais do Porto e que, igualmente, serve uma comida tradicional portuguesa. Com mais de nove décadas de história, a casa na Rua Passos de Manuel mantém traços arquitetônicos de quando foi inaugurada, em 1931, como azulejos, antiga caixa registradora, candelabros e lareira.

    Se hoje o The Yeatman possui duas estrelas Michelin, o Escondidinho foi precursor no Porto e em Portugal: foi o primeiro restaurante do país a carregar duas estrelas Michelin, fato ocorrido em 1936. Hoje, podemos esperar uma viagem pelo sabor de uma Portugal do século 20.

    No menu, experimente a alheira (11,50 €) e o camarão piri-piri (18,50 €) de entradinhas, enquanto diferentes cataplanas para duas pessoas (entre 48 € e 96 €) e bacalhau à escondidinho (26 €) podem ser pedidos para os principais. Carnes, sopas, saladas e outras opções tradicionais também estão presentes.

    Confira outras dicas de onde comer bem no Porto aqui.

    Onde ficar: The Yeatman, com vistas para Porto

    Quando o assunto é onde se hospedar no Porto, a cidade surpreende com opções no centro histórico e ainda à beira-mar que capricham nos serviços. Mas é em Vila Nova de Gaia, ao lado das principais caves de Vinho do Porto e com as melhores vistas para a cidade, que fica o The Yeatman.

    Do outro lado do Douro, o hotel luxuoso foi inaugurado em 2010 e é como um resort urbano, onde ocupa uma área de mais de 30 mil metros quadrados numa construção em efeito cascata – o que significa que o lobby fica no último andar e as acomodações se espalham pelos andares inferiores.

    Ao todo são 109 quartos e 20 suítes, com amplas varandas com vistas privilegiadas para o centro do Porto – o pôr do sol nestes espaços merece ser degustado ao lado de uma taça.

    Encravado na zona histórica do Vinho do Porto, entre antigas caves, é de se esperar que vários são os programas em torno da bebida. Há jantares vínicos em determinados dias da semana, degustações e encontros com produtores – que têm seus nomes em cada quarto. Aqui um destaque: a adega do hotel possui 30 mil garrafas, em que cerca de 94% dos rótulos são nacionais.

    Além dos impressionantes números, o restaurante que leva o nome do hotel carrega duas estrelas Michelin, como citei no texto acima, e o spa ocupa uma área grande sob a marca Caudalie, em que usa vinhos e uvas nos tratamentos em salas e piscinas aquecidas com vistas de tirar o fôlego para o Porto.

    Com decoração num estilo mais rústico inglês, ainda completam a experiência de um “resort urbano” as piscinas indoor e outdoor, biblioteca e loja de vinhos – o ambiente é pet friendly

    Interessante é que o hotel fica literalmente a alguns passos do WOW, complexo que é novidade na região e funciona como um “quarteirão cultural” com sete museus e doze restaurantes. Podemos ter acesso a acervos que falam mais sobre o vinho e a cultura de Portugal e comer de tudo um pouco: da famosa francesinha, típica refeição do Porto, aos pratos rebuscados da gastronomia tradicional do país.

    Ao lado do hotel e do WOW também ficam as caves da Taylor’s, renomada produtora de Vinhos do Porto que oferece tour pelas dependências.

    Confira outras dicas de onde ficar na região do Porto aqui. 


    Mais Recentes da CNN