Dia Mundial do Chocolate: curiosidades, benefícios e destinos incríveis aos amantes do doce

Sabia que o brasileiro tem saboreado ainda mais a iguaria e que ela faz, sim, bem à saúde? Neste 7 de julho, jogamos luz também ao chocolate branco e traçamos um roteiro imbatível aos apaixonados pelo doce

Ouvir notícia
Dia Mundial do Chocolate é celebrado em 7 de julho (Foto: Getty Images)

Com açúcar, com afeto, justiça seja feita: quantas pessoas você conhece que resiste a um bom chocolate? E quantas fazem de qualquer motivo uma boa desculpa para saborear uma barra ou uma colherada do doce? Sendo assim, nada mais justo que ele, que já conquistou todos os corações, ganhe um dia para chamar de seu: 7 de julho, o Dia Mundial do Chocolate.

Aqui, trazemos dados que provam que o brasileiro tem se entregado ainda mais aos encantos do alimento, que pode, sim, trazer benefícios à saúde, desde que seja preparado a partir de uma combinação de ingredientes específica: cacau, açúcar e manteiga de cacau. Jogamos luz ao chocolate branco e perguntamos a um chocolatier se ele pode ou não ser considerado chocolate e, por fim, traçamos um roteiro imprescindível para os amantes da iguaria. Abra a sua barra e boa leitura!

Os lares brasileiros estão consumindo mais chocolates

 (Foto: Carol Gherardi)

Pesquisa realizada pelo Instituto Kantar a pedido da Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Amendoim e Balas (Abicab), apontou que a taxa de penetração da categoria de chocolates cresceu 1,5% em 2020 quando comparado ao ano anterior.

Em termos de faturamento, o setor também apresentou alta de 2,4% ante 2019, ultrapassando R$ 11 bilhões. A pesquisa também mostrou que o chocolate faz parte da lista de compras de 82,6% dos lares brasileiros e que elas foram mais constantes no ano passado. A frequência de compra cresceu 9,3% no período, aumentando de 7,5 para 8,2 a quantidade de vezes em que o consumidor esteve nos pontos de vendas no último ano, principalmente nos canais de autosserviço. Essa frequência aumentou 7% em 2020, o que em ano de pandemia e incertezas, comer algo que traz conforto e sensação de felicidade é facilmente compreendido.

Já de acordo com pesquisa recente, intitulada de “ConVid”, feita em parceria pela Fundação Oswaldo Cruz com a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), 63% dos adultos brasileiros entre 18 e 29 anos estão comprando mais chocolate desde o início do isolamento social. E o número de mulheres que passaram a comer a iguaria em, ao menos, dois dias por semana, cresceu 7% em comparação ao período anterior à pandemia do novo coronavírus.

Qual chocolate é melhor para a saúde?

Chocolate branco é chocolate de verdade? (Foto: divulgação Callebaut)

Segundo a nutricionista Marina Cavalcanti, o cacau, fruto do qual é produzido o chocolate, é considerado um superalimento rico em antioxidantes, minerais, como o potássio, magnésio, zinco e cobre, além de ajudar a ativar o sistema hormonal que nos proporciona felicidade e bem-estar. Porém ela frisa que não é qualquer chocolate que pode ser benéfico, é necessário ler o rótulo e ver a quantidade de açúcar. Quanto mais cacau e menos açúcar, melhor. Ou seja, chocolates meio-amargo ou amargos, a partir de 70%, são os ideais.

Bertrand Busquetchef francês e chocolatier à frente da Barry Callebaut no Brasil e responsável pelo planejamento operacional da Chocolate Academy, diz que não existe regra para avaliar um bom chocolate, isso depende muito do paladar de cada pessoa, porém também é do time que prefere os chocolates com mais cacau e menos açúcar. E ainda deixa claro que na composição só deve aparecer cacau, açúcar e manteiga de cacau, qualquer outra gordura que não seja a manteiga de cacau já deve acender uma luz vermelha para o consumidor que procura produtos de boa qualidade. Segundo a ANVISA, um produto só pode ser considerado chocolate caso sua fórmula contenha 25% de sólidos totais de cacau, caso contrário é apenas um doce sabor chocolate.

E o branco? É ou não é considerado chocolate?

Quando questionado se chocolate branco é realmente um chocolate ele afirma: claro que sim! Primeiro pela lei brasileira que define que o chocolate branco é o produto obtido a partir da mistura de manteiga de cacau com outros ingredientes, contendo, no mínimo, 20% (g/100 g) de sólidos totais de manteiga de cacau. E ainda brinca: se a lei diz que é, quem sou eu para dizer o contrário? E outro ponto levantado é que se a manteiga de cacau é o principal ingrediente e sua origem é do mesmo fruto que vem os chocolates ao leite e amargo, por qual razão ele não seria um chocolate?! Dito isso, chocolate branco não tenha mais crises de identidade. Você é sim um chocolate!  

Leia mais:
Suíça reabre as fronteiras para brasileiros
10 lugares em São Paulo para encomendar brigadeiros
5 lugares para pedir bolos deliciosos em São Paulo

Em busca do melhor: a seguir, três destinos que merecem estar no roteiro de quem ama chocolate:

Ilheus, Bahia

Porta de entrada para a chamada “Costa do Cacau”, o município de Ilhéus, na Bahia, é o destino perfeito para quem ama chocolate. A região está repleta de cacaueiros e de fazendas que permitem a entrada de visitantes para acompanharem de perto os processos que envolvem o plantio e a colheita do cacau. A experiência também oferece uma deliciosa degustação de produtos feitos com o fruto, como o tradicional chocolate e até sucos. A cidade que serviu de inspiração para as obras de Jorge Amado também abriga a primeira fábrica de chocolates do nordeste, que ainda está em pleno funcionamento e surge como mais uma opção de lazer para os chocólatras de plantão. Uma vez no destino, não deixe de visitar também o centro histórico de Ilhéus, que possuí vários casarões de estilo neoclássico.

Suíça

Com as fronteiras abertas novamente para brasileiros já vacinados, a Suíça surge como opção para os chocólatras que não veem a hora de viajar para o exterior novamente para uma imersão na terra do chocolate. Lá é possível visitar o mais novo e maior museu de chocolates do mundo, inaugurado recentemente pela Lindt, em Zurique. O novo espaço conta uma exuberante fonte de chocolate com 9 metros de altura, além de uma exibição interativa sobre a história do chocolate e em como ele está presente em diferentes localidades do mundo.

A Maison Cailler, a mais antiga fábrica de chocolates suíços, localizada em Broc, vilarejo vizinho a Gruyères, é outra opção de passeio. Muito requisitada por turistas, o espaço, que hoje pertence a Nestlé, oferece degustações guiadas e cursos de produção de chocolates para adultos e crianças.

No vídeo abaixo é possível conhecer o grande museu da Lindt, se prepare para babar na tela!

Gramado, Rio Grande do Sul

Na Serra Gaúcha, Gramado e Canela, dois dos principais destinos de inverno do país, também se destacam pela sua ligação com o chocolate. Além dos já tradicionais pontos turísticos, como o Lago Negro, a Catedral de Canela e a Rua Coberta, diversas fábricas surgem como opção de roteiro para quem não dispensa uma degustação de chocolates artesanais em meio ao friozinho do sul. Quem quiser uma imersão completa na história do cacau pode visitar ainda o museu “Mundo do Chocolate”, em Gramado, que possuí um acervo de esculturas feitas de chocolate, e o “Reino do Chocolate”, onde é detalhada toda a trajetória do cacau no Brasil.

Mais Recentes da CNN