por: Viagem e Gastronomia Viagem e Gastronomia

Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Onde os chefs comem? Com Fabio Pasquale, da Le Blé Casa de Pães, em São Paulo

    Já se perguntou onde os chefs dos restaurantes mais badalados do mundo comem quando não estão atrás das panelas? Na nossa coluna “Onde os chefs comem” eles abrem o jogo e contam quais seus restaurantes prediletos

    Fabio Pasquale, chef por trás da Le Blé Casa de Pães e do Sancho Bar Y Tapas
    Fabio Pasquale, chef por trás da Le Blé Casa de Pães e do Sancho Bar Y Tapas Renato Ayache Nishi

    CNN Viagem & Gastronomia

    Ouvir notícia

    Foi ainda adolescente que Fabio Pasquale começou a nutrir uma paixão pela cozinha. Durante as férias escolares, o jovem ajudava os pais nas tarefas do pequeno restaurante da família. Logo, não teve jeito: após três anos no Rio Grande do Norte trabalhando como zootecnista, a paixão falou mais alto.

    Tempos depois, concluiu a faculdade de gastronomia com um projeto de bar de tapas. Nascia assim, há cerca de uma década, o Sancho Bar Y Tapas, na Rua Augusta, em São Paulo.

    Cozinheiro do próprio restaurante, Pasquale passou a sentir a necessidade de também fabricar os próprios pães.

    Após se debruçar em cursos e estudos veio a Le Blé Casa de Pães, em dezembro de 2019. Na casa na rua da Consolação, outro amor aflorou: a charcutaria – hoje, a maior parte dos frios e embutidos da Le Blé são produzidos localmente. Segundo Pasquale, o próximo passo é justamente unir os conhecimentos e inaugurar uma escola de panificação, confeitaria e charcutaria.

    Longe de seu trabalho, o chef frequenta outras casas e experimenta diferentes sabores por São Paulo, desde restaurantes japoneses até pizzarias celebradas. A seguir, confira os endereços prediletos de Fabio Pasquale na capital paulista:

    Keito (Pub Kei)

    Atualmente é onde me esbaldo quando quero comer sushis extremamente frescos e peixes muito bem escolhidos. A variedade de cortes de bluefin é minha parte predileta do menu do Keito.

    Não posso deixar de exaltar as preparações feitas com uni (ouriço), uma bomba de umami e frescor do mar.

    Vale muito a pena provar também a versão de tempurá da casa, extremamente bem executada. Para dias mais caprichados vale investir no omakase (R$ 460), em que o chef sempre surpreende!

    Avenida Paulista, 854 – Bela Vista, São Paulo, SP / Tel.: (11) 3262-2931 (WhatsApp)/ Horário de funcionamento: todos os dias das 11h30 às 14h30 e das 18h às 22h. 

    Restaurante Fasano

    Fasano Tiramisu
    Tiramisù tradicional do Fasano / Divulgação

    Entendo que o Fasano é um marco na gastronomia paulistana. Vou sempre em ocasiões especiais quando quero celebrar algo. Comemorei mais de um aniversário por lá com amigos e a família.

    Gosto muito de pedir o nhoque recheado com ossobuco ao vinho branco e ervas (R$ 170) e o sempre o imperdível tiramisù (R$ 66). Acho que para quem trabalha no ramo, visitar o restaurante é como presenciar uma aula de serviço, sempre executado com precisão.

    A maestria no salão, incluindo o serviço de vinho, e a sutileza do atendimento como um todo me faz sentir super à vontade para curtir o momento e ao mesmo tempo aproveitar a comida tranquilamente.

    Rua Vittorio Fasano, 88 – Cerqueira César, São Paulo, SP / Tel.: (11) 3896-4000 / Horário de funcionamento: segunda a quinta-feira das 19h à 0h; sexta e sábado das 19h à 1h; fechado aos domingos. 

    Leggera Pizza Napoletana

    Pizzas da Leggera são assadas em forno a lenha a 450°C / Divulgação

    Como um estudioso, amante e profissional da pizza, coloco a Leggera como o lugar certo para comer a redonda do jeito que tem que ser. O André Guidon, sócio e pizzaiolo, é um amigo muito querido e foi meu professor no primeiro curso que a AVPN (Associazione Verace Pizza Napoletana) trouxe para o Brasil.

    É um mestre fazendo o que ama e isso se nota à mesa, sem sombra de dúvidas. Da entradinha vale brincar com a pizza frita (R$ 44, duas unidades) e, adiante, não deixar de provar a marguerita (R$ 48), que é perfeita!

    Acredito que não tenha uma execução melhor em nosso país – e olha que eu também produzo pizzas na Le Blé que, modéstia à parte, são muito bem feitas.

    Unidade Perdizes: Rua Diana, 80 – Perdizes, São Paulo, SP; Tel.: (11) 3862-2581 / Unidade Jardins: Rua Capitão Pinto Ferreira, 248 – Jardins, São Paulo, SP; Tel.: (11) 3884-6585 / Horário de funcionamento: terça a quinta-feira das 18h às 23h; sexta e sábado das 18h às 23h30 e domingo das 18h às 22h; fechado às segundas.

    Tordesilhas

    Foto do bobó de camarão servido pelo Tordesilhas
    Bobó de camarão do Tordesilhas traz ainda acaçá e farofa de dendê / Lucas Terribili

    Tomar uma cachacinha saboreando as delícias executadas pela chef Mara Salles no Tordesilhas sempre me trouxe muito uma imagem do Brasil que devemos exaltar na cozinha.

    Na casa, vale muito a pena provar o bolinho errado (R$ 29 a R$ 42), feito só com mandioca e queijo artesanal, que, como muitos clássicos culinários, surgiu de um erro. Também destaco o delicioso bobó de camarão (R$ 95), com acaçá e farofa de dendê.

    Desde os tempos em que o restaurante ficava na Bela Cintra, numa casa super charmosa, era meu ponto de encontro e de amigos para saborear os pratos muito bem feitos e reverenciar a riqueza da culinária brasileira.

    Alameda Tietê 489 – Jardins, São Paulo, SP / Tel.: (11) 3107-7444 / Horário de funcionamento: quinta e sexta -feira das 12h às 15h e das 19h às 23h; sábado das 12h às 17h e das 19h às 23h; domingo das 12h às 17h.

    Casa Rios

    Lula grelhada com emulsão de amendoim é uma das entradinhas da casa no Tatuapé / Tina Bini

    Esta é uma opinião totalmente imparcial, apesar de eu ser muito amigo do casal de chefs Giovanna Perrone e Rodrigo Aguiar. Para mim, o Casa Rios tem hoje o menu mais bem executado da cidade.

    Nos deparamos com a perfeição do início ao fim da refeição. Eles investem no “simples”, porém muito bem feito, um tipo de cozinha que considero um dos mais desafiadores.

    Minha entrada predileta é a lula grelhada com emulsão de amendoim (R$ 49). De principal, a grande pedida fica por conta da costela de porco preto (R$ 215, serve duas pessoas). O restaurante foi reaberto recentemente no Tatuapé, mesmo bairro do antigo Rios Restaurante, e vale demais a visita.

    Rua Itapura, 1327 – Tatuapé, São Paulo, SP / Tel.: (11) 2091-7323 / Horário de funcionamento: terça a sexta -feira das 12h às 15h30 e das 19h as 23h; sábado das 12h às 16h30 e das 19h as 23h; domingo das 12h às 16h30.


    Mais Recentes da CNN