por: Viagem e Gastronomia Viagem e Gastronomia

Conheça o La Cité du Vin, meca do vinho em Bordeaux, na França

No primeiro destino internacional do CNN Viagem & Gastronomia, Daniela Filomeno visita o museu às margens do rio Garonne que possui adega com mais de 14 mil garrafas e 800 rótulos do mundo todo

Daniela Filomenodo Viagem & Gastronomia

Bordeaux, França

Ouvir notícia

Para além de suas belezas arquitetônicas clássicas, gastronomia deliciosa e hotéis acolhedores, brinco que Bordeaux se resume ao vinho. Aqui tomamos vinho, respiramos vinho e, no meio disso, celebramos o vinho. Assim, é claro que a cidade teria um lugar inteiramente dedicado à bebida.

Falo do La Cité du Vin, “a cidade do vinho” de Bordeaux. Localizado às margens do rio Garonne, ele é mais do que um museu: é um espaço cultural que honra os mais de 2 mil anos da história da bebida, deixando mais acessível esta tradição que é um dos pilares da economia de muitos países.

Assim, o Cité du Vin representa a história do vinho do mundo todo, suas dimensões culturais e universais. É quase uma Disneylândia para quem, assim como eu, é amante da bebida.

Arquitetura ousada

Inaugurado em 2016, o fascínio já começa do lado de fora: sua arquitetura é arrojada e contemporânea, criando um supercontraste com as construções clássicas de toda a cidade. A estrutura é cheia de formas e movimento, se assemelhando a um grande decanter.

Tudo remete ao vinho, mas de uma forma moderna. Cepas retorcidas, o vinho girando em um copo, os redemoinhos do Garonne… São muitas as formas que sua impressionante fachada recorda, obra do projeto dos arquitetos Anouk Legendre e Nicolas Desmazières.

O dourado de seus painéis de vidro brilha ao entardecer, ganhando contornos fotogênicos, e lembra a cor encontrada nas fachadas dos edifícios históricos de Bordeaux. Seu interior também é marcado por movimento: as escadas, os salões arredondados e a cave com inúmeros rótulos, por exemplo, nos fazem sentir essa dinâmica.

Celebração ao vinho

São mais de 13 mil m², dez andares e 20 áreas temáticas que formam o museu. Provando ser um espaço vivo de conhecimento, aqui ocorrem eventos, aulas, workshops e degustações.

Há dois tipos de exposições no Cité du Vin: uma permanente e outras temporárias. A exposição que não sai de cartaz oferece um interessante tour por vinhedos ao redor do mundo, em que brinca com os nossos sentidos. Com a ajuda de um aparelho com guia multimídia entregue na entrada (o português não está entre as línguas), diferentes cheiros, texturas, sons e aspectos visuais se mesclam na imersão da história do vinho e de seu papel na civilização.

Sua parte cultural é o que mais me deixou fascinada. Por meio da interatividade de smartphones e mesas digitais, tanto adultos quanto crianças se divertem e saem do Cité du Vin com aprendizados, que englobam o modo de se fazer a bebida, seus terroirs, seu passado e sua importância para os dias atuais.

Geografia, história, topografia, clima: várias são as facetas do conhecimento que a uva e o vinho podem nos mostrar, todas ressaltadas no museu. Um dos aspectos mais interessantes é que a própria Bordeaux tem seu lugar de destaque na exibição: a cidade e sua íntima ligação com o vinho é narrada pelo museu.

Exposições temporárias também tem seu lugar garantido no espaço, sempre dialogando de alguma maneira com a essência do museu. Para 2022, por exemplo, o Cité du Vin será palco de “Picasso, a efervescência das formas”, entre os meses de abril e agosto. A exposição fala sobre o lugar do vinho e dos aguardentes na obra de Pablo Picasso nas suas pinturas, desenhos, cerâmicas e filmes.

Degustação e gastronomia

O melhor fica para o final: a degustação! A experiência culmina no mirante do oitavo andar, onde apreciamos a vista para a cidade degustando uma taça de vinho – já inclusa nos €20 do ingresso regular.

O museu tem parceria com várias regiões vinícolas do mundo, assim, podemos provar vinhos de uma seleção atualizada regularmente de cerca de vinte garrafas. As crianças ficam de fora dessa, mas têm ao seu dispor uma variedade de sucos de uva. Chamado de Belvedere, o espaço ganha destaque com um lustre feito de milhares de garrafas e um balcão de carvalho de 10 metros de comprimento.

Mas uma das áreas mais interessantes do Cité du Vin é sua adega. Batizada de Latitude20 possui mais de 14 mil garrafas e 800 vinhos de mais de 70 países, incluindo alguns exemplos inesperados, como Azerbaijão, Taiti, Bali, entre outros.

Do Brasil, por enquanto, há dois rótulos: o Pizzato Fausto Merlot 2018 e o Lídio Carraro Dádivas Chardonnay 2014, ambos do Rio Grande do Sul. É impressionante ver a diversidade de rótulos e a arquitetura arrojada da cave, onde os vinhos podem ser adquiridos por preços que variam entre €5 e €50.

Como o vinho sempre nos convida a provar uma boa comida, o museu possui dois restaurantes: uma brasserie e um snack bar no térreo, que é uma continuação da adega, e um restaurante requintado no sétimo andar com vista panorâmica para toda Bordeaux, o Restaurant Le 7, que possui menu sazonal elaborado com produtos regionais – regado a muito vinho.

Além de todas as áreas mencionadas, o museu também conta com uma boutique com livros, roupas e outros itens, onde a entrada é ligada à rua, sem necessidade de pagar para entrar.

O Cité du Vin é um enorme espaço que presta homenagem a um dos grandes tesouros da região. Assim, é recomendado que se dedique pelo menos uma tarde inteira ao seu desfrute. Uma vez aqui, entendemos que o vinho vai além da bebida: ele é um dos representantes da arte do bom viver.

La Cité du Vin

Endereço: Esplanade de Pontac,134 Quai de Bacalan, 33300 Bordeaux, França
Ingressos: a partir de €20 para adultos. Menores de 18 anos a partir de €9. Menores de 6 anos não pagam.
Mais informações no site oficial: https://www.laciteduvin.com/en


Mais Recentes da CNN