por: Viagem e Gastronomia Viagem e Gastronomia

Testamos as novas montanhas-russas de Orlando que prometem agitar a temporada

Recém-inauguradas, as novas atrações dos principais parques da Flórida são supertecnológicas e já acumulam grandes filas de espera; prepara-se para perder o fôlego!

Principal queda da Ice Breaker, primeira montanha-russa de lançamento do SeaWorld
Principal queda da Ice Breaker, primeira montanha-russa de lançamento do SeaWorld Saulo Tafarelo

Saulo Tafarelodo Viagem & Gastronomia

Orlando, Flórida

Ouvir notícia

Coração acelerado, cintos afivelados e barras de segurança fechadas. O que isso significa? Que é chegada a hora de experimentar os caminhos tortuosos e as altas velocidades de uma montanha-russa.

E em Orlando há diversas delas, as quais divertem desde os pequenos até os adultos. Mundialmente conhecida por seus parques temáticos, a cidade da Flórida está em constante renovação, seja inaugurando novos brinquedos, aposentando outros ou ainda criando áreas inéditas.

E já que as novidades pipocam por todos os cantos a cada ano, em 2022 não poderia ser diferente: mirando o verão dos Estados Unidos, montanhas-russas foram inauguradas nos principais parques da cidade.

O CNN Viagem & Gastronomia esteve recentemente em Orlando e testou três novas montanhas-russas que devem agitar a temporada. Entre inversões, altas velocidades, plataformas de lançamentos e curvas sinuosas, uma coisa é certa: impossível não querer repetir a dose!

Vale lembrar que a entrada de turistas brasileiros nos Estados Unidos agora ficou mais fácil: não há mais exigência de teste de Covid-19 negativo antes do embarque e o uso de máscaras não é mais obrigatório.

A seguir, confira mais detalhes sobre as montanhas-russas:

Guardians of the Galaxy: Cosmic Rewind – Epcot

Mais recente das atrações, a aguardada montanha-russa inspirada no filme “Guardiões da Galáxia” entrou em operação no dia 27 de maio no Epcot.

Primeira montanha-russa de lançamento reverso da Disney, a atração já é superconcorrida – até uma fila virtual foi lançada no app da empresa para facilitar a vida dos corajosos.

Localizada na área “World Discovery”, é uma das maiores montanhas-russas totalmente fechadas do mundo. Como de costume na Disney, a fila é recheada de storytelling e já é uma atração por si só: visitantes passam por diferentes ambientes, apreciam alguns objetos e ainda podem ver de perto projeções dos Guardiões originais – personagens dos filmes da Marvel. Há até uma aparição especial da atriz Glenn Close, que reprisa rapidamente seu papel como Nova Prime.

Durante o trajeto até o carrinho, os visitantes passam por uma espécie de planetário que mostra as diferenças do planeta fictício Xandar e de outras galáxias. Mas tudo muda quando os turistas são chamados para ajudar os guardiões numa missão urgente.

Após fechadas as travas de segurança e iniciado o passeio, os turistas são então lançados para trás e depois experimentam direções diferentes, já que o carrinho gira no próprio eixo. Quedas repentinas, curvas fechadas e muitos giros são experimentados durante a atração – não há nenhuma inversão.

O trajeto, porém, é totalmente imersivo (mal consegue-se ver os trilhos), já que todo o ambiente é coberto de projeções, e os corajosos seguem a batalha intergaláctica que é o tema da atração. A sensação é de realmente estar no espaço, onde a Via Láctea, a Lua, a Terra e inúmeras estrelas passam ao lado dos carrinhos.

Spoiler: os visuais são incríveis e a experiência fica ainda mais divertida com a trilha sonora, que contém seis músicas diferentes que são tocadas aleatoriamente.

São elas: “September”, de Earth, Wind & Fire; “Disco Inferno”, de The Trammps; “Conga” de Gloria Estefan; “Everybody Wants to Rule the World”, de Tears for Fears; “I Ran (So Far Away)”, de A Flock of Seagulls, e “One Way or Another”, de Blondie.

A montanha-russa possui cerca de 1,7 km de extensão e para experimentá-la os visitantes devem ter no mínimo 1,07 m de altura. Curiosidades: primeira montanha-russa dentro do Epcot, a atração estava prevista para ser inaugurada em 2021, mas foi adiada por conta da pandemia de Covid-19 e  inaugurada no lugar do antigo pavilhão do “Universe of Energy”.

Ice Breaker – Seaworld

Primeira montanha-russa de lançamento do SeaWorld, a Icebreaker foi inaugurada em fevereiro deste ano após vários adiamentos por conta da pandemia de Covid-19. Sexta montanha-russa do parque temático, ela é construída totalmente ao ar livre, e seus trilhos na cor laranja já chamam a atenção de longe.

A fila não possui um storytelling, mas coloca os visitantes bem próximos dos trilhos, que escutam os gritos dos passageiros lá debaixo. O passeio começa com passageiros sendo colocados em uma outra plataforma, a qual os lança para trás, os joga numa subida íngreme e depois os lança para frente novamente, até atingir velocidade para seguir um caminho cheio de curvas fechadas e quedas – não há inversões na atração.

O diferencial dela? É considerada a montanha-russa mais íngreme da Flórida, atingindo um ângulo de 100 graus numa descida de quase 29 metros de altura. Além disso, alcança 84 km/h. Ela é bem rápida e os passageiros chegam a sair dos bancos durante os repentinos picos.

O carrinho possui ao todo 18 lugares e os visitantes se sentam em duplas. Para encarar a atração é necessário ter ao menos 1,37 m de altura. Recentemente, o SeaWorld anunciou uma sétima montanha russa para 2023, o que o torna o parque com mais montanhas-russas de Orlando – só perde para o Busch Gardens como o local que possui mais montanhas-russas em toda a Flórida.

VelociCoaster – Universal’s Islands of Adventure

Inaugurada exatamente há um ano, apenas recentemente os brasileiros – e o resto do mundo – puderam começar a experimentar a atração radical por conta da abertura das fronteiras dos Estados Unidos. Novidade dentro da área do Jurassic Park no parque Islands of Adventure, foi considerada a montanha-russa mais intensa da Flórida na época do lançamento.

Beirando o lago do parque, a atração é toda baseada nos filmes da franquia de “Jurassic Park”. Na fila, espere então por réplicas de dinossauros para lá de realistas, velociraptors famintos – que chegam a se movimentar e assustar os visitantes – e salas temáticas que levam os passageiros a entrar numa atmosfera de pura adrenalina.

Em determinado momento, todos os objetos carregados pelos passageiros devem ser colocados num armário – tíquetes com códigos de barra são entregues e os visitantes podem recuperar os pertences após rodar o brinquedo.

Com as travas fechadas, a aventura começa. Baseada numa perseguição, a montanha-russa é composta por dois trechos de lançamentos, em que o primeiro atinge 80 km/h em 2 segundos. O segundo deles, porém, é o mais forte, e os passageiros são lançados a cerca de 112 km/h em 2,4 segundos, e são impulsionados a um pico de 47 metros de altura que é seguido por uma queda de 80 graus.

Ao todo são 1,4 km de trilhos, muitas manobras radicais e quatro inversões – uma delas chega a deixar os visitantes de ponta cabeça por demorados instantes. A atração mistura cenários cheios de vegetação em terra e também passa por cima das águas do lago do parque, aumentando a diversão.

A atração dura menos de dois minutos e para experimentá-la são necessários 1,30 m de altura. À época da inauguração, as filas chegaram a ter quatro horas de espera.


Mais Recentes da CNN