Plano de aventureiro de “caminhar” sobre as águas até Nova York em uma bolha termina em praia da Flórida

Objetivo da viagem era arrecadar fundos para instituições de caridade

Ouvir notícia
Foto: reprodução CNN Travel

David Williams, da CNN Travel

O atleta Ray “Reza” Baluchi planejou passar três ou quatro semanas no Oceano Atlântico, “caminhando” da Flórida a Nova York em um navio semelhante a uma roda de hamster que ele chama de bolha.
Mas problemas com o equipamento o forçaram a abandonar a “embarcação” em menos de um dia e o forçou a desembarcar em Palm Coast, na Flórida, para surpresa e alarme dos banhistas. O gabinete do xerife do Condado de Flagler postou fotos do veículo não convencional de Baluchi no Facebook e disse que recebeu ligações sobre uma embarcação encalhada.

Um relatório do incidente descreveu o barco como uma “estrutura de metal com boias fechadas, movido manualmente por corrida.” Baluchi disse à CNN que partiu de St. Augustine e planejava seguir até a Corrente do Golfo, o que o ajudaria a impulsioná-lo pela costa leste até Nova York.

Leia mais
Por trás da diversão: conheça os bastidores das atrações mais disputadas da Disney
100 lugares extraordinários no mundo para explorar em 2021, segundo a revista Time
Jamie Oliver abre novo restaurante no Brasil

Ele disse que estava fazendo a jornada porque queria arrecadar dinheiro para instituições de caridade. Baluchi decidiu que precisava voltar porque estava tendo problemas com seu sistema de rastreamento e seu dispositivo de backup estava faltando.

Ele acabou na praia de Palm Coast cerca de 22 milhas ao sul de onde começou dizendo que poderia conseguir novos equipamentos naquele local. O aventureiro disse que sua equipe iria comprar um dispositivo de reposição para que ele pudesse retomar sua jornada, mas a Guarda Costeira não permitiu.

Um porta-voz da instituição disse à CNN que havia emitido uma ordem do capitão do porto exigindo que Baluchi tivesse equipamentos específicos de segurança e navegação, um barco de escolta e apresentasse um plano de viagem antes de partir novamente.

“Minha equipe está trabalhando para conseguir um barco para mim e alguma empresa de pesca me patrocinar”, disse, ainda, que prefere fazer a viagem sozinho com o apoio de sua equipe em terra. “Eu não quero isso, [é] mais emocionante se ninguém te seguir”, revelou. “Não quero gastar dinheiro em um barco, quero arrecadar dinheiro para organizações.”

Baluchi já fez outras viagens mal-sucedidas. Ele tentou correr da Flórida para as Bermudas duas vezes em uma bolha inflável. A Guarda Costeira teve que resgatá-lo em 2014 e rebocou sua bolha de volta para terra em 2016, alegando que ele violou a ordem de não embarcar.

A CNN publicou uma matéria sobre ele em 2012. Baluchi disse que fugiu do Irã para escapar da perseguição e veio para os Estados Unidos, cruzou o país duas vezes e contornou seu perímetro uma vez. “Uma coisa que eu quero mostrar às pessoas é que, às vezes, você vai falhar, mas nunca desista do seu sonho”, disse ele.

O barco-bolha de Baluchi ainda está na praia e ele planeja pegá-lo para fazer os reparos necessários e algumas atualizações para que possa tentar cruzar o mar novamente no futuro.

(Texto traduzido. Leia o original em inglês aqui.)

Mais Recentes da CNN