por: Viagem e Gastronomia Viagem e Gastronomia

Paris como você nunca viu

Inclinado para fora de um helicóptero, o fotógrafo Jeffrey Milstein registrou os monumentos emblemáticos e as largas avenidas da capital francesa

Ouvir notícia
Arco do Triunfo, Paris, visto de cima (Foto: Jeffrey Milstein/Rizzoli New York)

Marnie Hunter, CNN

(CNN) Olhar para as coisas do ar não é nenhuma novidade para Jeffrey Milstein. Em 1961, ele tirou suas primeiras fotos aéreas dentro de um Cessna 150 quando tinha 17 anos, logo depois de obter licença de piloto varrendo um hangar de aeronaves do sul da Califórnia em troca de tempo de voo.

Milstein se tornou arquiteto e, em seguida, abriu uma empresa de design/editora antes de iniciar sua atual carreira na fotografia. O que era novo, no entanto, envolvia convencer a cidade de Paris a deixá-lo sair em um helicóptero para fotografar seus monumentos emblemáticos e largas avenidas – os voos diretos sobre a cidade são altamente restritos e raramente concedidos.

Os jardins do Palácio de Luxemburgo (Foto:Jeffrey Milstein/Rizzoli New York)

Não foi uma tarefa fácil, mas a empresa de helicópteros com a qual ele voou facilitou um processo de inscrição de três meses e amigos do mundo da arte ajudaram a argumentar que o projeto seria de interesse público.

“Eles acabaram me dando dois voos de 45 minutos sobre a cidade, então tivemos que trabalhar muito rápido, mas eu tinha um bom piloto e fizemos isso”, disse Milstein, que mora em Woodstock, Nova York.

O resultado é “Paris: From the Air”, um livro de 200 fotografias coloridas hipnotizantes que mostram a Cidade da Luz de ângulos raramente vistos. As fotos diretas de Milstein, um estilo pelo qual ele é conhecido, são informadas por sua formação como arquiteto e designer gráfico. “Eu realmente gostei desse visual muito formal e simétrico com um forte centro de interesse e corte cuidadoso. É realmente uma coisa meio artística, e também é como uma planta que o arquiteto pode ver”.

O que diferencia Paris
Uma imagem direta da cintilante Pirâmide do Louvre de 1989, sustentada pelas alas do famoso museu do século 19, é apenas uma vista em planta e uma abstração elegante banhada por luz dourada. As longas sombras de minúsculas pessoas parecidas com formigas parecem pingar direto da página – entre os poucos elementos casuais dentro da suave ordem simétrica das coisas.

Essas fotos detalhadas são intercaladas com vistas mais amplas e diretas dos monumentos e dos bairros bem organizados de Paris, além de algumas vistas aéreas angulares mais tradicionais da cidade.

Milstein registrou outras cidades em seu estilo simples – um livro de 2017 apresenta Los Angeles e Nova York, e ele também passou um tempo fotografando em Londres e Amsterdã.

Mas o que é especialmente único em Paris é sua altura e estética uniforme, em grande parte devido ao plano urbano do século 19 de Georges-Eugène Haussmann, que destruiu a maioria das estruturas medievais da cidade esculpindo avenidas largas com prédios de calcário com telhados de zinco.
“Paris tem essa homogeneidade maravilhosa com belas avenidas e a luz entra em todos os lugares porque não há prédios altos bloqueando. E é uma escala muito humana”, disse Milstein. Ele capturou a maioria dos marcos famosos do centro de Paris, com uma exceção notável: parte de seu acordo com a cidade proibia registrar na Catedral de Notre-Dame, que ainda estava coberta de andaimes após o incêndio devastador de 2019.

Fotografando direto para baixo
Milstein disparou sobre Paris enquanto se inclinava para fora de um helicóptero Squirrel AS355N, com a porta aberta usando câmeras de médio formato de alta resolução. “Para conseguir uma tomada direta, o piloto precisa fazer círculos íngremes e estreitos enquanto eu me inclino o máximo que posso, com a mão segurando a câmera”, explica Milstein no livro.

Leia mais:
Restaurantes tradicionais de Paris
Champs-Élysées, em Paris, terá menos carros e mais árvores com revitalização
Turistas vacinados dos Estados Unidos poderão aproveitar o verão na Europa
Tour virtual por castelos e palácios

Além dos dois voos diretos sobre o centro histórico de Paris, Milstein fez voos separados sobre o distrito comercial de La Défense, o aeroporto Charles de Gaulle (ele não resiste a aeroportos e aviões) e a vizinha Versalhes, onde também recebeu permissão especial para voar sobre o amplo palácio de Luís XIV.

Fotos diretas dos intrincados jardins formais do palácio criam uma série de abstrações exuberantes e simétricas de verde e pedra. Milstein e seu piloto, Félix Claro, tinham uma lacuna de linguagem significativa, mas planejamento cuidadoso e “muitos gestos com as mãos” fizeram funcionar. “Tivemos que trabalhar rápido, pois o tempo e a melhor luz eram limitados”, escreveu no livro.

“Entro em uma espécie de zona assim que começo a atirar; todo o resto cai e simplesmente me movo para aquele momento”. Assim, os espectadores podem entrar em uma zona semelhante debruçada sobre suas fotos das ruas ordenadas, praças monumentais e pátios escondidos de Paris.

(Texto traduzido, clique aqui para ler o original em inglês).

 

Mais Recentes da CNN