Fernando de Noronha ganha novo hotel de luxo

A partir de dezembro a marca NANNAI chega a Fernando de Noronha em parceria com a pousada Solar dos Ventos oferecendo conforto em meio a muito verde e uma belíssima vista para a Baía do Sueste

Ouvir notícia

A partir de dezembro a marca NANNAI chega a Fernando de Noronha em parceria com a pousada Solar dos Ventos oferecendo conforto em meio a muito verde e uma belíssima vista para a Baía do Sueste

Um dos destinos mais badalados do verão brasileiro é também um dos mais importantes santuários ecológicos do mundo. O pequeno arquipélago de Fernando de Noronha é o topo de uma enorme montanha marinha — um antigo vulcão — com 4.000 metros de altura e mais de doze milhões de anos. O arquipélago que leva o nome errado de Fernão de Loronha, um judeu convertido ao catolicismo que monopolizou o comércio entre a nova colônia e a metrópole pouco após o descobrimento, foi a primeira capitania hereditária do Brasil, conta com ruínas seculares e, além das riquezas naturais preservadas, possui algumas das praias mais bonitas do mundo.

Novo hotel Nannai Fernando de Noronha (Foto: divulgação)
Marca Nannai chega a Fernando de Noronha (Foto: divulgação)

A boa notícia para quem busca um lugar nesse paraíso no próximo verão é que a renomada marca Nannai, famosa por oferecer serviço requintado e bangalôs à beira-mar na região de Porto de Galinhas, nas areias de Muro Alto, e condecorado com o Condé Nast Johansens Award for Excellence na categoria Best Hotel With Spa para as Américas do Sul e Central nos anos 2014 e 2020; e ainda Best For Families em 2015, Best Villa em 2017, e Best For Romance em 2018, se juntou a pousada Solar dos Ventos e passa a operar no arquipélago a partir de 1 de dezembro. 

Do alto de uma colina, a vista irrestrita para o “mar de fora”, a costa sul de Fernando de Noronha será um dos grandes diferenciais. Entre as acomodações, o destaque são os dois Bangalôs Master. Com 75 metros quadrados, eles contam com chuveiros ao ar livre, cama tamanho super king, adega e uma ampla varanda que convida para relaxar em suas redes e chaises com vista para as ilhas do Chapéu e Cabeluda, incrustadas nas águas de vários tons de azul da Baía do Sueste.

A vista, no entanto, não é privilégio dos hóspedes dos bangalôs mais exclusivos. A pousada foi toda desenhada para que a paisagem esteja presente em todos os momentos da estada; seja a partir da piscina de borda infinita ou da área social com pé-direito duplo e muita ventilação natural — onde estão o lounge, o restaurante, os terraços e a NANNAI Boutique, uma curadoria de marcas de moda nacional e internacional —, ou ainda de qualquer quarto, já que todos os outros seis bangalôs e os dois apartamentos também possuem vista para o mar. 

Bangalô master do novo Nannai Fernando de Noronha (Foto: divulgação)
Bangalô master do novo Nannai Noronha Solas dos Ventos (Foto: divulgação)

Através da parceria com a família Brussolo, proprietária do terreno e da pousada Solar dos Ventos, e respeitada em Fernando de Noronha por seu comprometimento com a sustentabilidade, a pousada, que passa a se chamar NANNAI Noronha Solar dos Ventos, conta com um sistema de captação e reaproveitamento das águas da chuva, usa não só energia solar como também possui um aerogerador que produz energia eólica, tem uma estação própria de tratamento de água, e ainda abriga uma horta e um pomar orgânicos que suprem parte das necessidades da cozinha, com verduras, legumes e frutas livres de agrotóxicos. 

No quesito gastronomia, além dos drinques autorais que foram batizados com os nomes das praias da ilha, espere por muitos peixes e frutos do mar — sem deixar de lado a típica carne de sol —, em pratos individuais ou para dividir; opções vegetarianas em forma de risotos, moquecas e ceviches, respeitando os ingredientes da época; e ainda, um cardápio de sobremesas inspirado em Assucar, livro escrito em 1939 por Gilberto Freyre, autor de Casa-Grande & Senzala, para quem “sem açúcar não se compreende o homem do Nordeste”… Esse ingrediente que foi a base da economia pernambucana por mais de 300 anos estará presente em delícias como a cartola, o beijo caboclo e as mil folhas de caju. 

Nannai Solar dos Ventos terá vista para a Baía do Sueste (Foto: divulgação)

O NANNAI Noronha Solar dos Ventos está a 800 metros do Aeroporto de Fernando de Noronha e a 400 metros da Praia do Sueste, no Mar de Fora. Por lá é proibido hotéis à beira-mar, uma vez que 85% do Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha (Parnamar), que protege esse que é um dos santuários naturais mais ricos em biodiversidade do mundo, é formado pelas águas que circundam o arquipélago.  

Na Praia do Sueste, que é parte do Parque Nacional, é possível visitar as ruínas do século 18 do Forte São Joaquim, fazer diferentes trilhas e ainda mergulhar com tartarugas marinhas, polvos, lagostas, arraias, pequenos tubarões e uma infinidade de peixes coloridos, que têm o local como área de descanso e alimentação. A Praia do Sueste, como todas as praias que fazem parte do Parnamar, tem a vantagem de contar com lanchonete, banheiros e aluguel de equipamentos. 

INFORMAÇÕES PRÁTICAS

Os voos diretos para Fernando de Noronha [FEN] partem de Recife [REC] e Natal [NAT], duram aproximadamente uma hora e são operados pelas companhias aéreas Gol e Azul. 

É recomendado que o viajante pague duas taxas para viajar e aproveitar o melhor de Fernando de Noronha. A primeira — e obrigatória — é a Taxa de Preservação Ambiental (TPA), que varia de acordo com a quantidade de dias que se passa na ilha {confira os valores, clicando aqui}, e deve ser preferencialmente paga online, antes da viagem, para evitar as filas do aeroporto na chegada (é importante levar o comprovante do pagamento impresso para apresentação). A segunda, opcional, é o ingresso para o Parque Nacional Marinho Fernando de Noronha (Parnamar), necessária para visitar as praias protegidas, como a do Sancho, e as Baías do Sueste e dos Porcos, por exemplo (já as praias do Meio, da Conceição e do Cachorro são de acesso livre por não fazerem parte do parque). O ingresso para o Parque Nacional vale por dez dias e pode ser comprado lá mesmo, no Centro de Visitantes da ICMBio, onde você também pode agendar as trilhas com vagas limitadas {clique aqui para acessar o site oficial}

Mais Recentes da CNN