10 destinos desconhecidos no Brasil por Daniela Filomeno 

Conheça esses destinos e desbrave o que o Brasil tem de melhor: suas belezas e cultura

Ouvir notícia

“Moro num país tropical, abençoado por Deus. E bonito por natureza, mas que beleza”. Nada que eu escreva representa melhor o nosso país do que a famosa música de Sérgio Mendes, tão bem interpretada por Jorge Ben Jor. O Brasil é definitivamente um dos lugares que mais esconde belezas naturais, com pontos pouco explorados e com uma mínima – ou quase nenhuma – infraestrutura para receber turistas. Cenário que deve mudar com o boom do turismo nacional que teremos nos próximos anos, impulsionado pelas fronteiras fechadas e com a retomada gradual. Tudo sempre seguindo os protocolos e com muito bom senso, que o momento exige

A pedido da revista Versatille listei dez lugares para ficar no radar e fazer as malas assim que possível. Natureza preservada, esportes radicais, lagoas com água cristalina, praias desertas e cenários inesquecíveis…motivos não faltam para desbravar e aproveitar o que o Brasil tem de mais valioso – suas belezas e cultura.

Serra da Capivara e Cânion do Rio Poti, no Piauí

No meio do sertão, a 230km de Teresina, fica o Cânion do Rio Poti. Uma paisagem impressionante que acredita-se que tenha se formado por meio de uma falha geológica provocada por um terremoto há 400 milhões de anos e que, hoje, é o lugar ideal para amantes de esportes radicais como rapel, canoagem, trekking e trilhas. Rodeado pela transição entre a caatinga, carrasco e o cerrado, surpreenda-se com gravuras e pinturas rupestres em abrigos sob rochas que comprovam que esta região foi uma rota migratória milenar dos primeiros habitantes da América.

Arte rupestre na Serra da Capivara (Foto: Mauricio Pokemon-MTur)

Ainda no Piauí, outro lugar impressionante é o Parque Nacional da Serra da Capivara, considerado Patrimônio Mundial da Unesco desde 1991. Um oásis e uma verdadeira viagem ao tempo, fica localizado na região semi-árida do estado, abrange quatro cidades: Canto do Buriti, Coronel José Dias, São João do Piauí e São Raimundo Nonato. A paisagem é repleta de cânions, baixões e serras e abriga uma grande concentração de arte rupestre pré-histórica – diferente das encontradas no Cânion do Rio Poti – aqui, é possível apreciar pinturas que têm entre 6 e 12 mil anos. Se hospede e comece seu tour pela pequena e modesta São Raimundo Nonato, uma cidadezinha bem próxima ao parque, que tem estrutura completa para receber turistas, e aproveite para conhecer a Cerâmica Serra da Capivara, que produz louças em argila e desenha as típicas pinturas da região em pratos, copos e outros utensílios.

Icaraí de Amontada, no Ceará

Icaraizinho, como é conhecido, é um vilarejo no Ceará, a 220km de Fortaleza e a 90km da badaladíssima Jericoacoara. Seus fortes ventos colocaram a região na lista dos melhores lugares para a prática de kitesurf, esporte bem conhecido em solos cearenses. Por ali, a praia central é a de Icaraí de Amontada, que faz barreira com a Barra das Moitas, com um mar esverdeado que enche os olhos de quem visita. Uma das principais paisagens da região é a foz dos rios Aracati-Açu e Aracati-Mirim, com extensas faixas de areia e totalmente desertas. Normalmente, quem frequenta Icaraizinho aproveita e realiza um passeio de bug, que percorre as belíssimas dunas do Ceará. Ah, não se esqueça que por lá o sinal de celular não funciona – desculpa ideal para se desligar e relaxar.

Lagoa Encantada e Olho da Xuxa, no Mato Grosso

Também conhecida como Lagoa Azul, a paisagem faz jus ao nome. Com águas cristalinas, rodeadas por uma rica vegetação, a Lagoa Encantada é um paraíso escondido. Ela está localizada a 25km da cidade de Primavera do Leste, no Mato Grosso. São mais de 10 metros de profundidade, nas margens do Rio das Mortes. Durante o mergulho, é possível ver as nascentes borbulhando na areia do solo, as incríveis formações rochosas, grutas submersas e muito mais. E fique tranquilo, as águas da região contam com uma temperatura natural e agradável para os visitantes, uma média de 26 °C durante o ano todo. Por estar em uma propriedade privada, na Fazenda Onça Pintada, o número de visitantes por dia é limitado e é necessário fazer reserva e pagar entrada para desfrutar desse paraíso.

Olho da Xuxa (Foto: divulgação Prefeitura Novo Mundo)

Outro paraíso escondido do Mato Grosso é o Olho da Xuxa, nascente do Rio Nhandú, com água mineral cristalina e ótimo para mergulho subaquático. Para chegar lá não é fácil e podemos dizer que muitas vezes falta sinalização, mas nada como o parar e perguntar para os moradores das comunidades da região que com a maior paciência auxiliam os turistas. E valerá à pena quando chegar na lagoa azul esverdeada (daí o nome) para um bom mergulho fresco.

Lagoa Misteriosa, no Mato Grosso do Sul 

Para quem gosta de aventura e beleza natural, a Lagoa Misteriosa, no interior do Mato Grosso do Sul, é o lugar certo. Imagine mergulhar em um local onde não sabe-se ao certo a sua profundidade? Este é o mistério do passeio! Em 1998 o mergulhador Gilberto Menezes de Oliveira registrou a marca de 220 metros de profundidade, porém ainda não encontraram seu fundo. O fato é que a Lagoa Misteriosa é uma das mais profundas cavernas alagadas do Brasil com uma água transparente que impressiona, dando uma visibilidade de mais de 40 metros de distância. Para chegar, é necessário fazer uma trilha rica em diversidade de fauna e flora que leva até um mirante e a misteriosa lagoa – onde é possível fazer mergulho com cilindro e técnico.

Lagoa Misteriosa, em Bonito, proporciona sensação de flutuar em águas cristalinas (Foto: Marcelo Krause)


Cunha e seus campos de lavandas, em São Paulo 

Campo de Lavanda, em Cunha (Foto: divulgação)
Campo de Lavanda, em Cunha (Foto: divulgação)

Daquelas paisagens que tiram o fôlego. São quase 40 mil pés de lavandas plantados, no alto de uma montanha, com vista para a serra. O Lavandário fica a cerca de 230km da capital paulista, no município de Cunha. Trata-se de uma propriedade privada, que foi criada para o cultivo das lavandas e ervas aromáticas. Um verdadeiro cenário de filme, rodeado pelo aroma, delicadeza, beleza, propriedades e energias únicas que essa flor carrega. Um passeio de algumas horas que vale a pena – finalize no pequeno café do local, que oferece chocolates, bolos e outros itens tendo a lavanda como ingrediente especial das receitas. Outra opção é o Contemplário, outra propriedade privada com um lindo e enorme campo de lavandas na cidade. Por aqui vale fazer um piquenique em uma das mesas espalhadas pela propriedade ou tomar um chocolate quente no café com vista panorâmica de encher os olhos.

Cunha também é famosa por suas cachoeiras e trilhas para os mais aventureiros e por seus diversos ateliers de cerâmica. Vale passar um feriado para aproveitar tudo que a cidade oferece.

Praia de Carro Quebrado e Praia do Patacho, em Alagoas 

A beleza de Alagoas não é novidade para ninguém, mas a Praia de Carro Quebrado, a cerca de 45 km de Maceió, no município da Barra de Santo Antônio, parece que saiu de um cenário de filme de tão perfeito. Águas cristalinas, falésias, areia clarinha e piscinas naturais com corais. Sem infraestrutura é necessário levar qualquer coisa que desejar consumir, além do snorkel e óculos para pequenos mergulhos nas piscinas naturais que permitem ver lindos corais e peixinhos.

Praia do Patacho (foto divulgação pousada Reserva do Patacho)

Para quem gosta de adrenalina, vale alugar um buggy para explorar as falésias e chegar ao mirante com  uma vista de tirar o fôlego. Já na Praia do Patacho, em Porto das Padras, 2hs de Maceió, pousadas charmosas estão pipocando na praia de beleza estonteante, águas cristalinas e coqueiros ladeando sua costa. Nas suas areias, só esticar a canga e curtir o sossego, já que é pouco explorada e nada de bares e restaurantes. E aproveite o vai e vem da maré com eventuais piscinas naturais.

Carrancas, em Minas Gerais

Outro destino para quem ama ecoturismo e esportes de aventura. Ao sul de Minas Gerais, vale pegar o carro e desbravar as mais de 70 cachoeiras da região, seus poços e grutas incríveis. A melhor maneira de circular por lá é seguir os complexos, como o da Zilda, com uma extensão de dois quilômetros, a cachoeira da Zilda é a principal atração do complexo que leva o mesmo nome. É preciso atravessar um rio e percorrer uma trilha por 15 minutos para se chegar à queda das águas, que formam um poço e uma prainha. No caminho é possível encontrar pinturas rupestres nos paredões e pequenas quedas d’água para se refrescar. O Complexo ainda conta com a Cachoeira dos Anjos, a Racha da Zilda e um escorregador natural de dez metros, diversão garantida para todas as idades. Importante se informar antes sobre o grau de dificuldade e estrutura que cada atração oferece.

Praia de Moreré, na Bahia 

Na Ilha de Boipeba, no sul da Bahia, está a paradisíaca Praia de Moreré. O acesso não é dos mais simples, o celular não tem sinal e o número de visitantes é baixo. Mas vale a pena! O mar é calmo e cristalino e, de longe, você consegue observar uma imensidão azul que enchem os olhos.

Morere, na Bahia (Foto: Márcio Filho – MTUR)

Para completar, a praia ainda tem uma grande extensão de areia onde é possível relaxar sob as sombras dos coqueiros gigantes que cercam todo esse litoral. Moreré também abriga piscinas naturais com cor do mar semelhante às praias caribenhas – totalmente cristalina. A água, de tão clara, nos mostra a vida que existe abaixo da superfície, com corais e peixinhos. Para chegar até lá, é necessário alugar um barco ou participar de passeios que realizam a volta a ilha. Moreré ainda reserva um pequeno vilarejo, um pouco distante do centrinho da Ilha de Boipeba, que é rústico, sem asfalto e com muitas casinhas charmosas.

Mais Recentes da CNN