por: Viagem e Gastronomia Viagem e Gastronomia

Theatro Municipal completa 110 anos com programação especial

Joia arquitetônica e cultural de São Paulo, casa de ópera celebra com retorno da temporada lírica, projetos de inclusão e uma websérie

Ouvir notícia
Projeto do Theatro Municipal teve início em 1903, mas foi entregue à cidade 8 anos mais tarde, em 1911. (Foto: Stig Lavour)

É o Theatro Municipal uma das maiores casas de ópera do Brasil! Entrar nele é a certeza de se encantar com a beleza da arquitetura e a luxuosa construção, influenciada pelos teatros de ópera da Europa e símbolo aspiracional da alta sociedade paulistana, que, com a fartura do ciclo cafeeiro da época, desejava uma casa de espetáculos à altura de suas posses para receber grandes artistas da música lírica e do teatro.

Nesses 110 anos, três reformas foram necessários para sua preservação, renovação e ampliação (Foto: Stig Lavour)

O projeto, assinado pelo escritório Ramos de Azevedo – em colaboração com os italianos Cláudio Rossi e Domiziano Rossi – teve início em 1903, mas foi entregue à cidade 8 anos mais tarde, em setembro de 1911. Na época, o teatro foi aberto para ilustres convidados diante de uma multidão de 20 mil pessoas. A nível de curiosidade: o prédio foi o primeiro a ser totalmente abastecido por energia elétrica.

Leia mais
Inhotim inaugura novas obras

34ª Bienal de São Paulo estreia com mais de mil obras
Casarão na av. Paulista pode abrigar Museu da Gastronomia
Exposições jogam luz à vida e obra de artistas negros

Por seu palco, já se apresentaram importantes nomes da primeira metade do século 20, como Maria Callas, Villa-Lobos, Duke Ellington e Ella Fitzgerald. Recebeu também um dos principais eventos da história das artes no Brasil, a Semana de 22, de Mário e Oswald de Andrade, Anita Malfatti e outros nomes que deram início ao movimento modernista brasileiro.

Nesses 110 anos de história, três grandes reformas foram necessárias para sua preservação, renovação e ampliação, como a criação da Praça das Artes em 2012 para abrigar corpos artísticos, escolas municipais de música e dança.

Projeto do Thatro foi assinado pelo escritório Ramos de Azevedo – em colaboração com os italianos Cláudio Rossi e Domiziano Rossi e teve início em 1903 (Foto: Stig Lavour)

 

Comemoração em grande estilo

E em celebração ao seu aniversário de 110 anos, o Theatro comemora com novo espetáculo, projetos pela cidade e uma websérie documental, e não poderia ser diferente: até 19 de setembro, a casa oferece uma temporada lírica – retomada após quase dois anos de interrupção – com a estreia da ópera María de Buenos Aires, que conta a história da prostituta María da Buenos Aires, composta pelo prestigiado músico argentino Astor Piazzolla (1921-1992) e o poeta de origem uruguaia Horacio Ferrer (1933-2014). Batizada de ópera-tango, ou operita como preferia Piazzolla, é a única obra no gênero. Ao todo serão oito récitas. Nos dias úteis, às 19h, e nos finais de semana, às 17h. Os ingressos custam a partir de R$ 20 e estão à venda pela internet.

No dia 12, data do aniversário do teatro, estreia Fantasmagoria Theatro Municipal de São Paulo, uma mistura de espetáculo-exposição-percurso dirigida pela dupla Daniela Thomas e Felipe Hirsch, com intervenções de integrantes dos corpos artísticos da casa em diversos ambientes do edifício e cenografia composta por peças do acervo.

Retrato do projeto Fantasmagoria: corpos artísticos em ambientes do edifício e cenografia com peças do acervo (Foto: Rafael Salvador)

Há também uma programação que vai circular pelas ruas da capital e chegar aos extremos da cidade. Falamos do projeto Cine-ópera, com projeção de importantes árias de óperas montadas no Municipal, chegará à Cidade Tiradentes, no Centro de Formação Cultural Cidade Tiradentes e ao bairro Guaianases, no CEU Jambeiro. A partir de outubro, começam a circular os corpos artísticos da casa: Orquestras, Coros e Balé.

O outro projeto itinerante é o Carroças Líricas: carroceiros que trabalham na região central da cidade na importante função de reciclagem do lixo, mas que nunca entraram no teatro, serão convidados, junto a seus familiares, para um trabalho de introdução ao universo do Municipal. Em parceria com o movimento Pimp My Carroça, que mobiliza catadores da cidade de São Paulo, a ação termina com a customização das carroças destes trabalhadores para levarem ópera às ruas por onde passam.

Para encerrar, tem também a websérie documental Memória Viva da Capital, com direção de André Ferazini, que vai abordar diferentes aspectos dos 110 anos do Theatro em quatro episódios, um por mês, de setembro a dezembro, no YouTube do Municipal.

Tour Virtual

O teatro tem um tour virtual com visita em 360 graus que pode ser feita de maneira gratuita no site da instituição. O passeio é narrado pela atriz Marisa Orth e permite que os visitantes percorram todos os espaços do local centenário. Pode-se ver os detalhes da Sala de Espetáculos, onde ocorrem concertos e óperas, entrar na Cúpula, estrutura circular que recobre o teto, e percorrer o Salão Nobre, que possui pedras italianas, cristais belgas e pintura no teto assinado pelo artista brasileiro Oscar Pereira da Silva. É possível ainda apreciar a famosa escadaria central e partes externas, como a fachada e a varanda.


Mais Recentes da CNN