Bonito: os programas imperdíveis de Daniela Filomeno

Nenhuma palavra é exagerada para falar sobre Bonito. Superlativos lhe vestem bem simplesmente porque a capital brasileira do ecoturismo honra seu nome em toda a sua extensão

Daniela Filomeno em Bonito
Daniela Filomeno em Bonito CNN Viagem&Gastronomia

Ouvir notícia

Bonito é preenchida com cenários estonteantes que se formaram em meio a chocante beleza de sua flora, grutas, cachoeiras e rios de águas cristalinas, que dão vida a verdadeiros aquários naturais e a jardins submersos. Tem mais: formações geológicas de milhares de anos nos contam sobre como a passagem do tempo atua na natureza de maneira respeitosa e mágica. E é para lá, neste encanto de lugar, que me aventurei com CNN Viagem & Gastronomia*.

As paisagens do Cerrado se misturam com elementos da Mata Atlântica e do vizinho Pantanal, resultando em mais do que deslumbramentos, mas em uma culinária local de babar e em pouso obrigatório aos amantes de ecoturismo e turismo de aventura. É clichê, mas é verdade: não é Bonito, é lindo! É um destino para repetir a dose: impossível conhecer todas as atrações de uma vez só, lição aprendida por mim da pior forma. Foi tão difícil escolher, queria fazer tudo!

Vamos mergulhar ainda mais fundo?
Para entender Bonito e toda a região da Serra da Bodoquena é importante saber que a maioria das atrações fica em propriedades privadas, dentro de fazendas e enormes áreas, ou seja, tudo é distante um do outro. Além de Bonito, vários municípios reúnem belezas naturais, como o Jardim Miranda, Bodoquena entre outros que, juntos, formam um dos maiores complexos de ecoturismo do Brasil.

Daniela Filomeno no Complexo Boca da Onça (Foto: CNN Viagem&Gastronomia)

Com uma população estimada em 22 mil habitantes, Bonito fica a cerca de 300 quilômetros de Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul, distância percorrida em quase quatro horas de carro. Porém engana-se quem pensa que Bonito não possui uma boa infraestrutura. Em muitos lugares, a estrutura e profissionalismo impressionam, especialmente em atividades mais radicais de ecoturismo, onde o cuidado é valioso, como o rapel, a tirolesa, o arvorismo ou o mergulho, que é certificado.

As flutuações, passeios com snorkel em rios de correnteza suave, são as atrações mais procuradas e mais básicas de se fazer na região. Não deixe de ir ao Rio Sucuri e ao Rio da Prata! Dica: não escolha apenas um, precisa fazer os dois! Ambos oferecem experiências diferentes e igualmente impressionantes. Ao pé da Serra da Bodoquena, há cachoeiras de cair o queixo, como a Boca da Onça, uma das mais bonitas que já vi na vida! A maior queda d’água do estado (são 156 metros), assim como cavernas, lagoas, balneários e a maior dolina (depressão formada por desabamento), da América Latina, o Buraco das Araras.

E se você está disposto a fazer passeios mais radicais (em Bonito é quase obrigatório se aventurar!), há opções de dar frio na barriga, mas que são super recompensadoras, tanto em visual, quanto em sensação. Vai por mim! Me senti muito segura em passeios que nunca tinha experimentado na vida, como o rapel e a imersão no Abismo Anhumas. Você desce 72 metros (com equipamentos) em um abismo e, chegando lá, há uma caverna inundada, onde é possível mergulhar e fazer flutuação. É muito forte e impactante. Cheguei a sonhar durante a noite com a experiência, um misto de medo, expectativa, surpresa e encantamento. Definitivamente, um dos melhores programas de Bonito!

Gastronomia saborosa
Mas não somente de aventuras a região é conhecida. Bonito possui uma culinária deliciosa que mistura com maestria influências do vizinho Pantanal junto de pratos regionais, principalmente peixes de água doce, como o piraputanga e o dourado. Um dos restaurantes mais tradicionais da região, a Casa do João, tem cardápio típico pantaneiro assinado pelo chef Felipe Caran, filho do João, anfitrião da casa.

Tudo isso compartilhado aqui está na tela da TV ou do Youtube, mas entrego mais detalhes abaixo, uma seleção dos meus passeios preferidos. Se quiser conhecer onde comer clique aqui; e onde se hospedar, aqui. Embarque comigo nessa!

Os passeios imperdíveis da Daniela Filomeno

Vale contar que os passeios são negociados por agências de turismo da cidade, que vendem vouchers com preços tabelados. É preciso marcar alguns passeios com antecedência, porque são feitos na companhia de guias. As atrações ficam em propriedades privadas e muitas delas oferecem estruturas de restaurantes e outras facilidades para os visitantes.

Gruta Lagoa Azul

Gruta Lagoa Azul (Foto: CNN Viagem&Gastronomia)

Uma trilha de 300 metros leva até a entrada da caverna, que é, não à toa, o cartão de visita de Bonito. Você não vai se importar em descer os 298 degraus para contemplar as formações rochosas e o Lago Azul, de beleza impressionante, cujas dimensões tornam o local uma das maiores cavidades inundadas do planeta, dentro de um lago com mais de 90 metros de profundidade. Longe dos olhos dos visitantes, encontram-se ali fósseis pré-históricos do tigre de dente de sabre e da preguiça gigante. De dezembro a janeiro, durante 40 minutos diários, entre 8h e 9h, a incidência solar ilumina o grande lago azul, dando uma tonalidade ainda mais vibrante e intensa às águas. É hipnotizante!

Flutuação no Aquário Natural

Pertinho do centro, cerca de 7 km, o passeio no Aquário Natural começa com uma caminhada de uns 700 metros em mata ciliar até a nascente do Rio Baía Bonita, onde é realizada a flutuação de 800 metros até o Rio Formoso e aprecia-se a diversidade de peixes e plantas subaquáticas. Algo como estar dentro de um aquário a céu aberto! Na volta pela trilha dos animais, por aproximadamente 1 km, dá para ver pássaros e animais silvestres e saltar de tirolesa no encontro dos rios. O passeio tem ainda um barco de apoio durante todo percurso e um restaurante com consumo pago à parte.

Flutuação no Rio da Prata

Flutuação no Rio da Prata (Foto: CNN Viagem&Gastronomia)

Uma fazenda distante 50 km de Bonito guarda esta especial flutuação que une dois rios e suas diferenças naturais. O começo é em uma trilha de 2,2 km, próximo a nascente do Rio Olho D’água. Todo o percurso é feito numa área de Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) e tem como companhia aves e animais silvestres. Prepare a câmera! O vulcão é uma nascente do Rio da Prata que impressiona pela sua força. A diversão é tentar chegar o mais próximo, sem ser expelido para a superfície. Outra boa ideia é terminar flutuando os últimos 600 metros pelo Rio da Prata, ou, ainda, fazer mergulho certificado no local, mas estes últimos dependem da visibilidade do dia. Depois, vale terminar este incrível passeio em um almoço na fazenda.

Buraco das Araras

Daniela Filomeno aprecia o Buraco das Araras (Foto: CNN Viagem&Gastronomia)

Em meio ao Cerrado, distante mais de 50 km de Bonito, fica o “buraco”, que consiste em uma dolina, enorme cratera totalmente em arenito com 120 metros de profundidade e 500 metros de diâmetro. Ali, a beleza natural exuberante é lar de diversos pássaros, principalmente as “Araras Vermelhas”, que adotaram a região como habitat natural. Em seu interior, há fauna e flora bem particulares, com ecossistema próprio e um grande lago que é morada de jacarés. A trilha, que tem ao todo 970 metros, faz a volta no Buraco e tem dois mirantes de parada. Não passe reto por eles. Pare e admire!

Na minha visita, encontrei-me com o proprietário do local, conhecido como Seu Modesto, de 80 anos. A história dali é muito interessante: na década de 1980, quando Seu Modesto comprou a fazenda onde fica a dolina, o local estava abandonado. As pessoas contam que ali era um lugar de desova de corpos e alguns faziam ‘tiro ao alvo’ nos pássaros, fazendo com que as araras fugissem. O proprietário só soube da existência da dolina quando foi fazer medições da terra. Hoje, a área é totalmente reflorestada e se tornou uma Reserva Particular do Patrimônio Natural, onde 60 casais de araras reproduzem no inverno, um verdadeiro oásis para as espécies que habitam a cratera.

Rio Sucuri

Daniela Filomeno na Rio Sucuri (Foto: CNN Viagem&Gastronomia)

O passeio é feito na nascente do rio, a cerca de 1,5 km da sede da propriedade, uma grande fazenda. No caminho, o visitante anda cerca de 400 metros pela mata de onde se observa as principais nascentes que levam ao local principal de flutuação. São 1,8 km de flutuação em águas puramente cristalinas, potencializadas pelo solo branco de calcário, que também ajuda a filtrar a água, e uma alta incidência solar. Vale ressaltar que o Rio Sucuri, que leva o nome por causa de seu formato visto do alto, já entrou diversas vezes na lista de águas mais claras do mundo, sendo considerado o terceiro rio mais cristalino do Brasil.

Todo trajeto também pode ser feito em cima de um barco de apoio. O visitante segue até o encontro do Rio Sucuri com o Rio Formoso, onde a água começa a ficar um pouco mais esverdeada, sinalizando o fim do passeio e de onde todos voltam para a sede. Na volta, um almoço caprichado te espera.

Abismo Anhumas

Abismo Anhumas (Foto: CNN Viagem&Gastronomia)

Uma verdadeira viagem ao centro da Terra! A aventura é iniciada com uma descida de 72 metros em uma fenda na rocha por meio de um rapel mecânico. A seguir, já nas águas lá embaixo da caverna, há um passeio de bote inflável para conhecer as formações rochosas, que pode ser combinado com a flutuação ou um mergulho autônomo no lago de águas tão cristalinas que a visibilidade é de até 60 metros. A experiência de ficar frente a frente com a floresta de cones de até 17 metros de altura é incrível (é obrigatório realizar um checkpoint no dia anterior, tanto no Abismo Anhumas quanto na operadora de mergulho para apresentação da credencial de mergulho). A experiência de descer o abismo e me ver em meio às águas congelantes, no escuro e entre formações geológicas da caverna me deixou com um mix de medo e expectativa, que logo passou e deu lugar a uma sensação indescritível. Sem dúvida, um dos passeios mais impactantes que já fiz na vida!

Boca da Onça Ecotour

Janela para o Céu (Foto: CNN Viagem & Gastronomia)

Um verdadeiro circuito entre cachoeiras, rios cristalinos, mergulhos refrescantes e trilhas faz parte das atrações imperdíveis do complexo Boca da Onça, que fica em Bodoquena, a cerca de 70 km de Bonito, e que também dá nome à cachoeira do Mato Grosso do Sul. Destaco o Buraco do Macaco, uma cachoeira que dá acesso a um pequeno buraco. Mas se você ficar receoso em nadar pelas águas agitadas da cachoeira, é possível ver a depressão de cima. Para fotos estonteantes, a Janela para o Céu é uma queda d’agua ladeada pela vegetação, que forma uma piscina natural de fundo infinito para a Serra da Bodoquena.

O rapel é outra atividade aventureira da propriedade. Ali, paisagens de tirar o fôlego encantam os turistas. Para começar, é preciso fazer um treinamento na sede da fazenda em uma plataforma de 7 metros para aprender a manusear os equipamentos. Após o treino, todos seguem para o início do rapel, que é realizado em uma plataforma de 34 metros de comprimento que avança outros 15 metros sobre o precipício. Devidamente equipados, é hora de respirar fundo e começar a descida. São cerca de 90 metros de rapel negativo, onde se pode ver o cânion do Rio Salobra e os paredões de calcários que formam a paisagem. Depois, há uma trilha em mata preservada por 4 km, passando por oito cachoeiras com cinco paradas para banho, entre elas a Cachoeira Boca da Onça, a mais alta cachoeira do Mato Grosso do Sul, como já contei. Ainda passa-se pelo Buraco do Macaco, pela Janela para o Céu e a Cachoeira do Jabuti, todos pontos espetaculares e inesquecíveis!

Quem encara 90m de rapel? (Foto: CNN Viagem&Gastronomia)

Perdeu o programa? Confira na íntegra no nosso canal do YouTube:

*O programa CNN Viagem & Gastronomia vai ao ar todo sábado, às 21h, na CNN Brasil. A CNN está no canal 577 nas operadoras Claro/Net, Sky e Vivo. Para outras operadoras, veja aqui como assistir. Horários alternativos: domingo, às 03h50, 13h10 e 21h10; Segunda-feira, às 01h55. Ou veja a íntegra no nosso canal no Youtube.

Mais Recentes da CNN