As seis maiores maratonas do mundo

World Marathon Majors: conheça as seis maiores maratonas do mundo e saiba o porquê de serem tão desejadas pelos corredores

Maratona de Berlim 2019

Há quem diga que a melhor forma de conhecer uma cidade nova é andando por ela. Mas há quem diga, também, que a melhor forma de conhecer uma cidade nova é CORRENDO por ela. Esses são os corredores de rua, que conseguem unir muitas vezes duas grandes paixões: viagem e seu esporte preferido. Esse universo foi ganhando adeptos no mundo inteiro ao longo dos anos. Eles viajam a inúmeros países e cidades, buscando as tão sonhadas medalhas em diferentes destinos.

Presente em Jogos Olímpicos desde a primeira edição, em Atenas, em 1896, há milhares de maratonas espalhadas por diversas cidades e países. Porém seis delas formam o grupo das “World Marathon Majors” – consideradas as maiores maratonas do mundo. São elas: Boston, Nova York, Berlim, Chicago, Londres e Tóquio. Elas oferecem vagas para amadores e profissionais, separados sempre em pelotões, e podem ser disputadas por todos os que estejam dispostos a completar seus 42 quilômetros. Quer dizer, quase todos, como explica Marcos Paulo Reis, técnico da Seleção Brasileira de Triathlon em duas Olimpíadas e em dois Jogos Pan-americanos, e que há 30 anos abriu sua assessoria esportiva.

“Qualquer pessoa que seja saudável pode completar uma maratona. Entretanto é preciso ter vontade, disciplina e fazer uma boa preparação. Não é fácil, mas é plenamente viável. Se você não tem problema cardíaco, você vai chegar à sua maratona um dia”, brinca.

Para disputar uma das Majors, é necessário se programar com antecedência. “As inscrições para as provas são muito concorridas, e você pode garanti-las basicamente de quatro formas: por tempo classificatório estabelecido pelas organizações da prova, por sorteio, por doação a instituições de caridade ou comprando pacotes de agência de viagem que incluem essas inscrições”, explica o treinador.

Alunos da Marcos Paulo Reis Assessoria em Chicago (Foto: Arquivo Pessoal)
Alunos da Marcos Paulo Reis Assessoria em Chicago (Foto: Arquivo Pessoal)

Em tantos anos de história, muitos alunos de Marcos Paulo já completaram pelo menos uma das “Majors”. A assessoria disponibiliza toda a estrutura de prova necessária e faz o acompanhamento de todos os alunos. O administrador Guilherme Affonso, de 34 anos, que por 12 anos fez parte da MPR (Marcos Paulo Reis Assessoria Esportiva), foi além e conquistou as seis medalhas, cada uma com uma história diferente. Só a de Berlim, ele correu por três vezes, mas a última foi especial: sua esposa, que havia sofrido um acidente, também completou a prova e foi esperada na linha de chegada com muita emoção.

“A Gi começou a me acompanhar ao longo dos anos e pegou firme nos treinos de corrida também. Aproveitamos as provas para viajar, conhecer a cultura, culinária local e, claro, correr. A maratona de Berlim no ano passado foi uma prova diferente. Ela havia sofrido um acidente no meio da preparação, cerca de três meses antes. Com queimaduras de terceiro grau na mão e no braço direito, passou por um processo de recuperação bem difícil, com cirurgias e muita dor. Assistir à superação dela ao completar a prova foi inesquecível. Essa data também coincidiu com nosso primeiro aniversário de casados, além de eu ter conseguido bater meu recorde pessoal (2h46min02seg)”, conta Guilherme, que tomou gosto pela corrida ainda criança, influenciado por seu pai, também maratonista.

Giovanna sofreu acidente meses antes da Maratona de Berlim, mas completou a prova junto com seu marido, Guilherme (Foto: arquivo pessoal)
Giovanna sofreu acidente meses antes da Maratona de Berlim, mas completou a prova junto com seu marido, Guilherme (Foto: arquivo pessoal)

“Disputar essas provas foi muito especial. O clima, a quantidade de pessoas nas ruas torcendo, a organização, o percurso e toda a atmosfera são muito diferentes. Com certeza, pretendo fazê-las novamente”, planeja.

Ao longo dos anos, as maiores maratonas do mundo foram se tornando cada vez mais desejadas. A primeira vitória em uma dessas provas é conseguir uma inscrição. Uma maneira de garantir o “passaporte” direto para qualquer prova dos sonhos é recorrer a uma das agências de viagem autorizadas. Há hoje um mercado muito nichado de agências, que possuem algumas dessas inscrições. Elas disponibilizam pacotes e oferecem toda a logística da viagem do corredor. É o caso da ‘Rent a Tour’, que vende cerca de 1.500 pacotes de viagens com esse foco todos os anos para diversos lugares do mundo.

“Estamos há 30 anos no mercado e, desde de 2005, vimos o nosso negócio se transformar. Começamos a oferecer o produto de maratonas. Hoje, esse é o principal segmento da empresa. Oferecemos pacotes para provas do mundo inteiro e somos agência autorizada de todas as Majors, exceto a de Tóquio. As mais procuradas pelos brasileiros são Berlim e Nova York”, conta Daniel Carvalho, um dos sócios da Rent a Tour.

Agora que você já sabe que qualquer pessoa pode completar uma maratona, conheça um pouco mais sobre as Six Majors e, quem sabe, comece a se animar para completar alguma delas um dia.

Conheça as provas e suas curiosidades:

Maratona de Boston

A maratona mais antiga do mundo (perdendo apenas para a prova dos primeiros Jogos Olímpicos) é também a mais disputada e desejada pelos corredores de rua.

As vagas disponíveis para sorteio ou agência de viagens são muito reduzidas. Quase todas elas são destinadas aos corredores que conseguem um índice classificatório – que é um tempo estabelecido pela organização da prova a cada ano, por faixa etária. O ‘Glamour’ da prova está justamente em corrê-la por ter conseguido alcançar esse índice.

É necessário que o corredor tenha completado uma maratona no ano anterior dentro de um determinado tempo, em uma prova reconhecida pela organização (o último estipulado, por exemplo, entre homens de 18 e 34 anos, foi de 3h00min00seg). Caso tenha conseguido e comprovado o índice, ele possivelmente conseguirá sua inscrição. Possivelmente porque as vagas são limitadas.

Realizada anualmente em abril, a primeira edição da prova aconteceu em 1897, repetindo-se, a partir de então, todos os anos ininterruptamente – menos em 2020 por conta da pandemia.

Tradicionalmente, ela é corrida no feriado “Patriots Day”, que desde 1969, é comemorado na terceira segunda-feira do mês de abril. Boston é a única das majors que acontece em dia de semana. Sua linha de chegada é no centro da cidade. Para os corredores profissionais, esta é a maratona de maior premiação, totalizando US$ 868.000. Ela oferece US$ 150.000 a cada um dos campeões masculino e feminino.

A Maratona de Boston é a mais antiga dentre as Majors e é o sonho de qualquer maratonista (Foto: Reprodução Facebook)
A Maratona de Boston é a mais antiga entre as Majors e é o sonho de qualquer maratonista (Foto: Reprodução Facebook)

Maratona de Nova York

A maratona de Nova York acontece todo primeiro domingo de novembro. Sua primeira edição foi em 1970. Hoje, é considerada uma das maiores corridas do mundo. São mais de 50 mil concluintes todos os anos. A emoção começa já na largada, ao som da tradicional ‘New York, New York’, de Frank Sinatra.

O percurso é lindo, mas nada plano – quem não gosta de subidas não se dará bem nesta prova. O corredor passará pelos cinco distritos da cidade: Staten Island, Brooklyn, Queens, Bronx e Manhattan. A linha de chegada é no simbólico Central Park. Antigamente, o percurso de 42.195km era todo feito nele.

A atmosfera da corrida é bem marcante. Na rua, muitas pessoas torcendo. E cada distrito se organiza em uma espécie de competição para ver quem faz a melhor festa para os corredores que passam.

O percurso da Maratona de Nova York passa pelos cinco distritos da cidade e é cheio de subidas (Foto: Site Oficial)
O percurso da Maratona de Nova York passa pelos cinco distritos da cidade e é cheio de subidas (Foto: Site Oficial)

Maratona de Berlim

Considerada a prova mais rápida das Majors, os últimos recordes masculinos foram batidos nela. O percurso plano ajuda os corredores a superarem suas marcas pessoais.

O queniano Eliud Kipchoge é o atual dono do melhor tempo da prova. Em 2018, completou a maratona de Berlim em 2h01min39seg. No ano seguinte, o etíope Kenenisa Bekele esteve muito próximo dessa marca. Por apenas dois segundos, não alcançou um tempo melhor.

Essa prova acontece desde 1974, sempre no mês de setembro. Seu percurso começa e termina próximo do Portão de Brandemburgo. “Siga a linha azul” é a recomendação. No chão, os corredores poderão vê-la sinalizando exatamente o percurso, sem tangentes.

Como as outras Majors, essa prova é bem concorrida, mas muita gente não sabe que há uma segunda chance. Depois de um mês do sorteio inicial, a organização disponibiliza mais mil vagas por um valor maior. A diferença de preço é destinada a instituições de caridade.

Outra dica não menos importante: quem termina a prova pode comemorar na Oktoberfest, festa típica alemã, que rola no país bem na época da maratona.

Plana, a Maratona de Berlim é considerada uma das provas mais rápidas do mundo. Os últimos recordes masculinos foram batidos nela (Crédito: Site Oficial/Norbert Wilhelmi)
Plana, a Maratona de Berlim é considerada uma das provas mais rápidas do mundo. Os últimos recordes masculinos foram batidos nela (Crédito: Site Oficial/Norbert Wilhelmi)

Maratona de Chicago

Com mais de 45 mil corredores todos os anos, a maratona de Chicago é outra prova boa para quem quer fazer uma corrida rápida. O atual recorde feminino foi batido lá, em 2019, e pertence à queniana Brigid Kosgei, que completou o percurso em 2h14min04s.

O que o corredor não pode prever é o clima. Realizada desde 1977, ela acontece em outubro e já foi disputada tanto em temperaturas baixíssimas como sob a um sol de rachar. A largada e chegada são feitas no Grant Park, ponto turístico de Chicago. A maratona passa pelos 29 distritos da cidade.

As inscrições para essa prova são menos disputadas. Então, a dica é entrar para o sorteio, com grande chance de garantir sua vaga.

A Maratona de Chicago acontece sempre em outubro. O clima da cidade é imprevisível. Os maratonistas já correram desde um sol de rachar em um ano até temperaturas negativas em outro (Foto: Reprodução Site Oficial)
A Maratona de Chicago acontece sempre em outubro. O clima da cidade é imprevisível. Os maratonistas já correram desde um sol de rachar em um ano até temperaturas negativas em outro (Foto: Reprodução Site Oficial)

Maratona de Londres

A “prova da rainha” tem uma curiosidade muito legal e nobre. A organização prioriza os corredores locais. Com isso, as vagas para estrangeiros são menores. As doações são a chave para quem quer ter a chance de participar. Milhões de libras são arrecadadas para instituições de caridade. Em 2014, a maratona entrou para o Guiness como maior evento de arrecadação de caridade realizado em um único dia. Foram 53,2 milhões de libras.

Realizada desde 1981, também em outubro, tem um percurso que passa por diversos pontos turísticos como o Big Ben e a Tower Bridge. O trajeto começa na região Greenwich Park. Os quilômetros finais são emocionantes. O corredor dá uma volta no St James’s Park e é recepcionado por uma multidão no último sprint, passando pelo Palácio de Buckingham até subir a avenida The Mall.

Pacotes de agências, sorteio e doação são meios de estrangeiros conseguirem uma inscrição.

A Maratona de Londres passa pelos pontos principais da cidade. Chegar ao Palácio de Buckingham significa estar muito próximo à linha de chegada (Foto: Reprodução Facebook)
A Maratona de Londres passa pelos pontos principais da cidade (Foto: Reprodução Facebook)

Maratona de Tóquio

A maratona de Tóquio é realizada desde 2007, mas entrou no grupo das Majors recentemente, em 2013. Disputada em março, ela abre o calendário competitivo das seis principais maratonas. Em 2019, foram mais de 300 mil inscrições para cerca de 40 mil vagas.

A largada, perto do prédio do Governo Metropolitano de Tóquio, fica próxima da maior estação de metrô e trem do mundo, a Shinjuku. O trajeto passa por amplas avenidas e pontos turísticos da capital japonesa e impressiona os corredores com tamanha modernidade.

Se você pretende corrê-la, é necessário se programar bem. Pela longa distância, o ideal é que você chegue cerca de uma semana antes para se recuperar da viagem e do fuso horário.

DICAS GERAIS

► Todas as majors estão a horas de voos do Brasil. Algumas mais, outras menos, mas é importante que o corredor chegue com antecedência ao seu destino. Assim, terá dias para recuperação da viagem e poderá aguardar a largada com calma.

► Todas essas maratonas possuem espécie de feiras, feita em grandes centros de convenção. Essas “expos” abrem cerca de três dias antes da prova. É lá que o corredor irá retirar seu kit de prova, com número de peito, chip para controle de tempo e brindes. Lá também ele poderá comprar artigos esportivos e verificar o que há de mais moderno no mundo da corrida. Muitas marcas fazem exposição de seus produtos. A dica é chegar antes, visitar a feira com calma e não deixar para última hora. O último dia sempre é o mais lotado.

Na Expo de Chicago, torcedores retiram seus kits e conferem as novidades do mundo da corrida (Foto: Site Oficial)
Na Expo de Chicago, torcedores retiram seus kits e conferem as novidades do mundo da corrida (Foto: Site Oficial)