por: Viagem e Gastronomia Viagem e Gastronomia

Veja os destinos abertos a viajantes vacinados contra a Covid-19

Belize, Geórgia e Polônia são alguns dos destinos que facilitaram as restrições de fronteira para turistas totalmente vacinados

Ouvir notícia
Equador foi um dos países que reabriu suas fronteiras para viajantes totalmente vacinados (Foto: Getty Images)

Tamara Hardingham-Gill, CNN

Enquanto a pandemia de Covid-19 continua a causar estragos na indústria de viagens, incontáveis ​​destinos ao redor do mundo estão distribuindo vacinas para seus cidadãos mais vulneráveis. Mais de 500 milhões de doses do imunizante contra o novo coronavírus já foram lançadas em todo o mundo. Pelo menos 30 milhões de pessoas no Reino Unido receberam a primeira dose da vacina, enquanto os EUA administram atualmente cerca de 2,5 milhões de vacinas por dia.

No entanto, é importante ressaltar que, embora as principais vacinas contra a Covid-19 sejam cerca de 95% eficazes, não está claro se os indivíduos vacinados ainda podem ser infectados e espalhar o vírus para outras pessoas. Mas não há dúvida de que essas implementações bem-sucedidas são um passo na direção certa. Como resultado, vários destinos estão optando por eliminar ou facilitar significativamente as restrições de fronteira para os viajantes que foram totalmente vacinados.

De Belize à Islândia, aqui estão os destinos que estão reabrindo para turistas que receberam a vacina contra o coronavírus.

Leia mais
Como as ilhas Seychelles se apressam para se tornar o destino mais seguro do mundo
Como é a quarentena em um quarto de hotel de aeroporto? Vic Ceridono conta experiência em Londres
Devo viajar? Especialistas orientam sobre o que considerar durante a pandemia
Viajante brasileiro é o segundo mais recusado do mundo
Cansado da mesma vista? Conheça o mundo através das janelas de outras pessoas

(Foto: Getty Images)

Belize
Belize recentemente se tornou a primeira nação caribenha a receber turistas imunizados. Aqueles que podem provar que tomaram duas doses da vacina contra a Covid-19, pelo menos duas semanas antes da viagem, não precisam mais fornecer um teste tipo RT-PCR negativo antes de entrar.

Os viajantes não vacinados também são bem-vindos para visitar o país, localizado na costa leste da América Central, desde que apresentem um teste PCR negativo feito no prazo de quatro dias de sua chegada ou um teste rápido de antígeno feito nas 48 horas anteriores à viagem.

Os visitantes que não conseguirem apresentar um resultado negativo no teste ao chegarem serão examinados no aeroporto. Todos os turistas devem baixar o aplicativo Belize Health e preencher as informações relevantes no prazo de 72 horas após a chegada no país.

Chipre

Chipre
Chipre (Foto: Tunart / Getty Images)


Em dezembro, Chipre se tornou o primeiro destino a anunciar planos para permitir a entrada de viajantes que foram totalmente vacinados sem a necessidade de entrar em quarentena.

Embora tenha sido alegado anteriormente que as novas regras entrariam em vigor em 1º de março, isso nunca foi confirmado por funcionários do governo.

Viajantes totalmente vacinados de Israel receberam autorização para viajar para Chipre sem apresentar um teste PCR negativo ou entrar em quarentena a partir de 1º de abril. O vice-ministro do turismo, Savvas Perdios, indicou que isso será estendido a visitantes do Reino Unido, em 1º de maio.

Atualmente, ainda não está claro se a autorização será expandida, mas foi sugerido que as restrições à entrada de turistas de uma seleção de destinos escolhidos podem ser relaxadas um pouco nas próximas semanas.

Os viajantes com permissão para visitar Chipre têm a opção de fornecer um teste PCR negativo feito 72 horas antes da viagem ou fazer um teste na chegada. Eles devem, então, entrar em quarentena por duas semanas em acomodações designadas pelo governo. O período de isolamento pode ser ligeiramente reduzido se os viajantes forem submetidos a um teste molecular no décimo dia de quarentena por conta própria e receberem um resultado negativo.

No entanto, as autoridades estão considerando alterar isso para permitir que os viajantes dos Emirados Árabes Unidos, Arábia Saudita, Catar, Reino Unido e Israel entrem sem necessidade da quarentena, desde que apresentem um teste negativo e façam um segundo teste após aterrissar em Chipre.

Equador e Galápagos
Viajantes totalmente vacinados podem visitar o Equador, desde que apresentem um teste PCR negativo feito pelo menos três dias antes de sua chegada. Visitantes vacinados também podem viajar para o arquipélago de Galápagos, que faz parte do Equador, mas as regras são um pouco mais complicadas.

Aqueles que desejam visitar o Patrimônio Mundial da UNESCO depois de entrar no Equador devem fornecer um teste feito dentro de 96 horas antes de sua viagem. Isso significa que os turistas que planejam viajar para lá mais de 96 horas após a chegada ao Equador, precisarão fazer outro teste por conta própria.

As novas regras, que entraram em vigor em 22 de março, também se aplicam aqueles que testaram positivo para a Covid-19 e agora não apresentam sintomas. Crianças menores de 2 anos estão isentas das restrições. Os viajantes também devem aderir aos protocolos do Equador contra o vírus, como usar máscaras em locais públicos, manter o distanciamento social e evitar se reunir em grupos de mais de 10 pessoas.

Estônia

Estônia
Estônia (Foto: Alexander-Spatari / Getty Images)

A Estônia não apenas retirou os requisitos de quarentena obrigatórios para viajantes da União Europeia (UE), mas também os abandonou para aqueles com evidências que se recuperaram da Covid-19 nos últimos seis meses.

O país europeu também está aceitando vacinas de nove fornecedores em todo o mundo, em vez de apenas Moderna, Pfizer/BioNTech ou Oxford/AstraZeneca, os três aprovados pela UE. Apenas os certificados de vacinação produzidos em estoniano, russo ou inglês serão reconhecidos e os visitantes que já tiveram Covid-19 deverão apresentar um atestado médico, bem como um teste PCR recente indicando que não estão mais infectados com o vírus.

“Isso é uma solidariedade mútua. Se levarmos em conta as vacinas em uso em outros países, podemos esperar que elas também sejam levadas em conta em outros países”, disse Hanna Sepp, chefe do Departamento de Vigilância de Doenças Infecciosas e Controle de Epidemias do país.

A Estônia atualmente tem uma quarentena obrigatória de 10 dias em vigor para viajantes, com exceções para países europeus considerados de baixo risco, como Bulgária, Islândia e Noruega, também com evidências de um teste PCR negativo obtido dentro de três dias após a chegada. Aqueles que vêm do Reino Unido devem apresentar um teste PCR negativo feito 72 horas antes da chegada.

Geórgia
A Geórgia, que fica na encruzilhada entre a Ásia e a Europa, também optou por suspender as restrições para viajantes totalmente vacinados. Recentemente, o Ministério das Relações Exteriores do país anunciou que todos os visitantes que receberam duas doses de qualquer vacina contra a Covid-19 têm permissão para entrar sem a necessidade de um teste PCR negativo.

“Cidadãos de todos os países que viajam de avião de qualquer país podem entrar na Geórgia se apresentarem o documento confirmando o curso completo [duas doses] de qualquer vacinação contra a Covid-19 nos postos de controle de fronteira da Geórgia”, afirmou o Ministério das Relações Exteriores em comunicado.

Os viajantes não vacinados devem apresentar um resultado negativo no teste PCR, obtido até 72 horas antes da viagem, e devem fazer um segundo teste “à sua própria custa” no terceiro dia de estadia. Aqueles que viajaram para o Reino Unido dentro de 14 dias de sua visita devem passar por uma quarentena obrigatória de 12 dias na entrada.

Islândia
A partir de 1º de maio, viajantes totalmente vacinados de países da União Europeia, bem como de Liechtenstein, Noruega e Suíça, podem pular a quarentena ao chegarem à Islândia e não serão obrigados a apresentar um teste PCR negativo.

Os visitantes que puderem fornecer uma vacina em papel em islandês, dinamarquês, norueguês, sueco ou inglês, comprovando que receberam duas doses de uma das três principais vacinas contra a Covid-19, estarão isentos das restrições de fronteira. No entanto, aqueles que apresentarem um documento “inválido” terão que “passar por testes duplos com quarentena no meio”, de acordo com o Diretório de Saúde da Islândia.

O popular destino também planeja emitir “certificados de vacinação” digitais para cidadãos islandeses que foram vacinados “para facilitar o movimento de pessoas entre os países”. Chegados não vacinados de destinos onde a viagem para a Islândia é permitida devem fazer um teste de Covid-19 antes de entrar em quarentena por cinco a seis dias e, em seguida, realizar outro teste. Isenções serão permitidas em algumas circunstâncias, como aquelas com um motivo médico válido.

Guatemala

Guatemala (Foto: Getty Images)

Desde 24 de fevereiro, as restrições foram dispensadas para vacinados que visitam a Guatemala. Os turistas que apresentarem um certificado válido confirmando que receberam duas doses da vacina contra a Covid-19 têm permissão para entrar no país latino-americano sem a necessidade de quarentena ou mostrar um teste negativo.

No entanto, a segunda dose deve ter sido administrada pelo menos duas semanas antes do início da viagem. No momento, os não residentes que estiveram no Reino Unido ou na África do Sul nos 14 dias anteriores à sua chegada não têm permissão para entrar no país, independentemente do status de vacinação.

Os turistas que não estão imunizados contra o novo coronavírus ainda podem visitar, mas devem apresentar um teste Covid-19 negativo feito em até 72 horas após a chegada. A evidência de ter testado positivo para o coronavírus e, subsequentemente recuperado, também permitirá que os viajantes tenham acesso. Crianças menores de 10 anos estão isentas desses requisitos.

Os visitantes devem registrar seus dados por meio do site do Passe de Saúde da Guatemala 24 horas antes de chegar ao país.

Madeira
A Madeira, região autônoma portuguesa localizada no Oceano Atlântico, aceita visitantes totalmente vacinados da UE, Islândia, Listenstaine, Noruega e Suíça. O país, conhecido como a “Pérola do Atlântico”, também recebe aqueles que podem provar que se recuperaram de Covid-19 nos últimos 90 dias.

Antes de serem autorizados a entrar, os viajantes devem apresentar um certificado oficial de vacinação que informa as datas em que receberam cada dose da vacina. Quem for terá de seguir as medidas atuais da Covid-19 de Madeira, como o uso de máscaras faciais em locais públicos. Os restaurantes, bares e cassinos do país devem fechar às 18h.

Polônia

Polônia (Foto: Getty Images)

Viajantes de países da UE podem visitar a Polônia sem passar pela quarentena obrigatória de 10 dias “com base em um certificado que confirma a vacinação contra a Covid-19”.

Em 28 de dezembro, o país europeu suspendeu as restrições para chegadas que foram totalmente vacinadas. Aqueles que apresentarem um teste de SARS-CoV-2 negativo na chegada também estão isentos, desde que não haja mais de 48 horas entre o momento que receberam o resultado do teste e o momento em que cruzaram a fronteira.

Romênia
Desde 18 de janeiro, todos os viajantes que chegam à Romênia de destinos permitidos que foram totalmente vacinados contra a Covid-19 estão isentos da quarentena. As novas regras foram anunciadas pelo Comitê Nacional para Situações de Emergência do país europeu, que estipulou aos visitantes e residentes que deverão apresentar evidências de que receberam duas doses da vacina para evitar o isolamento obrigatório.

A segunda dose deve ter sido administrada pelo menos 10 dias antes da sua chegada. “A comprovação da vacinação, incluindo a data de aplicação da segunda dose, deve ser feita por meio de documento emitido pela unidade de saúde que a administrou, seja ela na Romênia ou no exterior”, destacou o comitê em nota.

Atualmente, os viajantes que chegam de países da “lista amarela” da Romênia, composta por destinos de alto risco epidemiológico, são obrigados a ficar em quarentena por 14 dias. Para aqueles que fizeram um teste PCR pelo menos 72 horas antes da entrada, é necessária quarentena por 10 dias.

Seychelles
Em janeiro, as Seychelles juntaram-se ao número crescente de destinos para eliminar os requisitos de quarentena para viajantes que foram vacinados contra a Covid-19. Depois de um lançamento bem-sucedido da vacina, o destino remoto situado na costa da Tanzânia relaxou ainda mais as restrições.

Desde 25 de março, todos os viajantes, exceto os da África do Sul, têm permissão para entrar nas Seychelles apresentando prova de um teste PCR negativo feito até 72 horas antes da viagem.

“Estamos confortáveis ​​por termos alcançado a imunidade que merecemos”, disse Sylvestre Radegonde, ministro das Relações Exteriores e Turismo das Seychelles. “Treinamos os estabelecimentos. Temos as instalações no local. As unidades de saúde estão lá e as medidas que implementamos estão funcionando. Portanto, estamos confortáveis ​​para reabrir”, finaliza.

(Texto traduzido, clique aqui para ler o original em inglês).

 

Mais Recentes da CNN