O difícil ano de 2020 nos aeroportos mais movimentados do mundo

Impactos da pandemia no transporte aéreo global indica ser improvável que os níveis de tráfego aumentem para os níveis de 2019 até 2024

Marnie Hunter, da CNN

Ouvir notícia
Avião decola do Aeroporto Internacional de Dubai, nos Emirados Árabes
Avião decola do Aeroporto Internacional de Dubai, nos Emirados Árabes
Foto: Christopher Pike – 15.fev.2019 / Reuters

Foram revelados os números finais para o tráfego de passageiros em 2019 e no primeiro semestre de 2020 nos aeroportos mais movimentados do mundo. A destruição do transporte aéreo global pela pandemia do novo coronavírus significa ser improvável que os níveis de tráfego aumentem para os níveis de 2019 novamente até 2024, de acordo com o Conselho Internacional de Aeroportos (ACI, em inglês), a associação comercial de aeroportos que compila os dados.

A lista de 2019 dos aeroportos mais movimentados do mundo, divulgada pelo ACI nessa quinta-feira (8), mostrou guium aumento de 3,5% no número de passageiros – chegando a mais de 9,1 bilhões – em comparação com 2018.

Pela primeira vez, o relatório analisou quedas drásticas ocorridas na primeira metade de 2020, quando os surtos de Covid-19 dizimaram o tráfego de passageiros. O número de passageiros diminuiu 58,4% em todo o mundo no primeiro semestre de 2020, em comparação com o mesmo período de 2019. O tráfego internacional de passageiros foi o mais atingido, com uma queda de 64,5%.

Os aeroportos de Atlanta, nos Estados Unidos, e Pequim, na China, ocuparam os dois primeiros lugares em 2019, com mais de 110 milhões e 100 milhões de passageiros, respectivamente. Os dois registraram quedas no tráfego de passageiros de 56,6% e 73,6% no primeiro semestre de 2020.

O Aeroporto Internacional de Los Angeles subiu uma posição em 2019 e se tornou o terceiro mais movimentado para o tráfego de passageiros, com mais de 88 milhões de passageiros em 2019. No primeiro semestre de 2020, a queda nesse aeroporto foi de 58,9%.

Caminho para recuperação

A indústria aeroportuária prevê uma redução de 60% nas receitas em relação às projeções anteriores, segundo o ACI. Para a organização e parceiros, a redução das restrições de viagens e dos requisitos de quarentena e uma abordagem global para testar o vírus são chaves para a recuperação.

“Estamos otimistas quanto ao futuro, mas precisamos de consistência e colaboração em todo o mundo em questões-chave como testes”, afirmou o diretor-geral mundial do ACI, Luis Felipe de Oliveira, em um comunicado.

“A indústria está unida na opinião de que testes generalizados de passageiros antes da viagem, como uma alternativa às restrições de quarentena, serão uma forma crucial de fomentar a confiança pública nas viagens aéreas e devem ser introduzidos.”

O ACI se alinha à Organização de Aviação Civil Internacional (ICAO) e à Organização Mundial da Saúde (OMS) no apelo por testes padronizados e eficientes. Contudo, em última análise, são os países os responsáveis por elaborar uma abordagem coordenada, e não os aeroportos.

Para Patrick Lucas, chefe de análises de negócios de aeroportos do ACI World, fazer testes como medida de segurança que aumentaria a confiança do viajante é apenas uma ação necessária, não somente para a recuperação da aviação, mas para todos os setores que estão interconectados.

“Quando aeroportos e companhias aéreas pedem algo assim, não é apenas para o nosso setor em si, é porque estamos muito conectados a outros setores. Estamos muito ligados, é claro, ao turismo e às indústrias de hospitalidade.”

Cerca de 60% dos turistas chegam aos seus destinos de avião, disse Lucas, “então tudo que está conectado ao turismo, os restaurantes e assim por diante, todos esses negócios estão conectados”.

As viagens aéreas começaram a aumentar desde os dias mais sombrios de abril, quando foram registradas quedas no tráfego de mais de 90%. No entanto, uma recuperação total provavelmente vai ocorrer vários anos depois.

Os 10 aeroportos mais movimentados do mundo

1. Atlanta (ATL) – 110,5 milhões de passageiros em 2019; tráfego caiu 56,6% no primeiro semestre de 2020

2. Pequim (PEK) – 100 milhões de passageiros em 2019; tráfego caiu 73,6% no primeiro semestre de 2020

3. Los Angeles (LAX) – 88,1 milhões de passageiros em 2019; tráfego caiu 58,9% no primeiro semestre de 2020

4. Dubai (DXB) – 86,4 milhões de passageiros em 2019; tráfego caiu 56,4% no primeiro semestre de 2020

5. Tóquio (HND) – 85,5 milhões de passageiros em 2019; tráfego caiu 59,2% no primeiro semestre de 2020

6. Chicago (ORD) – 84,6 milhões de passageiros em 2019; tráfego caiu 57,6% no primeiro semestre de 2020

7. Londres (LHR) – 80,9 milhões de passageiros em 2019; o tráfego caiu 60,2% no primeiro semestre de 2020

8. Xangai (PVG) – 76,2 milhões de passageiros em 2019; o tráfego caiu 68,1% no primeiro semestre de 2020

9. Paris (CDG) – 76,2 milhões de passageiros em 2019; tráfego caiu 61,4% no primeiro semestre de 2020

10. Dallas / Fort Worth (DFW) – 75,1 milhões de passageiros em 2019; tráfego caiu 48,2% no primeiro semestre de 2020

(Texto traduzido. Leia o original em inglês.)

Mais Recentes da CNN