Leões aproveitam quarentena para relaxar em parque na África do Sul

Patrulheiro do Parque Nacional Kruger flagrou bando de leões estirados no meio da estrada

Leões Africa do Sul
Leões estirados na estrada no Parque Nacional Kruger, na África do Sul
Leões estirados na estrada no Parque Nacional Kruger, na África do Sul 
Foto: Richard Sowry/Kruger National Park (15.abr.2020)

Os animais parecem estar se adaptando bem à vida sem humanos durante a pandemia do coronavírus.

Os leões estão aproveitando o período de paz e silêncio, como mostram fotos publicadas pelo Parque Nacional Kruger, na África do Sul, nesta semana.

As imagens mostram um bando de leões relaxando no meio da estrada, sem se incomodarem com a presença do fotógrafo, o patrulheiro do parque Richard Sowry.

“Essa alcateia de leões fica, normalmente, no parque contratual de Kempiana, uma área que os turistas de Kruger normalmente não veem”, disse a administração do parque em um tweet nesta quarta-feira (15). “Nesta tarde, eles estavam deitados na estrada asfaltada logo na saída da área de descanso Orpen”.

Em um dia comum, essa área estaria cheia de turistas, mas o Kruger está fechado desde 25 de março, como parte das restrições impostas pelo governo sul-africano para conter a COVID-19.

“[Os leões] se deitarem na estrada durante o dia é pouco comum, porque normalmente haveria tráfego de carros e pedestres, o que os força para o meio dos arbustos”, disse o porta-voz do parque Isaac Phaahla à CNN.

Leões deitados na estrada no Parque Nacional Kruger, na África do Sul
Leões deitados na estrada no Parque Nacional Kruger, na África do Sul 
Foto: Richard Sowry/Kruger National Park (15.abr.2020)

Apesar das fotos serem impressionantes, Phaahla disse que a quarentena não causou muitas mudanças no comportamento dos animais.

“Eles só ocupam lugares que normalmente evitariam quando há turistas”, explicou. “As pessoas devem se lembrar que o Parque Kruger é uma área bastante intocada, e que, na ausência de humanos, a vida selvagem fica mais ativa”.

Visitantes estão barrados, mas a entrega de comida e combustível, os serviços de segurança e emergência e as operações para coibir crimes contra a vida selvagem continuam funcionando”, disse a administração dos parques nacionais da África do Sul, a SANParks.

“Gostaríamos de agradecer ao público pelo apoio às estratégias de mitigação do impacto da COVID-19, todos nós temos a obrigação de achatar a curva de transmissão”, disse o CEO da SANParks, Fundisle Mketeni em nota.

O presidente da África do Sul, Cyril Ramaphosa, anunciou inicialmente uma quarentena de 21 dias. No entanto, em 8 de abril, ele prorrogou as medidas até o fim do mês.