Exposições virtuais para visitar sem sair de casa

Em tempos de pandemia, museus disponibilizam suas mostras em cartaz em ambiente digital

Matéria atualizada em 16/03.

Sabia que, em um clique, é possível visitar exposições sem sair de casa? É que com a pandemia muitos museus, e galerias começaram a disponibilizar no ambiente digital suas mais recentes curadorias, uma manobra sem fronteiras que expande o alcance das mostras, sem deixar carente os apaixonados por cultura. Acomode-se no seu lugar preferido e faça esse tour virtual pelas obras. São gratuitas e é possível retornar quando desejar! Bom passeio!

Farol Santander
Bem-vindo à este tour virtual pela exposição ExFinito, primeira grande mostra individual no Brasil do artista chileno Iván Navarro, um expoente da arte contemporânea. Instalada no 22º andar, a mostra, inaugurada em 18 de dezembro de 2020, ficará disponível no site do Farol enquanto o edifício estiver fechado para visitas presenciais.

O passeio online traz 14 obras expostas de Navarro, além da instalação Escada (Caixa d’Água), intervenção externa na Praça Antônio Prado, localizada em frente ao Farol Santander, e que também já foi exposta no Madison Square, em Nova York. A ideia é provocar dúvidas e potencializar nossos sentidos através de uma grande instalação em forma de labirinto, com obras e elementos que exploram luzes, espelhos, vidros e eletricidade. Em uma experiência sensorial, o público se vê em um jogo entre corpo e visão, em uma dimensão paralela da realidade, na ilusão de um infinito. Acesse aqui.

Covid Art Museum
Foi o primeiro museu que nasceu desde que a pandemia do coronavírus se espalhou pelo mundo. Com os espaços fechados, toques de recolher e isolamento social, artistas precisaram procurar outras maneiras e formatos de exporem seus trabalhos. São pinturas, colagens, fotografias e ilustrações totalmente conectados com o impacto social causado pela Covid-19. Quem criou o projeto foi o trio Emma Calvo, Irene Llorca e José Guerrero, de Barcelona, que selecionam obras via Instagram, através da #CovidArtMuseum, ou de um formulário fornecido pela rede social. Vale conferir cada um!

Bordado em algodão cru do artista @rabiscando compartilhado no Museu do Isolamento

Museu do Isolamento
O 1º museu totalmente digital do Brasil reúne artes e reflexões para e sobre o cotidiano dos brasileiros. Nascido da vontade de dar visibilidade a memórias, histórias e olhares sobre o mundo, a página foi criada por Luiza Adas, que desde 2018 trabalha e produz conteúdos sobre arte e cultura no perfil @florindolinhas. A curadoria do @museudoisolamento é focada em encontrar artistas independentes que produzam trabalhos que dialoguem com temas contemporâneos, trazendo a público questionamentos e ideias que, através da arte, nos ajudem a compreender o mundo lá fora e o que habita dentro de nós também. “Com a impossibilidade de ir à museus, nasceu a ideia de querer criar uma plataforma para que as pessoas pudessem continuar se nutrindo de arte e cultura, porque acredito, inclusive, que é uma ferramenta que permite “irmos pra fora” mesmo quando estamos dentro de casa. Existem pessoas que falam que quem vive de passado é museu, mas no Museu do Isolamento se vive de presente.”

Sesc Digital
Na plataforma Sesc Digital, é possível navegar por catálogos e publicações educativas, além de vídeos-passeio, entrevistas com curadores e séries produzidas especialmente para o ambiente digital, a partir de exposições realizadas recentemente nas unidades do Sesc São Paulo. Mais de 60 catálogos, além de materiais de exposições recentes estão online na página. Clicando, é possível passear pela Infinito Vão: 90 Anos de Arquitetura Brasileira, um recorte da história da arquitetura nacional por meio de obras e projetos arquitetônicos de 96 figuras emblemáticas do setor, como Lina Bo Bardi e Vilanova Artigas; conhecer os bastidores e as obras em exposição na Transbordar: Transgressões do Bordado na Arte com obras realizadas por artistas que fazem do bordado um meio expressivo contestador de hierarquias estéticas e sociais; e, ainda, admirar o olhar do fotógrafo Sebastião Salgado na GOLD – Mina de Ouro Serra Pelada, que mostra a realidade do maior garimpo a céu aberto do mundo, na região da Amazônia Paraense.

O Mar
O Museu de Arte de Rua coloca a arte urbana em foco! Com obras de 40 artistas brasileiros, o museu a céu aberto reúne painéis em empenas de prédios e em muros assinados por grandes nomes da cena, como Mundano, Speto, Verena Smit, Felipe Morozini e muitos outros.

Obra de Paulo ito, um tributo aos profissionais da saúde

Passeie por todos eles pelo computador mesmo, aí da sua casa, clicando no nome do artista à direita ou no mapa, à esquerda da sua tela. Além de admirar o trabalho (dá pra apreciar bem de pertinho, de diversos ângulos), ainda é possível fazer um giro 360° pela região da cidade onde eles “moram”. A ação joga mais do que luz a esta expressão artística. Incentiva e dissemina obras feitas com grafite, estêncil e câmera fotográfica. Houve, ainda, um cuidado à temática: há intervenções conectadas à pandemia da Covid-19 através de homenagens de quem está na linha de frente do combate e mensagens de alento e esperança. O projeto é uma iniciativa da Prefeitura de São Paulo em parceria com as secretarias municipais de Cultura, Subprefeituras e Educação. Clique aqui e navegue!

Beatriz Milhazes e Chiquinha Gonzaga, no Itaú Cultural
Em cartaz, as duas exposições ganham versões online. “Temos de considerar que, mesmo com todos os protocolos de segurança seguidos por nós e demais equipamentos culturais, o público se expõe nos deslocamentos. É hora de aprofundarmos as nossas ações virtuais para dar uma contribuição adicional.” diz Eduardo Saron, diretor da casa.

Clicando aqui , o visitante mergulha na exposição de Beatriz, tendo o curador da mostra, Ivo Mesquita, como guia. Há ainda a possibilidade de desbravar a mostra em uma visita em 360 graus pelos três andares expositivos da casa, podendo escolher os eixos a serem vistos enquanto o processo de criação é comentado pela própria artista, que traz observações sobre seu trabalho e impressões e percepções sobre sua obra. A mostra ocupa os três andares do espaço expositivo, com 79 obras –três delas, inéditas: Havaí em amarelo vibrante, Cor de pele e Giro horizontal.

Obra de Beatriz Milhazes

Já para ter acesso ao material da expo de Chiquinha Gonzaga, clique aqui. O hotsite contém, por exemplo, vídeoguia em Libras, linha do tempo, quizz, fotos, gravações de músicas da compositora e glossário musical da época. A ferramenta também traz as gravações de Dona Jacira, multiartista e mãe de Emicida; Jup do Bairro, cantora, compositora e apresentadora; Beth Beli, percussionista e fundadora do bloco carnavalesco Ilú Obá De Min, a atriz Indira Nascimento e a cantora Fabiana Cozza sobre textos escritos pela dramaturga Maria Shu, e narrados por elas como se fossem depoimentos da própria maestrina sobre sua vida.

Leonardo Da Vinci, no MIS
O MIS, Museu da Imagem e do Som, lançou o projeto MIS Experience, um novo equipamento cultural do Estado de São Paulo, criado em parceria com a Secretaria de Cultura e Economia Criativa e a TV Cultura. Com foco em experiências multissensoriais, o espaço apresenta a exposição Leonardo da Vinci – 500 anos de um gênio, concebida pela Grande Exhibitions, empresa sediada em Melbourne, na Austrália.

Respire fundo e entre nesta que é considerada a investigação mais completa e detalhada sobre o trabalho de da Vinci a cruzar o mundo. Criada em parceria com o Museo Leonardo da Vinci, em Roma, e com colaboração de diversos especialistas e historiadores da Itália e da França, a mostra soma 18 áreas temáticas que contam a trajetória do grande gênio renascentista. É possível passear por todas as áreas da exposição. Demore-se na sala imersiva Sensory4™ com imagens em 360 graus! Ao se aproximar dos objetos, o visitante é convidado a viver uma experiência de realidade aumentada, sendo possível ve-los de pertinho e ler sobre eles logo ao lado, clicando na plaquinha. Há também uma série de vídeos com conteúdos que revelam aspectos curiosos do artista, auxílio de um audioguia e acesso às observações científicas e técnicas de Leonardo em suas anotações e esboços, dos quais cerca de 6.000 páginas ainda existem! E, claro, uma sala totalmente dedicada à Monalisa! Sem mais spoiler, clique aqui e aproveite!

Leia mais
Museus online: pelas principais coleções do mundo
Delivery já: 15 restaurantes italianos para pedir em São Paulo
Delivery de café da manhã saudável em São Paulo
5 séries para apaixonados por gastronomia

Art Nouveau, Björk, Ivan Serpa no Centro Cultural Banco do Brasil
O CCBB disponibilizou todo seu conteúdo expositivo, em cartaz nas sedes de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Distrito Federal, em seu site para mergulho dos visitantes. A mostra Alphonse Mucha: o legado da Art Nouveau está disponível para tour virtual em 360º; Björk Digital, dedicado à artista islandesa, em cartaz apenas no Rio, agora pode ser visitada por pessoas de todo o Brasil. O mesmo acontece com as obras de Ivan Serpa e a sua Expressão do Concreto, disponível agora em passeio virtual. Sons e textos de apoio acompanham o visitante por todas as mostras, que são gratuitas e podem ser acessadas quantas vezes desejar! Clique aqui!

Obra “Frida em Azul” da artista Andrea Mariano

27 Artistas retratam o empoderamento feminino no Up Time Art Gallery
A exposição 3D “Empoderamento Feminino” é promovida pela UP Time Art Gallery, galeria de arte itinerante que reúne artistas do Brasil e de países da Europa para disseminar o que há de melhor na arte contemporânea. A exibição é 100% online e gratuita e busca homenagear a luta feminina no mês que abriga o Dia Internacional da Mulher, celebrado em 08 de março. A mostra é também uma oportunidade de conhecer novos artistas, de diferentes nacionalidades, do cenário da arte independente, por meio de obras visuais que tem o feminino como protagonista. Disponível até 29 de março, a exposição traz também depoimentos dos artistas. Clique aqui e usufrua!

Antonio Dias no MAM
Antonio Dias: derrotas e vitórias é a exposição dedicada a Antonio Dias (1944 – 2018), artista singular da arte contemporânea brasileira, autor de obras multimídias, repleta de engajamento social e político, ironia e sensualidade. Com curadoria de Felipe Chaimovich, a mostra traz obras emblemáticas, com textos de apoio, muitas delas raramente exibidas, todas vindas diretamente do acervo pessoal do artista. Veja no Google Arts & Culture

Cantando na Chuva, 2014/15, Berna Reale

20 anos do Clube de Colecionadores de Fotografia no MAM
A história da fotografia moderna e contemporânea no Brasil se funde, por diversos momentos, com o surgimento do Clube de Colecionadores de Fotografia do Museu de Arte de São Paulo, nascido nos anos 2000 por iniciativa de Tadeu Chiarelli, na época curador-chefe da casa. Com curadoria de Eder Chiodetto, a mostra reúne trabalhos de diferentes gerações e linguagens artísticas, criações emblemáticas de nomes como Adriana Varejão, Berna Reale, Cláudia Andujar, Nuno Ramos e Miguel Rio Branco. Destaque para a obra ‘Cantando na Chuva’ (2014) de Berna e ‘Trancoso, Bahia’ (1999/2011) de Araquém Alcântara. Para acessar? vá no Google Arts & Culture