Dia Mundial do Rock: um tour pelas cidades que todo fã deveria conhecer

Conheça os destinos que são berço de astros e histórias deste ritmo que revolucionou para sempre a cena musical do mundo

Estátua dos Beatles em Liverpool (Foto: Getty Images)

“I wanna rock´n´roll all night!”, diz o refrão da música homônima da banda Kiss. Sentimento parecido se dá durante este tour pelas cidades que marcaram para sempre a história do rock, seja por serem lar de bandas ou astros icônicos ou palco de algum acontecimento memorável.

Freddie Mercury no Live Aid, em Londres (Foto: Getty Images)

O roteiro é uma celebração ao Dia Mundial do Rock, comemorado todo 13 de julho desde 1985, quando bandas como U2, The Who, Queen, e nomes como Paul McCartney, Madonna, Elton John, David Bowie e Mick Jagger, entre outros, se reuniram para dar vida ao histórico festival Live Aid, com o objetivo de arrecadar fundos para combater a fome na Etiópia. Os shows, que aconteceram no Wembley Stadium, em Londres, e no JFK Stadium, na Filadélfia, foram tão grandiosos e impactantes que entraram para história: a partir deles, instituiu-se a data.

Nossa comemoração é, então, viajando! Vamos visitar locais que fazem parte da história do ritmo que revolucionou a cena musical do mundo:

Liverpool

Impossível falar de rock e não citar os Beatles! O quarteto despontou na década de 1960 e, junto com eles, a cidade que os abrigou no início: Liverpool. O destino reúne endereços que foram eternizados nas canções da banda, como a rua Penny Lane, o orfanato Strawberry Field, ou ainda o nº 20 da Forthlin Road, perto da West Allerton Station, onde Paul MacCartney nasceu! E, claro, o pub Cavern Club, onde tudo começou.

Cavern Club em Liverpool (Foto: Getty Images)

Londres

A capital inglesa também guarda vestígios do furacão Beatles em seu mapa. A icônica Abbey Road, endereço que todo turista precisa conhecer e tirar uma foto.  Assim como a casa de Freddy Mercury na Garden Lodge, Logan Place 1. É da cidade também que imergiu rumo ao estrelato algumas das maiores bandas de rock do mundo todo: Led Zeppelin, David Bowie, Rolling Stones, Queen, Pink Floyd e The Clash.

Manchester

Nessa lista de cidades-berço do rock, o Reino Unido é um destino imperdível! Outro point obrigatório aos roqueiros é Manchester. A cidade trouxe ao mundo Joy Division, The Smiths e os irmãos Gallagher, fundadores do Oasis.

Leia mais
74% dos turistas brasileiros preferem viajar a encontrar o verdadeiro amor, diz pesquisa
Quanto custaria alugar o Palácio de Buckingham?
Viaje de trem por paisagens incríveis sem sair de casa
Drive and listen: “dirija” pelas principais cidades do mundo ao som de rádios locais

Seattle

Outra cidade-mãe do rock que precisa estar no roteiro é Seattle, nascente do grunge. Somente dessa cidade saíram Pearl Jam, Nirvana, Alice In Chains, The U-Men, SoundGarden e Jimi Hendrix, entre outros expoentes. Quando estiver na cidade, não deixe de ir ao The Crocodile. Nirvana, Cheap Trick e MudHoney, entre outras bandas, não saiam de lá! Vá também ao The Showbox, casa de shows em que Pearl Jam deu o acorde inicial de sua carreira; ao Museum of Pop Culture, o MoPOP, museu dedicado a cultura pop e que engloba, dentre tantas pautas musicais e culturais, assuntos de absoluto interesse aos roqueiros. Dentre as exibições permanentes há uma dedicado ao Pearl Jam.

Kerry Parque em Seattle (Foto: Getty Images)

Chicago

The Smashing Pumpkins, Eddie Vedder, Cheap Trick, Muddy Waters, Patti Smith e Wilco foram alguns dos nomes que nasceram da cidade e, por isso, fazem dela passagem obrigatória aos fãs.

Nova York

Grupo Blondie em Nova York (Foto: Chris Gabrin/Redferns/Getty Images)

Para além das múltiplas influências e fusões gastronômicas, culturais, sociais, étnicas, Nova York tem imensa importância para a cena musical, do jazz à cena punk rock. Kiss, Blondie, Velvet Undergrond, Ramones, Talking Heads e New York Dolls (entre muitos outros nomes e bandas) receberam luzes dos holofotes e tocaram suas primeiras notas de guitarra na cidade norte-americana.

Na década de 1960, 1970, os palcos e balcões de lugares como CBGB e Max’s Kansas City, por exemplo, foram ponto de encontro de músicos, poetas e artistas que flertavam com o rock´n´roll. Uma vez em NY, claro que você vai até o Central Park. Ali visite o Strawberry Fields Memorial, onde há um mosaico em homenagem a John Lennon formando a palavra Imagine. Bairros como East Village, Brooklyn, Williamsburg e Greenpoint guardam uma grande variedade de bares que tocam rock.

Memphis, Estados Unidos

A história conta e, muitos fãs sustentam, que o rock nasceu aqui, na união do blues com a country music. Fato é que Memphis é a cidade de Elvis Presley e também da Sun Records, gravadora fundada em 1952 que viu B.B. King, Elvis, Johnny Cash e Jerry Lee Lewis cantarem e ainda hoje é aberta para visitação. Vá também a Graceland, a mansão onde Elvis viveu por 20 anos. Coloque no seu roteiro uma visita ao Rock’n’Soul Museum e uma caminhada demorada pela Beale Street, conhecida como Home of the Blues Movement, endereço onde vários artistas, como B.B. King, Louis Armstrong e Muddy Waters, foram descobertos.

Graceland foi a cada de Elvis Presley (Foto: Getty Images)

Cleveland, Estados Unidos

O Rock and Roll Hall of Fame and Museum abriu as portas em setembro de  1995 e oferece uma verdadeira imersão na história do rock através de arquivos imagéticos e sonoros, peças de roupas, manuscritos originais, instrumentos, além de deter relíquias, como a maior coleção pública do Elvis Presley fora de Graceland.

Brasília

Philippe Seabra, da banda Plebe Rude, durante show de inauguração da primeira  placa da Rota do Rock, na Torre de TV (Foto: Cláudio Gerber/Setur-DF)

É a capital federal, cidade-museu a céu aberto, lar de algumas das principais bandas de rock do Brasil.
Capital Inicial, Legião Urbana, Raimundos, Plebe Rude, e mais, fizeram do destino a capital do rock brasileiro. Tanto, que criou-se a Rota do Rock, iniciativa da Secretaria de Turismo (Setur-DF) em parceria com a faculdade União Pioneira de Integração Social (Upis) e curadoria de Philippe Seabra, vocalista da Plebe Rude. A ideia é oferecer aos moradores e visitantes uma experiência única de conhecer Brasília pelo olhar deste estilo musical consagrado na história da cidade. Locais como a Colina – UNB, o bar Cafofo (que com o surgimento das primeiras bandas passou a ser usado para ensaios e pequenos shows no porão) e o Radicaos (considerado o templo punk de Brasília, foi inaugurado em 1984 e viu passar pelo pequeno palco do seu porão a nata do rock brasiliense rumo ao estrelato) compõem a rota.

São Paulo

A cidade abriga a Galeria do Rock, um dos locais que mais reúne lojas dedicadas ao mundo do rock do mundo. São roupas, discos, acessórios, calçados, tatuagens, piercings, bottons, bonecos todos com a temática rocker. Com certeza você encontra a camiseta do seu ídolo por ali!