por: Viagem e Gastronomia Viagem e Gastronomia

Devo viajar? Especialistas orientam sobre o que considerar durante a pandemia

Alguns países europeus impuseram medidas restritas para que as pessoas fiquem em casa

Ouvir notícia

Por Marnie Hunter, CNN

O desejo reprimido de viajar só se intensificou com a fadiga global das restrições impostas pela pandemia e a vacinação em andamento em alguns países. E a temporada de viagens para curtir o verão está se aproximando rapidamente no hemisfério norte.

Nos Estados Unidos, muitas pessoas – como pode ser visto nas multidões nas férias de primavera na Flórida e nas últimas contagens de passageiros nos pontos de controle de segurança dos aeroportos – já estão se movimentando, estejam vacinadas ou não.

Alguns americanos estão aguardando a orientação do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês) dos EUA sobre viagens para as pessoas que estão totalmente vacinadas, enquanto outras que tomaram suas doses de vacina já estão viajando ou fazendo planos.

Em vários pontos do mundo, as pessoas estão perguntando: “posso viajar – e eu deveria?”. As respostas nunca são universais. Na Suécia, que não fez o lockdown imposto por seus vizinhos escandinavos e registrou um número maior de mortes, o site da Agência de Saúde Pública enfatiza “grande responsabilidade pessoal” para os viajantes seguirem as orientações locais e evitar a propagação do vírus.

Leia mais:
Como é a quarentena obrigatória em um quarto de hotel de aeroporto?
Viajante brasileiro é o 2º mais recusado do mundo
Quando poderemos fazer um cruzeiro novamente?

No Reino Unido, as viagens – domésticas ou internacionais – estão atualmente proibidas pelo governo. Na Irlanda, os cidadãos devem permanecer em um raio de 5 quilômetros de suas casas para se exercitarem. Os Estados Unidos, claramente, têm muito menos restrições quanto a isso. Quando e quão longe você pode viajar – e se a escolha é sua – depende de onde você mora e, em muitos casos, de sua própria tolerância ao risco.

Devo viajar?
Os especialistas da área médica geralmente evitam responder sim ou não, mas a analista médica da CNN, Dra. Leana Wen, considerou a orientação recente do CDC, que disse para americanos vacinados evitarem viagens, “excessivamente cautelosa de uma forma que desafia o bom senso”.

Há um baixo risco de pegar ou transmitir o coronavírus em trânsito, especialmente quando as pessoas estão viajando em veículos particulares, disse Wen, médica de atendimento de emergência e professora visitante da Escola de Saúde Pública do Instituto Milken da Universidade George Washington. As viagens aéreas, especialmente quando todos estão de máscara, também são bastante seguras, disse ela.

“Se a viagem representa um risco muito baixo por si só, por que não podemos dizer que pessoas totalmente vacinadas podem viajar para diferentes partes do país para visitar seus parentes, desde que não estejam reunindo muitas pessoas não vacinados que moram em casas diferentes?”.

A orientação do CDC permite que as pessoas vacinadas se reúnam em ambientes fechados e sem máscaras com outras pessoas vacinadas ou com pessoas não vacinadas de outra residência, diz Wen.

O CDC afirmou que planeja divulgar orientações de viagem para americanos vacinados em breve. Segundo Wen, mesmo aqueles que não foram vacinados podem viajar de maneira relativamente segura, se forem com o objetivo de ver uma outra família. “Isso é de baixo risco e há maneiras de pessoas não vacinadas fazerem isso com segurança. Por exemplo, elas podem ficar em quarentena e fazer o teste antes da viagem”, disse ela.

Da Irlanda, Tony Johnston aborda a questão “devo viajar?” a partir de uma perspectiva turística e não médica, e tem uma resposta definitiva na outra direção. Não devemos viajar ainda, diz ele.

“As pessoas precisam permanecer cautelosas e conservadoras por mais alguns meses. O grande prêmio, se as pessoas forem pacientes, é que a indústria do turismo internacional reabrirá mais cedo ou mais tarde”, disse Johnston, que é chefe do departamento de hospitalidade, turismo e estudos de lazer no Instituto de Tecnologia Athlone.

Outra onda do vírus pode prejudicar a reabertura, disse ele, observando que a indústria hoteleira da Irlanda ainda está completamente fechada. Os políticos estão pedindo uma reabertura muito cautelosa, dado o número disparado de hospitalizações e mortes no país após o Natal.

A preocupação é o que acontece quando você chega no destino
Para aqueles que planejam viajar, o que você faz quando chega ao seu destino costuma ser uma preocupação maior do que o que acontece enquanto está em trânsito, disse o Dr. William Schaffner, especialista em doenças infecciosas do Vanderbilt University Medical Center em Nashville, no Tennessee.

“A maneira mais cuidadosa de viajar é de carro, porque você pode criar um casulo de proteção, pode entrar e sair correndo dos banheiros, pode pegar comida no drive-thru, pode levar lenços umedecidos para limpar a bomba de gasolina quando você está reabastecendo o tanque”.

“Mas, mais uma vez, é o que você faz quando você chega que aumenta o risco”.

As pessoas que estão curtindo as férias de primavera na Flórida estão se reunindo na praia, do lado de fora, mas depois vão a bares e restaurantes “e é quando eles tomam um ou três drinques e as máscaras são retiradas, falam com entusiasmo e ficam perto de outras pessoas em um ambiente fechado por períodos prolongados de tempo”, disse Schaffner.

Enquanto o CDC solicita as pessoas para ficarem em casa, a agência delineou as principais considerações e medidas de segurança para aqueles que sentem que devem viajar. Isso analisa vários aspectos da viagem – do transporte à alimentação e hospedagem – e classifica as abordagens de cada uma, da mais segura para a menos segura.

Os viajantes que planejam se envolver em atividades de alto risco devem esperar até serem vacinados, disse Wen, “e mesmo assim tentar escolher suas atividades, porque você não quer fazer tudo que é de alto risco ao mesmo tempo”.

Cuidado é essencial – para viajantes não vacinados e vacinados
Lembre-se de que as vacinas não são uma “armadura”, diz Schaffner. Ainda é importante usar máscaras e manter o distanciamento social o máximo possível.

Schaffner e sua esposa conversaram recentemente com três outros casais que eles conhecem, todos totalmente vacinados e com planos de viagem em breve. Sua esposa recentemente foi de carro para Flórida com uma amiga, que tem sido muito cuidadosa e foi testada com antecedência, para cuidar de alguns negócios em sua casa lá.

“Elas foram absolutamente meticulosas” quanto à segurança, disse ele. Faziam a maior parte das refeições em casa, com exceção de um almoço em “um local totalmente ao ar livre, onde essencialmente não havia outras pessoas por perto”. Se você não foi vacinado e se envolveu em comportamentos de alto risco enquanto estiver viajando, você deve fazer quarentena e o teste assim que chegar em casa, disse Wen.

O melhor conselho para quem pretende viajar em breve?
Em primeiro lugar, “por favor, faça tudo o que puder para ser vacinado. Em segundo lugar, se você não pode ser vacinado, faça o teste antes de ir para ter certeza de que você deu negativo. E terceiro, onde você está indo e o que você pretende fazer? Por favor, seja o mais cuidadoso possível”, diz Schaffner.

(Texto traduzido, clique aqui para ler o original em inglês)

 

Mais Recentes da CNN