‘Cruzeiro para lugar nenhum’ volta a Singapura após caso de Covid-19 a bordo

Visando criar ambiente mais seguro contra o coronavírus, Singapura instituiu o 'cruzeiro a lugar nenhum'. Um passageiro, porém, testou positivo durante viagem

Um navio da companhia Royal Caribbean – que se tornou conhecido mundialmente como o “cruzeiro para lugar nenhum” – retornou ao porto de Singapura após um passageiro testar positivo para a Covid-19.

O navio Quantum of the Seas inovou ao criar um itinerário “para lugar nenhum” de três noites e quatro dias em torno de Singapura, sem um destino. O cruzeiro faz parte de um programa muito elogiado para revigorar as viagens domésticas no país em meio à crise do turismo por conta da pandemia do novo coronavírus.

A Royal Caribbean confirmou à CNN que um passageiro a bordo do navio testou positivo para o vírus após fazer o check-in.

Navio de cruzeiro em alto-mar
O CDC classifica as viagens em navios de cruzeiro como de “Nível 4: Nível muito alto de Covid-19”
Foto: Divulgação / Pixabay

Com o diagnóstico positivo, o Quantum of the Seas retornou ao porto. Agora, os passageiros não terão permissão para desembarcar do navio até que todas as medidas de rastreamento de contato tenham sido tomadas.

“Trabalhamos em estreita colaboração com o governo para desenvolver um sistema completo que testa e monitora todos os hóspedes e tripulantes e segue as melhores práticas de saúde pública”, disse um representante da Royal Caribbean. “O fato de termos sido capazes de identificar rapidamente este único caso e tomar medidas imediatas é um sinal de que o sistema está funcionando como foi projetado para fazer.”

Annie Chang, diretora de cruzeiros do Conselho de Turismo de Singapura, disse ao jornal The Straits Times que todos os contatos próximos do passageiro infectado deram resultados negativos para o novo coronavírus, mas serão isolados como medida de precaução.

“O bem-estar e a segurança da nossa comunidade local, bem como dos passageiros e tripulantes, continuam a ser uma prioridade. Todos os passageiros passam por um teste de Covid-19 obrigatório antes do embarque, com medidas rigorosas de higiene e segurança implementadas durante a viagem”, acrescentou.

O navio estava operando com 50% da capacidade. Todos os passageiros tiveram que apresentar prova de teste negativo para a Covid-19 antes de embarcar e usar máscaras em todos os momentos fora de suas cabines.

Apenas cidadãos de Singapura tiveram permissão para comprar passagens para o cruzeiro, e membros da tripulação de todo o mundo passaram 14 dias em quarentena na cidade-estado para serem liberados para o trabalho.

Como medida extra de higiene, o ar fresco circulava regularmente em todo o navio, disse a Royal Caribbean.

O Quantum of the Seas estreou em 2015 com muito alarde. As comodidades a bordo incluem carrinhos de choque, um bar biônico com pedidos de iPad, um simulador de paraquedismo e 19 restaurantes, incluindo um com o tema “Alice no país das maravilhas”. Os custos para equipar e construir a embarcação giraram em torno de US$ 1 bilhão.