por: Viagem e Gastronomia Viagem e Gastronomia

Caso de Covid-19 no “cruzeiro para lugar nenhum” era falso positivo, diz empresa

Um passageiro singapuriano de 83 anos a bordo do navio fez um segundo teste para a Covid-19, que resultou negativo

Angus Watson,

da CNN

Ouvir notícia
Navio de cruzeiro em alto-mar
O CDC classifica as viagens em navios de cruzeiro como de “Nível 4: Nível muito alto de risco de Covid-19”
Foto: Divulgação / Pixabay

Um passageiro singapuriano de 83 anos a bordo do “cruzeiro para lugar nenhum” fez um segundo teste para a Covid-19, que resultou negativo, após um teste falso positivo ter impedido o prosseguimento da viagem, afirma o ministro da Saúde de Singapura nesta quinta-feira (10).

O homem havia inicialmente testado positivo para o vírus enquanto estava a bordo do navio Quantum of The Seas, operado pela Royal Caribbean International, e foi encaminhado para um hospital próximo.

O teste foi então reclassificado como negativo, afirmaram as autoridades singapurianas em pronunciamento.

Como a história se desenrolou

Um navio estava proporcionando um “cruzeiro para lugar nenhum” de três noites e quatro dias. O itinerário do cruzeiro passa por diversos pontos turísticos de Singapura e retorna ao ponto inicial. A atração faz parte de uma iniciativa para revigorar viagens domésticas no país em meio à pandemia do novo coronavírus.

Contatos próximos ao indivíduo em questão foram colocados em quarentena, enquanto vários outros passageiros e membros da tripulação foram forçados a continuar a bordo durante o rastreamento de contatos do infectado.

“Nós rescindimos as orientações de quarentena dos contatos próximos, que haviam sido colocados em isolamento como medida de precaução enquanto as investigações estavam em curso”, diz o pronunciamento.

De acordo com o Conselho de Turismo de Singapura, todos os 1680 passageiros e 1148 membros da tripulação testaram negativo para o novo coronavírus quando o navio partiu, no dia 7 de dezembro.

Em nota, a Royal Caribbean International disse que a linha de cruzeiros trabalhou juntamente com o governo para desenvolver um “sistema completo” de teste e monitoramento de todos os hóspedes e funcionários, e mantém práticas de saúde públicas adequadas.

“O fato de termos conseguido identificar rapidamente este caso isolado e termos rapidamente tomado ações é um sinal de que o sistema está funcionando da forma que foi planejado”, um porta-voz da Royal Caribbean declarou.

Sob os novos protocolos, o cruzeiro está funcionando com a ocupação reduzida, testagem universal obrigatória e o uso de máscaras encorajado, assim como distanciamento físico e práticas de limpeza reforçadas.

Apenas cidadãos singapurianos foram permitidos a comprar passagens para o cruzeiro, e membros da tripulação de vários lugares do mundo passaram 14 dias em quarentena, para serem liberados para o trabalho.

(Texto traduzido. Leia o original em inglês).

Mais Recentes da CNN