por: Viagem e Gastronomia Viagem e Gastronomia

Região dos Vinhos Verdes, em Portugal, é deleite para olhos e paladar; veja onde ir

Com paisagens de brilhar os olhos, boa estrutura hoteleira e registros históricos, este pedaço do noroeste português e uma das maiores denominações de origem da Europa, começa a despertar para o enoturismo

Região dos Vinhos Verdes é destino ideal para amantes de bons vinhos
Região dos Vinhos Verdes é destino ideal para amantes de bons vinhos divulgação

CNN Viagem & Gastronomiado Viagem & Gastronomia

Ouvir notícia

Por Marjorie Zoppei

Bebidas leves, refrescantes, meio docinhas e que pinica na língua (chamado de efeito agulha). Assim eram conhecidos os vinhos produzidos na região dos Vinhos Verdes, que é a maior área demarcada portuguesa e também uma das maiores da Europa.

Não, vinho verde não tem esse nome por causa da cor da bebida! E nem todo vinho verde tem essas características acima. O nome é uma referência à paisagem natural, que é absurdamente verde.

Aqui no Brasil, o vinho verde que mais ganhou fama é o rótulo Casal Garcia, produzido pela Quinta da Aveleda. Mas a região tem produzido bebidas muito interessantes: vinhos brancos com passagem por madeira, espumantes cheios de personalidade, rosés bem estruturados e tintos delicados.

O Brasil continua sendo o maior mercado para o vinho português – e tem se mostrado uma das melhores opções na relação custo-benefício. Então, é melhor ir se familiarizando com os nomes das uvas típicas da terrinha: as brancas alvarinho, arinto, avesso, azal, loureiro e trajadura, e as tintas espadeiro, padeiro e vinhão.

Aquele giro enológico

Com lindas paisagens naturais, boa estrutura hoteleira, registros históricos… Apesar de todos os fatores, o enoturismo ainda é recente na região. A Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes (CVRVV), entidade criada em 1926 para regular a produção e o marketing dos rótulos da DOC, organizou e faz a divulgação de diversas rotas temáticas. Entretanto, o viajante ainda precisa entrar em contato pessoalmente com as vinícolas para reservar o passeio – lembrando que muitas quintas fecham aos finais de semana.

Quem desembarca por lá no outono e no inverno, é recebido por paisagens alaranjadas, lareiras acesas e rótulos estreando nas prateleiras. O verão é tempo de vindima e, em muitas vinícolas, o visitante pode colocar a mão na massa durante a colheita. A primavera oferece clima ameno e paisagens deslumbrantes. E, ao longo do ano inteiro, a gastronomia e os cenários históricos são as atrações principais.

O QUE VISITAR

Soalheiro

Soalheiro é referência internacional na produção de rótulos elaborados com uva de alvarinho/ Foto: divulgação

Pioneiro na produção do vinho de alvarinho na cidade de Melgaço, é referência internacional para rótulos elaborados com essa uva. A vinícola oferece passeios na vinha, rafting, programas de gastronomia – com prova de vinhos – e papos educativos sobre sustentabilidade.

Quinta da Aveleda

Quinta de Aveleda, propriedade onde é produzido os famosos rótulos Casal Garcia / Foto: divulgação

A propriedade parece um cenário de filme de época, com alamedas, árvores centenárias, lagos e fontes. Ali mesmo está instalada a bodega que produz os rótulos Casal Garcia, o vinho verde mais consumido no mundo. Além do passeio pela Quinta, vale reservar uma mesa no restaurante (de 10 a 50 pessoas) e visitar as caves e as vinhas. O passeio inclui uma visita na área industrial de engarrafamento.

Covela

Covela, uma das maiores vinícolas de exportação da região / Foto: divulgação

Uma das principais vinícolas de exportação – é fácil encontrar os vinhos deles aqui no Brasil –, recebe visitantes que percorrem livremente caminhos demarcados por vinhas, bosques e hortas. Durante o passeio, podem conhecer o velho moinho de água, onde antigamente era moída a farinha de milho que incorporava a receita da tradicional broa da região.

 

ONDE FICAR

Monverde Wine Experience Hotel

Monverde / divulgação

Premiado no Best of Wine Tourism, está instalado numa propriedade de 30 hectares. Além de hotel, também investe na produção de vinho (as vinhas assumem o protagonismo até na decoração), no serviço de spa e em um restaurante de alta gastronomia.

Marjorie Zoppei (Foto: divulgação) / divulgação

Escolheu o jornalismo ainda na adolescência, mas foi apresentada à gastronomia por acaso. Com passagem pela Editora Abril e Folha de S.Paulo, atualmente é diretora de redação da revista Sociedade da Mesa, publicação do clube de vinhos pioneiro no Brasil. É daquelas pessoas que têm sempre uma taça em mãos e disposição para descobrir o que está por vir. Siga em @mzoppei, no Instagram.


Mais Recentes da CNN