3 endereços cariocas mantêm vivo o legado do Antiquarius, que marcou época no Rio

Abertos desde o início da pandemia, Gajos d’Ouro, Entre Amigos e Ora Pois são tocados por diferentes ex-funcionários da mítica casa do Leblon

Bacalhau ao forno do Gajos d'Ouro
Bacalhau ao forno do Gajos d'Ouro Tomás Rangel

Fabio Wrightdo Viagem & Gastronomia

Rio de Janeiro

Ouvir notícia

Endereço que marcou época no Rio de Janeiro, tanto pela excelência da cozinha como por receber uma constelação de políticos, artistas, socialites e empresários, o Antiquarius fechou sua sede no Leblon em 2018 (hoje existe apenas como dark kitchen), mas seu legado continua vivíssimo na cidade.

Parte da afiada equipe que lá trabalhava ficou órfã com o fim das atividades e resolveu então empreender com ajuda de sócios-investidores. Desde o início da pandemia, surgiram pelo menos três endereços no Rio comandados por diferentes ex-funcionários do mítico templo da gastronomia portuguesa — fundado em 1977 pelo alentejano Carlos Perico, que faleceu em 2016.

Confira a seguir quais são eles:

Gajos d’Ouro

Escondido no primeiro andar de um apart hotel em Ipanema, o restaurante aberto em 2020 tem entre seus sócios o gerente Antônio Menezes, o Leitão, e o sommelier André Vasconcelos — que trabalharam no Antiquarius, respectivamente, por 20 anos e 8 anos.

Para compor a brigada, a dupla reuniu 27 ex-funcionários do extinto endereço do Leblon. O nome (“os meninos de ouro” em tradução livre), aliás, é uma referência ao apelido que o saudoso Carlos Perico dava para equipe do Antiquarius.

Uma das boas entradinhas do Gajos, o camarão à galinho de quintino (R$ 85 a porção), homenagem ao ídolo Zico, traz os crustáceos em ótimo ponto de cozimento banhados em azeite, alho, pimentão e pimenta-malagueta.

Vale provar também a tigelinha de bacalhau à moda das madres (R$ 85), espécie de suflê mais cremoso. Dos pratos principais, escolha entre o imperdível e farto arroz de pato (R$ 128) e uma das dezesseis receitas com bacalhau. Sobremesa para compartilhar que bomba de likes no Instagram, os ovos nevados (R$ 41) são servidos com creme inglês e fios de caramelo, numa atraente apresentação.

Rua Prudente de Morais, 1008, Ipanema, tel.: 3449-1546/1483.

Entre Amigos

Com matriz em Botafogo e uma filial inaugurada em julho na Barra da Tijuca, é outro endereço português da nova geração que carrega o DNA do Antiquarius. Entre seus proprietários estão os maîtres Uedson Dias e Luciano Fernandes, que lá deram expediente por mais de 30 anos.

Uma das melhores entradas é a casquinha de siri gratinada (R$ 40), que fica ainda mais apetitosa com a suave pimenta da casa. Entre os pratos principais, fizeram bonito o bacalhau em natas (R$ 95) com batata sautée e cebola, e o arroz de camarão e tamboril (R$ 80), cozido no caldo de peixe, rico em sabor e com um toque de coentro na medida.

Para finalizar, há clássicos da confeitaria portuguesa, como a siricaia. Em medida simpática, a casa não cobra rolha de vinho (somente a partir da segunda garrafa, paga-se R$ 50).

Rua Paulo Barreto, 64-A, Botafogo, tel.: (21) 3435-9376/90.

Casa Shopping, Bloco N, Barra da Tijuca, tel.: (21) 3030-7418/19.

Bar Ora Pois

Inaugurada em agosto no térreo do hotel LSH by Own, na Barra da Tijuca, a casa tem no comando da cozinha Clóvis Florêncio, que atuou por 37 anos no Antiquarius. De frente para a orla, a concorrida e ampla varanda detém a preferência do público na hora de petiscar sugestões como os bolinho de bacalhau (R$ 38), casquinha de siri (R$ 38) e a alheira com aspargo, ovo frito, parmesão e manteiga trufada (R$ 55).

Uma das pedidas certeiras com bacalhau, o à lagareira (R$ 125) traz o lombo empanado e depois levado ao forno com azeite, alho, cebola, batata, brócolis e azeitona. Na visita realizada, surpreendeu uma receita nada lusitana: os camarões envoltos em ótimo molho de curry (R$ 135) com arroz de amêndoa.

Rua Professor Coutinho Fróis, 10, Barra da Tijuca, tel.: (21) 3798-2852.

Fabio Wright é jornalista gastronômico e nome por trás do site e perfil Taste and Fly / Divulgação

Fabio Wright 

Jornalista paulistano que transita semanalmente entre São Paulo e Rio, já escreveu sobre gastronomia para grandes veículos, como Veja São Paulo, O Estado de S. Paulo e Época São Paulo. Nos últimos dez anos, visitou dezoito países em busca de bons lugares para comer, beber, badalar e exercitar a boemia. Compartilha também suas descobertas no site e Instagram Taste and Fly.


Mais Recentes da CNN