por: Viagem e Gastronomia Viagem e Gastronomia

Arquitetura e Obras de Arte Icônicas de Milão

Ícones Arquitetônicos: Cidades históricas como Milão têm séculos de estrutura urbana consolidada, marcadas por edifícios e obras consagrados. Confira os ícones milaneses que sempre merecem ser revisitados.

Ouvir notícia

Ícones Arquitetônicos: Cidades históricas como Milão têm séculos de estrutura urbana consolidada, marcadas por edifícios e obras consagrados. Confira os ícones milaneses que sempre merecem ser revisitados.

Duomo de Milão

Cartão-postal da cidade, o Duomo é uma das mais belas catedrais góticas do mundo e levou mais de 400 anos para ser nalizado. Feito inteiro em mármore branco- rosa de Candoglia, só sua parte externa tem mais de 2,3 mil estátuas. Imperdível subir em seu telhado e apreciar de perto a La Madonnina, colocada na agulha mais alta da catedral.

Piazza del Duomo

Fondazione Prada

Projetado pelo escritório OMA, do arquiteto Rem Koolhaas, a Fondazione Prada ocupa uma antiga destilaria do século X. Sua con guração arquitetônica atual, com prédios de concreto branco, combina três edifícios: o Podium, Cinema e Torre. As fachadas são uma mistura de concreto e vidro. “A complexidade do projeto contribui para o desenvolvimento de uma programação cultural em constante evolução, na qual arte e arquitetura se misturam”, diz Koolhaas.

Largo Isarco, 2

Fondazione Giangiacomo Feltrinelli

Com projeto assinado pela Herzog & de Meuron, a Fondazione Giangiacomo Feltrinelli destaca-se pela imponente fachada geométrica de vidro. Seu interior acomoda cafeteria, livraria, área de escritórios, salas de aula e uma biblioteca. No lado externo, uma grande área verde é preenchida com bancos, espaço de lazer e ciclofaixa, que conecta o edifício à cidade.

Viale Pasubio, 5

Trienanale di Milano

Localizada dentro do Parco Sempione, maior parque da cidade, a Triennale di Milano é um centro de arte, arquitetura e design que revela, através de exposições, os grandes movimentos do século XX, além de ser um difusor de tendências. O prédio da Triennale, o Palazzo delle Arti, foi projetado por Giovanni Muzio.

Viale Emilio Alemagna, 6

Prédio Boscoincittà ou Bosco Verticale

Conhecidas como bosque vertical, as duas torres, com 80 e 112 metros de altura, projetadas pelo arquiteto Stefano Boeri se destacam no horizonte milanês por abrigar mais de 900 árvores de diversos tamanhos. Cerca de 20 mil espécies de plantas, entre arbustos e ores, também fazem parte do paisagismo.

Via Federico Confalonieri

Piazza Gae Aulenti

O complexo urbanístico é obra do arquiteto argentino Cesar Pelli. Ao redor da Piazza Gae Aulenti há vários edifícios com design surpreendente, como o Unicredit Tower, de 231 metros, o mais alto da Itália. No centro, há fontes, lojas, livraria e restaurantes. A estética futurista da praça se conecta com os edifícios que a rodeiam e com o sistema de iluminação do seu entorno, que ao cair da noite revela um espetáculo de água, luz e som.

Piazza Gae Aulenti, 36

Teatro alla Scala

Quando um incêndio destruiu o antigo Teatro Ducale, em 1776, o arquiduque Fernando de Áustria pediu a construção de outro. O novo teatro foi construído no lugar onde estava a Igreja de Santa Maria alla Scala, que deu o nome ao Teatro Alla Scala, palco de estreia de importantes óperas ao longo da história, como Otello e Nabucco de Verdi, ou Madame Buter y, de Giacomo Puccini.

Via Filodrammatici, 2

Museo del Novecento

O edifício histórico Palazzo dell’Arengario, desenhado por Gri ni, Magistretti, Muzio e Potaluppi, abriga o Museo del Novecento, em plena Piazza del Duomo. Aberto em dezembro de 2010, busca divulgar a arte do século XX e permitir uma visão melhor e mais ampla das coleções que Milão herdou ao longo do tempo – são mais de 4 mil obras de arte italiana.

Via Guglielmo Marconi, 1

Obras de Arte Icônicas: Milão é casa de obras-primas fundamentais para a história da arte. Aqui uma seleção de cinco obras icônicas que merecem a visita toda vez que estiver na cidade

A última ceia, de Leonardo Da Vinci

Uma das obras mais famosas do mundo, A Última Ceia, de Leonardo da Vinci, pode ser vista no refeitório do Convento Dominicano adjacente à igreja de Santa Maria delle Grazie. O afresco foi pintado entre 1494 e 1498 e para garantir sua preservação o acesso para vê-la é limitado: apenas 30 pessoas por vez, a cada 15 minutos. É necessário comprar com antecedência o ingresso via site www.vivaticket.it

Piazza Santa Maria delle Grazie, 2

O Beijo, de Francesco Hayez

O trabalho mais famoso de Francesco Hayez, O Beijo, foi inaugurado na Exposição Brera em 1859. Nos anos seguintes, o artista pintou outras duas versões da obra, mas a original está sob a guarda da Pinacoteca de Brera. A cena, de inspiração medieval, é típica do Romantismo do século XIX.

Via Brera, 28

Pietá Rondanini, de Michelangelo

A Pietà Rondanini é uma escultura em mármore branco, com cerca de 2 metros de altura, criada por Michelangelo por volta de 1550 e executada até os seus últimos dias de vida, em 1564. Inacabada, a obra retrata a Virgem Maria diante da morte de Jesus Cristo e pode ser vista no Museu da Pietà Rondanini, Castello Sforzesco.

Castello Sforzesco, Piazza Castello

Supper at Emmaus, de Caravaggio

Uma das principais pinturas a óleo do italiano Caravaggio, datada de 1606, retrata a cena bíblica em que Cristo ressuscitado se revela a seus discípulos. A obra impressiona pelo jogo de luz e pode ser vista também na Pinacoteca de Brera.

Via Brera, 28

Fotos: divulgação

 

 

Mais Recentes da CNN