Guia Portugal: onde comer e quais vinícolas visitar no Alentejo

Separamos duas vinícolas imperdíveis e restaurantes que precisam estar no seu roteiro por Alentejo. Confira!

restaurante fialho alentejo portugal

Vinícolas que valem ser incluídas no roteiro:

Herdade do Esporão

A Herdade do Esporãoé pioneira no trabalho de enoturismo no país, é possível visitar as vinhas, adegas e caves, conhecer os detalhes de produção da bebida e do azeite da marca, além de fazer passeios a pé, de bicicleta ou jipe. As visitas à simbólica Torre do Esporão, à Capela de Nossa Senhora dos Remédios e ao Arco do Esporão, datadas dos séculos XV e XVI, são obrigatórias. Com quase 35 mil visitantes por ano, a propriedade foi repaginada. Além de ter os ambientes ampliados, incluindo os três novos jardins que interligam vinhas e adegas, o local ainda ganhou um espaço de degustação e um charmoso wine bar. No restaurante, três chefs fazem um trabalho colaborativo na criação de um menu sazonal.

Cartuxa

Sediada na Quinta de Valbom, a dois quilômetros do centro histórico de Évora, está a antiga casa de repouso dos jesuítas que lecionavam na Universidade de Évora nos séculos XVI e XVII.  Em 1759, eles foram expulsos por ordem do Marquês de Pombal, e a propriedade passou a pertencer ao Estado – que a transformou em um lagar de vinho. No século XIX, foi comprada pela família Eugénio de Almeida e, hoje, a Adega Cartuxa é referência do vinho alentejano para o mundo com rótulos como o icônico Pêra-Manca. Aqui, o visitante revive toda a história da marca e pode provar vinhos e azeites da Fundação.

Onde comer?

Fialho, eleito algumas vezes como o melhor restaurante de Portugal (Foto: reprodução site)
Fialho, eleito algumas vezes como o melhor restaurante de Portugal (Foto: reprodução site)

No concorrido Fialho, eleito algumas vezes como o melhor restaurante de Portugal, há necessidade de agendar com antecedência para conseguir uma mesa. É famoso pelos petiscos de entrada, entre eles os aspargos com ovos, cogumelos, salada de polvo, queijos e bolinhos de bacalhau, montando uma mesa farta, bem típico da região. Guarde espaço para o protagonista: o bacalhau dourado. São tenras lascas do peixe fresco com fios de batata, ovo mexido, muito azeite e harmonizado com bons rótulos nacionais.

NoTasquinha do Oliveira, um clássico e – muito – concorrido restaurante em Évora. A sala faz jus ao nome no diminutivo, pois, somente 15 clientes se sentam por vez, que provavelmente lutaram para conseguir uma reserva na casa do Sr. Manuel, proprietário que atende com muita eficiência e humor peculiar. No menu são tantas opções que é difícil escolher:  a patanesca de bacalhau, o caranguejo fresco ou o cordeiro à milanesa conquistam qualquer paladar. Tudo acompanhado com o vinho da casa, é claro.

Dentro do luxuoso hotel L’and Vineyards, em Montemor-o-Novo, o L’and Restaurantebusca uma nova cultura gastronômica portuguesa, integrando a ela algumas experiências e ingredientes orientais. Encabeçada pelo chef Nuno Amaral, a cozinha prioriza itens provenientes da agricultura biológica de produtores locais. Com dois menus-degustação disponíveis, cada prato tem um vinho perfeitamente pareado pelo sommelier.