Cinco restaurantes que servem o melhor da culinária japonesa na Liberdade, por Fred Sabbag

Na semana em que se comemora o Dia da Imigração Japonesa no Brasil, 18 de junho, expert indica seus lugares prediletos para comer no icônico bairro de São Paulo

Izakaya na Liberdade, em São Paulo
Imagem de um izakaya na Liberdade, típico bar-restaurante japonês proeminente no bairro (Foto: @marcelography)

Palco de grandes lutas de povos negros e escravos e na região antes chamada de Bairro da Pólvora (porque era lá o armazenamento da pólvora disponível em São Paulo, então uma vila), a Liberdade começou a ganhar presença de japoneses no início do século XX  – a imigração japonesa no Brasil começou em 1908, com a chegada do famoso navio Kasato Maru.

Ícone da cultura japonesa no Brasil e, ao que consta, o maior reduto de japoneses fora do Japão, a Liberdade é passeio obrigatório para quem reside ou está a passeio em São Paulo. Do famoso pórtico vermelho às lanternas brancas e redondas, passando por letreiros em língua japonesa e pelas calçadas com símbolos, a Liberdade é uma verdadeira viagem.

Dado o interesse na cultura japonesa, ganhou notoriedade a famosa feirinha da Liberdade, que funciona aos finais de semana. Nela é possível encontrar culinária, artes, roupas, itens de beleza, artesanatos, apresentações musicais e outras manifestações artísticas. Para além da feirinha, o bairro reúne diversos bons restaurantes – não só japoneses, aliás – lojas de utensílios e decoração, entre outras.

Em comemoração ao Dia da Imigração Japonesa, na sexta-feira, 18 de junho, Fred Sabbag indica seus cinco lugares preferidos para comer no bairro da Liberdade:

Leia mais
Lámen, o tradicional prato japonês entregue – quentinho – em casa
Izakayas em São Paulo: que tal pedir delivery?
Onde os chefs comem? Com Mestre Sassá, do Sassá Sushi, em São Paulo

Izakaya Issa

Margarida Haraguchi, do Izakaya Issa
Margarida Haraguchi, que está à frente do Izakaya Issa, na Liberdade (Foto: @marcelography)

Falar do Izakaya Issa é falar de Margarida Haraguchi. Atenciosa, sorridente e daquelas que fazem o cliente sentir-se em casa nesse ambiente acolhedor, dona Margarida é uma unanimidade entre os amantes da comida japonesa. O ambiente é composto por um balcão e tatames, o que agrada aqueles que preferem ir sozinhos ou com companhia.

Fundado há mais de 10 anos, o Izakaya Issa serve delícias como os impecáveis e reconfortantes takoyaki (bolinho de polvo coberto com katsuobushi), tonkatsu kare (copa lombo empanada, perfeitamente frita e acompanhada de arroz e molho kare), okonomiyaki (panqueca japonesa) e otoshi (petiscos que variam a cada dia). Para acompanhar, a pedida é sake, shochu ou cerveja (logicamente, isso para quem bebe alcoólicos; para os demais, os chás são sempre uma boa pedida).

Ainda que, por algum motivo, não seja possível conversar com a dona Margarida quando da visita de quem lê este texto, o bom atendimento (bons papos também) é uma garantia de quem estiver disposto a sentar no agradável balcão.
Izakaya Issa (@izakayaissa): Rua Barão do Iguape, 89. Pedidos via WhatsApp: (11) 93208-8819 e delivery via iFood e Rappi

Kintaro

Izakaya Kintaro
Balcão do Izakaya Kintaro, especializado em petiscos e cerveja gelada (Foto: @marcelography)

O Kintaro foi fundado em 1993 pela família Higuchi, composta pelo casal sr. Higuchi e Dona Liria e seus filhos Taka e Yoshi. A ideia de abrir o bar partiu do casal, já que Dona Liria cozinhava bem (ainda cozinha, aliás) e sr. Higuchi tinha muitos amigos que gostavam de beber e petiscar. Atualmente, estão à frente do Kintaro apenas Dona Liria e Yoshi, enquanto, desde 2017, Taka conduz o querido Izakaya Donchan, no Jardim Paulista.

Apesar de pequeno no tamanho (um balcão e uma mesa ao fundo), no Kintaro comida e bebida são sempre grandiosas na qualidade e servidas em porções. Os destaques são a berinjela com missô, ostra agridoce e os salgados (a coxinha está entre as minhas preferidas).

O Kintaro serve comida japonesa caseira, daquelas que levam para uma viagem ao Japão a cada mordida (mesmo para quem nunca pôs os pés no país). E o intuito, ao que consta, é esse: trazer boa lembrança aos clientes.
Kintaro (@izakaya_kintaro): Rua Thomaz Gonzaga, 57. Pedidos para retirada via WhatsApp: (11) 96628-8438. 

Sushi Kenzo

Combinado do Sushi Kenzo
Combinado do Sushi Kenzo, restaurante inspirado nas tradicionais casas de sushi do Japão (Foto: reprodução/Instagram)

Fundado há 4 anos por Takashi Okuno, o Sushi Kenzo tem à frente do atendimento as filhas do fundador Tina Okuno e Cinthia Okuno.

Além do ótimo atendimento que também deixa o cliente sentir-se em casa, o balcão do Sushi Kenzo permite uma experiência memorável para quem quer comer peixes fresquíssimos – comprados diariamente e que não “dormem” no restaurante de um dia para o outro – e preparados com esmero.

Além dos sushis e sashimis, destacam-se no cardápio o uma-jyu (a famosa “caixinha” com shari e enguia perfeitamente preparados), tirashuzushi (fatias de peixe e frutos do mar sobre shari), hokkaidon (bowl com ovas de salmão e ouriço do mar também sobre o arroz) e buta no kakuni (panceta cozida no shoyu e levemente adocicada).
Sushi Kenzo (@sushikenzoliberdade): Rua Thomaz Gonzaga, 45, loja F. Delivery via WhatsApp: (11) 93455-6969

Kidoairaku

Equipe à frente do Kidoairaku, na LiberdadeO Kidoairaku foi fundado em 1988 por Miyako Matsui, sua filha Hiroka Matsui e seu filho Kakuzui Matsui. A família, que possui uma linhagem direta dos Ainus (grupo indígena que habitava o norte do Japão), veio ao Brasil em 1984 à procura de uma vida melhor.

Como uma de suas paixões era a comida japonesa, o múnus de chef ficou nas mãos de Kakuzui Matsui, que tem em sua história diversos restaurantes e a certificação Chourishi Menkyo reconhecida pelo governo japonês. Hoje o restaurante possui o selo Japanese Food Supporter da Jetro – Japan External Trade Organization, que é uma organização vinculada ao governo daquele país.

No cardápio, destaque para o nasu dengaku (meu preferido na cidade), anchova grelhada, katsu sando (nas versões de porco e frango) e kido peti (combinado de petiscos).
Kidoairaku (@kidoairaku_delivery e @kidoairaku_kaiseki): Rua São Joaquim, 381, Liberdade. Delivery via iFood, app ou site

Deigo

Fachado do Deigo, na Liberdade
Detalhes para decoração e destaque para o balcão do Deigo (Foto: reprodução/Facebook)

O restaurante Deigo foi inaugurado em 1974 por Sue Ishikawa e seu filho Yukio Ishikawa (ou melhor, Yukio san). Ambos vieram ao Brasil da província de Okinawa após a 2ª guerra mundial, em razão da escassez de comida e água na região. Deigo, inclusive, é o nome de uma flor típica daquela região.

Após isso, Yukio san casou-se com Mitsuki san (ou melhor, Michan), que hoje é a anfitriã da casa e ajudou no aprimoramento do cardápio com a introdução de comidas típicas de Okinawa, tais como os ótimos Okinawa soba, goya (melão de São Caetano) frito ou cozido e joelho e costelinha de porco com missô (esses dois últimos de comer de joelhos, acreditem). Há também sushis, sashimis e pratos quentes japoneses mais conhecidos aqui no Brasil.

Ir ao Deigo é literalmente uma viagem ao Japão, já que é sempre comum ouvir mais a língua japonesa do que a portuguesa no local (mas não se intimide por isso porque se trata de um restaurante acolhedor).

Deigo (@restaurantedeigo): Praça Almeida Júnior, 25, Liberdade. Retirada pelo telefone: (11) 3207-0317.

O advogado e entusiasta gastronômico Fred Sabbag

Sobre Fred
Fred Sabbag é advogado por profissão, mas, no tempo livre, nada de processos ou trâmites judiciais: uma de suas maiores paixões é frequentar bares e restaurantes. O hábito rendeu-lhe inúmeros seguidores no Instagram (@fredsabbag) e o tornou numa celebridade da gastronomia em São Paulo.

Acompanhe CNN Viagem & Gastronomia em todas as plataformas:

Instagram: https://www.instagram.com/cnnviagemegastronomia
Tiktok: https://www.tiktok.com/@cnnviagemegastronomia
Pinterest: https://br.pinterest.com/CNNBrasil/