por: Viagem e Gastronomia Viagem e Gastronomia

As novas regras para reabertura de bares e restaurantes em São Paulo

Estabelecimentos funcionarão apenas seis horas por dia, tendo que fechar até às 17h

Ouvir notícia

Começa hoje, 6 de julho, a reabertura dos bares e restaurantes na capital paulista. Depois de praticamente quatro meses fechados ou operando apenas via delivery, o desafio será grande para se adequar às novas exigências e readaptar o público a frequentar os estabelecimentos.

O prefeito Bruno Covas determinou no último sábado, 4 de julho, as regras para bares e restaurantes reabrirem em São Paulo. Confira abaixo as principais:

  • Horário de funcionamento: apenas seis horas por dia, tendo que fechar até às 17h;
  • Ocupação máxima de 40% da capacidade do estabelecimento;
  • Distância de 2 metros entre as mesas e de 1,5 metro entre as pessoas em locais de fila, como caixas, banheiro etc;
  • Máximo de 6 pessoas por mesa;
  • Proibição de consumo nas calçadas;
  • Atendimento deve ser feito apenas para clientes sentados;
  • Uso obrigatório de máscaras por clientes e funcionários no estabelecimento (apenas quando estiver sentado em sua mesa, o cliente poderá deixar de utilizar a máscara);
  • Disponibilizar álcool gel para higienização das mãos;
  • Barreiras de acrílico nos caixas e balcões de alimentos;
  • Temperos e condimentos devem ser fornecidos em sachês ou em porções individuais que venham direto da cozinha;
  • Cardápios deverão ser digitais (site, Instagram ou redes sociais do estabelecimento, QR Code ou aplicativos) ou escritos em quadros na parede;
  • Funcionários devem usar máscaras, viseiras de acrílico e luvas;
  • Guardanapos de tecido estão proibidos;
  • Apoio a colaboradores com dependentes no período em que creches e escolas estiverem fechadas;
  • Disponibilizar formas de pagamento alternativas (sem contato com as máquinas), como transferência bancária e pagamento por aproximação dos cartões;
  • Proibir aglomerações.

Fonte: Diário Oficial da Prefeitura de São Paulo 

Mais Recentes da CNN