Os restaurantes de Jefferson e Janaína Rueda no centro de São Paulo

Colocando o centro na rota da alta gastronomia, os Rueda comandam casas concorridas e premiadas na capital paulista

Ouvir notícia
Arroz de galinhada caipira do Bar da Dona Onça da chef Janaína Rueda (Foto: Mauro Holanda)

Jefferson e Janaína Rueda formam um casal premiado – ele à frente d’A Casa do Porco, 4º melhor restaurante da América Latina, e ela Ícone da América Latina pelo Latin America’s 50 Best Restaurants – e quando conhecemos seus restaurantes e todos os projetos que comandam ou apoiam é muito fácil entender o motivo de tanto reconhecimento. Clique aqui e confira matéria completa sobre o casal.

Com quatro casas na capital, todas resgatando, a seu modo, raízes da cozinha brasileira, eles ajudaram a revitalizar e tornar o centro de São Paulo um dos polos gastronômicos da cidade. Entre as muitas ações que lideraram para esse fato, o Ocupa Rua, projeto idealizado pela jornalista e crítica gastronomia Alexandra Forbes ao lado do casal de chefs, instalou terraços ajardinados no asfalto, com parklets, mesas, cadeiras e bancos, mostrando que as ruas não são apenas passagem e sim integram a vivência da grande metrópole.

A Casa do Porco

É desde 2015 que Jefferson está à frente d’A Casa do Porco, único restaurante brasileiro entre os 50 melhores do mundo no The World’s 50 Best Restaurants, em que, atualmente, ocupa a 39º posição. A casa autoral une suas experiências com grandes paixões: porco, fogo e açougue. A cozinha essencialmente brasileira e inovadora serve criações nada convencionais a partir do porco, como o sushi de papada de porco e a pancetta com goiabada.

Para saber mais sobre um dos melhores restaurantes do mundo, clique aqui. 
Além d’A Casa do Porco, conheça os outros projetos do casal, que abrange o Bar da Dona Onça, comandado por Janaína, o Hot Pork e a Sorveteria do Centro, igualmente sensacionais e surpreendentes.

Veja mais:
Saiba tudo sobre o Casal Rueda e seus restaurantes
Do sítio à mesa: casal Rueda saúda alimentos brasileiros em sua premiada culinária
A Casa do Porco está entre os melhores restaurantes do mundo

Bar da Dona Onça

Fachada do Bar da Dona Onça (Foto: Saulo Tafarelo)

No térreo do Edifício Copan, jóia arquitetônica de Oscar Niemeyer, uma escultura colorida em forma de onça recebe os clientes que chegam ao Bar da Dona Onça. Comandado pela premiada chef Janaína Rueda, o restaurante conquistou a clientela com pratos tipicamente brasileiros, em que Jefferson Rueda, seu marido, atua também como consultor do local.

O salão principal é recheado de fotos em preto e branco de pontos turísticos do mundo e estampas de onça pintada em objetos inusitados ditam o tom descontraído, como duas geladeiras ao lado do bar. Logo acima, num segundo pavimento, a cozinha pode ser vista através de janelas envidraçadas e é dali que os pratos cheios de afeto e inspirados em receitas da família saem.

O menu conta com entradinhas deliciosas para serem compartilhadas, guisados caldosos, arrozes bem temperados, assados que derretem na boca, sobremesas que misturam sabores agridoces e drinks autorais de sucesso, como a caipirinha da onça, que leva tangerina e maracujá e traduz bem o espírito brasileiro.

A coxinha de galinha caipira é imperdível para começar: sua massa é crocante, sequinha, e o recheio se desfaz na boca. São dois os carros-chefe da Dona Onça, quase que obrigatórios na pedida: a famosa galinhada caipira, que leva quiabo e gema curada, e o Clássico da Onça, suculento filé mignon ao molho poivre servido com capellini na manteiga e sálvia.

Coxinha do Bar da Dona Onça (Foto: divulgação)

Aberto desde 2008, o cardápio ainda é recheado por massas, picadinhos de carne, estrogonofe, dobradinha, moelinha, fígado e caldos para “chuchar” no pão francês, todos muito presentes na cultura do país. A sobremesa “Eu Sou Feliz” faz sucesso pela junção de banana e pipoca carameladas, pão de ló, sorvete, chocolate ao leite e chantilly.

Além disso, a chef prepara os pratos do dia, refeições especiais para cada dia da semana, assim como os clássicos P.F’s, releitura saborosa de pratos cotidianos que acompanham arroz soltinho, feijão, couve refogada e vinagrete. Afinal, o local segue o lema de Janaína: “A partir de agora e durante todo tempo que você permanecer aqui, seremos responsáveis pela sua felicidade”.

Para se adaptar à pandemia, as delícias da chef passaram a ser entregues também via delivery, com um cardápio especial. Entre elas, estão disponíveis: moelinhas cozidas na panela de pressão, estrogonofe, picadinho, macarrões e arrozes. Aos sábados, a feijoada de Janaína também sai da cozinha, com drinques e Cachaça da Lage para quem quiser.

Bar da Dona Onça
Edifício Copan, Av. Ipiranga, 200 – CJ 27 e 29 – República. Tel: (11) 3257-2016.

Hot Pork

(Foto: divulgação)

O casal inaugurou no início de 2018 o Hot Pork, casa também no centro da cidade especializada apenas em hot dogs. Com uma proposta sem exageros, os chefs conquistaram ainda mais fãs e levaram mais pessoas ao centro para experimentar os cachorros-quentes caseiros – do pão até a salsicha, todos os ingredientes são sem conservantes, emulsificantes e corantes.

O cardápio enxuto é resumido por dois hot dogs de montagem cuidadosa: o clássico Hot Pork e seu vegetariano, o Not Pork. O cachorro-quente vem com pão de batata artesanal macio, salsicha 100% de porco caipira, picles de cebola roxa e pepino, maionese de limão, ketchup de tomate com maçã e mostarda da casa. A versão veggie é igual, porém a salsicha é feita de cogumelos e tofu.

Para acompanhar os hot dogs, há snacks de porcopoca, já clássico na Casa do Porco, além de batata chips e nuggets de porco caipira. O refresco da casa arremata e equilibra a refeição, que leva chá de hibisco, melaço de cana, limão e capim santo. Desenvolvido para o local, o Hot Pork ainda vende a Blondline Wit, cerveja leve clara do tipo witbier de 300ml.

O ambiente descolado também é outro ponto de destaque: ocupa a esquina das ruas Epitácio Pessoa e Bento Freitas, em que poucas mesas altas e cadeiras coloridas acomodam os clientes no ambiente sucinto mas aberto. A proposta é ser algo fácil de pegar e comer na rua mesmo, sem a necessidade de mesas.

As sobremesas ficam por conta da Sorveteria de Centro, estabelecimento vizinho à dogueria, uma dobradinha do casal que enche a rua Epitácio Pessoa.

O delivery, disponível pelo iFood, entrega o cardápio completo do Hot Pork e ainda possui opções de kits para finalizar em casa. Nesta modalidade, os ingredientes são entregues separados, como os pães, as salsichas e os complementos, dando liberdade ao cliente de moldar a refeição conforme seu gosto.

Hot Pork
Rua Bento Freitas, 454 – República. WhatsApp: (11) 94198-0318. 

Sorveteria do Centro

Sorveteria do Centro, tudo sem conservantes ou aditivos (Foto: Tina Bini)

Vizinho ao Hot Pork, a Sorveteria do Centro entrega mais uma vez qualidade e inovação dos premiados chefs brasileiros. Desde que foi inaugurado, em 2018, o estabelecimento faz sucesso com seus sorvetes bem elaborados e inovadores, fato que pode ser comprovado pelas filas formadas ali diariamente – que chegam a dobrar no calor e aos finais de semana.

Na Rua Epitácio Pessoa, a poucos metros do imperdível A Casa do Porco, a sorveteria funciona num espaço pequeno, em que o cliente faz o pedido e o recebe em uma das janelinhas redondas. Assim, as delícias geladas foram feitas para serem degustadas na rua – mais um incentivo para explorar o centro.

Os sorvetes são feitos sem conservantes ou aditivos, vendidos na versão “soft’ a base de leite da fazenda ou de frutas, o famoso “sorbet”. Saindo de duas máquinas, são cinco sabores fixos, como leite, chocolate, morango, jabuticaba e leite + chocolate. Outros sabores são rotativos, em que a ideia é ter criações sazonais e convidar os clientes a provar novidades.

Além dos sabores marcantes, a massa possui maciez deliciosa que causa sensação de refrescância e suavidade na boca. São dois tamanhos: o pequeno e o grande, que podem ser servidos nas casquinhas feitas artesanalmente ou em copinhos. Há ainda as opções de “sobremesa” e “alcóolicos”.

As sobremesas são misturas nada óbvias e inusitadas, como o sorvete à base de leite que leva bacon sequinho por cima e porcopoca no meio, uma iguaria da Casa do Porco. Destaque também para o de jabuticaba com poejo (espécie de hortelã) e calda de chia, que dá um toque de doce com o crocante do suspiro.

O afogatto faz parte dos alcoólicos, que leva leite, café espresso e rum, além do de jabuticaba, que leva calda de chia e uma intensa calda de cachaça. As guloseimas foram criadas junto da chef pâtisserie Saiko Izawa, com passagem também pela Casa do Porco.

Como forma de se adaptar ao boom dos deliveries na pandemia, a sorveteria, em parceria com o Hot Pork, criou uma linha sorvetes exclusiva para entrega a domicílio. São quadradinhos de morango, chocolate branco e chocolate crocante que vêm em divertidas caixinhas de 6 ou 12 unidades. Os pedacinhos de sorvete cobertos estão disponíveis no iFood.

Sorveteria do Centro
Rua Epitácio Pessoa, 94 – República. WhatsApp: (11) 94198-0318. 

___________

Mais Recentes da CNN