por: Viagem e Gastronomia Viagem e Gastronomia

Onde os chefs comem? Com Eduardo Ortiz e Luana Sabino, do Metzi, em São Paulo

Já se perguntou onde os chefs dos restaurantes mais badalados do mundo comem quando não estão atrás das panelas? Na nossa coluna “Onde os chefs comem”, eles abrem o jogo e contam quais seus restaurantes prediletos

Os chefs Luana Sabino e Eduardo Ortiz, casal por trás do Metzi, casa mexicana em Pinheiros
Os chefs Luana Sabino e Eduardo Ortiz, casal por trás do Metzi, casa mexicana em Pinheiros Estúdio Cumaru

CNN Viagem & Gastronomia

São Paulo

Ouvir notícia

Ela é uma brasileira que já passou por casas renomadas em São Paulo, como o Arturito, o Tuju e o Petí. Ele é um mexicano natural de Oaxaca com experiência em restaurantes locais que apostavam nas tradições do país.

Mais do que apenas no amor, porém, o casal Luana Sabino e Eduardo Ortiz também se encontrou na gastronomia e juntos abriram o Metzi, restaurante mexicano com ingredientes brasileiros no bairro de Pinheiros, na capital paulista.

Tendo a sustentabilidade como um dos pilares principais, o trabalho dos chefs busca colocar os ingredientes brasileiros no centro da mesa, sempre de olho no respeito à sazonalidade.

O nome do restaurante é uma homenagem à deusa da lua, segundo a mitologia asteca, e no menu há receitas tradicionais, principalmente as oaxaquenhas, com ingredientes dos dois países. Espere pelo guacamole, o couve-flor com chamoy de tamarindo e manchamanteles, a tostada de polvo e tlayuda oaxaqueña com tasajo de ancho – que já são os favoritos da casa.

Fora da cozinha que mescla o melhor de ambos os países, o casal também experimenta outros sabores pela cidade – de bares tradicionais até restaurantes japoneses e outros que o foco é a carnes. A seguir, os restaurantes prediletos de Eduardo e Luana por São Paulo:

Bar do Biu

Em tudo que eles se propõem a fazer, sai perfeitamente bem. No Bar do Biu, come-se a melhor feijoada (entre R$ 78 e R$ 88), o melhor baião de dois (entre R$ 59 e R$ 130), além do melhor PF da cidade.

Os pratos seguem desde preparações mais clássicas até variações vegetarianas e com outros ingredientes deliciosos. Dizemos que é uma comida muito bem feita. Mesmo frequentando o restaurante toda semana, não conseguimos escolher um prato preferido.

Rua Cardeal Arcoverde, 776 – Pinheiros, São Paulo – SP / Tel.: (11) 3081-6739 / Horário de funcionamento: aberto todos os dias das 11h às 18h. Delivery via WhatsApp, iFood e Rappi

By Koji

Detalhes do interior do restaurante japonês By Koji no Morumbi / Rafael Renzo/Divulgação

O frescor dos peixes do By Koji são de outro mundo. Nunca provamos um carapau tão fresco quanto o servido pelo chef Koji Yokomizo – o sashimi com cinco fatias sai por R$ 30.

De sashimis, sushis, moriawase até aperitivos e pratos feitos na chapa, a comida é fresca e saborosa. Uma curiosidade: às vezes, usamos os peixes de lá até para abastecer o Metzi.

Praça Roberto Gomes Pedrosa, 1 Portão 4, Estádio do Morumbi / Tel.: (11) 3624-7710 / Horário de funcionamento: terça a domingo das 12h às 15h (almoço) e das 19h às 22h (jantar) / Reservas via site / Delivery via iFood

Tonkotsu Barikote Ramen Maru

Ramen é um assunto sério para nós. Tínhamos o costume de comer toda semana quando estávamos em Nova York. Mas São Paulo também tem seu lugar: é numa pequena portinha na rua José Maria Lisboa que fica um dos melhores que já provamos.

Entre os destaques está o tonkotsu original (R$ 43), caldo feito à base de porco, temperado com shoyu, macarrão fino, ovo marinado, cebolinha, cogumelo marinho, gengibre e panceta. O karaage (R$ 30) e os domburis semanais também são boas pedidas.

Assim, tivemos a certeza de que São Paulo tinha um ramen muito bem feito, com um caldo potente, quando encontramos o Tonkatsu pela recomendação do nosso amigo Gerard Barberan.

Rua José Maria Lisboa, 118 – Jardim Paulista, São Paulo – SP / Tel.: (11) 98721-0498/ Horário de funcionamento: terça-feira a domingo, das 12h às 15h e das 18h às 22h / Delivery via site

Frangó

Eu, Luana, cresci na zona norte de São Paulo, a poucas ruas da Praça da Matriz. Meu pai sempre foi aquela pessoa que manda bem na cozinha e sabe como mimar as filhas. E às vezes nos surpreendia com um presente: a coxinha de frango com catupiry do Frangó (R$ 7,90 a unidade; R$ 49 por 10 unidades aperitivo).

Como uma boa brasileira, amo uma coxinha, e a do bar faz um baita sucesso. A casa também serve uma variedade de cervejas que fazem a alegria dos amantes da bebida. Digo que Frangó é como um amor de infância que passei para o Eduardo.

Largo da Matriz de Nossa Senhora do Ó, 168 – Freguesia do Ó, São Paulo – SP / Tel.: (11) 3932-4818 ou 98441-0215 / Horário de funcionamento: segunda-feira, das 11h às 21h; terça a sábado até 24h; domingo até 19h / Delivery via iFood

Cór

Cortes de wagyu do Cór Gastronomia / Divulgação

O Eduardo é o mais carnívoro de nós dois: quando entra no Cór é como uma criança feliz. Já eu, Luana, não sou tão chegada em carnes, mas se for para comer uma tem que ser no Cór. A casa no Alto de Pinheiros com supervisão de Renzo Garibaldi é especializada em maturação a seco, que valoriza o produto como deve ser.

A maturação e o ponto da carne são realmente muito bons. Da cozinha saem ancho (R$ 114), wagyu (R$ 180), chorizo (R$ 99) e cortes dry-aged, como prime-rib e T-Bone. Gostamos tanto do restaurante que comemoramos nossos aniversários no local.

Praça São Marcos, 825, Alto de Pinheiros – São Paulo-SP / Tel.: (11) 3726-2908 / Horário de funcionamento: segundas-feiras, das 12h às 15h; terça a quinta-feira, das 12h às 23h; sexta-feira e sábado, das 12h às 24h; e domingos das 12h às 18h. Reservas via site. Delivery via iFood


Mais Recentes da CNN