por: Viagem e Gastronomia Viagem e Gastronomia

Mico, sétimo restaurante de Renata Vanzetto, aposta nos sabores do Oriente

O mais novo restaurante do grupo Eme, Mico é a primeira investida da chef nos sabores da culinária árabe

Ambiente do Mico, nova casa que fica no segundo piso do já consagrado Mi.Ado
Ambiente do Mico, nova casa que fica no segundo piso do já consagrado Mi.Ado Gustavo Steffen

Tina Binido Viagem & Gastronomia

São Paulo

Ouvir notícia

Renata Vanzetto é inquieta e tem o tino aguçado para empreender na gastronomia. Consegue, como poucos, imprimir sua personalidade em todas as casas do grupo do qual está à frente, o Eme, que é formado pelos restaurantes Ema, MeGusta, Muquifo, Matilda, Mé e Mi.Ado, e o mais novo da turma, o pequeno Mico.

A entrada do Mico é a mesma do Mi.Ado, nos Jardins. O que nos leva a pergunta: por que não manter o segundo piso também do Mi.Ado, já que ele vive com fila na porta, ao invés de abrir um novo restaurante no mesmo lugar? Eis o mistério de Renata. Mas todo mundo sabe e uma coisa é fato: ela não dá ponto sem nó e as filas agora já estão nas duas casas.

Bar do Mico, nova casa da chef Renata Vanzetto / Tina Bini

Seguindo o mesmo padrão dos outros empreendimentos, o Mico é pequeno, com poucas e disputadas – muito disputadas, vale frisar – mesas, e uma decoração cheia de detalhes. A começar pela parede pintada com uma linda floresta e micos, além de plantas penduradas pelo teto. O bar tem um ar retrô e a varanda aconchegante te leva facilmente para uma tarde em Marrocos.

No menu, a proposta é pedir vários pratos para compartilhar. No Mico, as receitas com sotaque do Oriente Médio chegam em pequenas porções, cheias de cores, sabores, temperos e, claro, acompanhadas de um bom azeite e pão árabe quentinho.

Com porções para compartilhar, o Mico é um convite aos sabores do Oriente Médio / Tina Bini

Comece com a porção de croquete de babaganush (R$ 36 – quatro unidades) que acompanha creme de alho picante. Peça também o famoso kibe cru de atum do Ema, que está presente na nova casa, com semente de romã, hortelã, pão sírio crocante, trigo e coalhada seca (R$ 43), ou ainda o Tchururu, um delicioso queijo feta assado com presunto cru, figo fresco, pistaches, mel, orégano, tomatinhos e pão (R$ 64).

E, como em toda casa com sabores do Oriente, Renata também criou um bem executado trio de pastas, chamado aqui de trio Calafrio, com babaganush, pink homus e coalhada seca (R$ 38).

Depois parta para o bem servido polvo no vinho branco puxado no alho, salsa e limão siciliano, que é acompanhado de batata dourada e creme de alho picante (R$ 174 – com quatro tentáculos para compartilhar).

Ainda tem a paleta de cordeiro inteira assada por horas com molho de ervas (R$ 235 – para compartilhar em três pessoas); o Kibe & Berinjela ao forno, que são fatias de berinjela assadas com molho de tomate com toque de canela e finalizada com dois kibes fritos e coalhada seca (R$ 48); e uma couve-flor para os amantes de coentro, que chega tostada sobre homus de coentro, azeite de coentro e amêndoas (R$ 40).

Durante a semana, o Mico possui um menu executivo por R$ 68 com prato principal e sobremesa.

Polvo com batatas e creme de alho picante do Mico / Tina Bini

Para finalizar, o brigadeiro de pistache chega cremoso e quentinho numa panelinha (R$ 40), daqueles que é impossível parar de comer.

Essas receitas do Oriente fazem parte da vida da Renata, que, como ela mesma conta, são suas preferidas para os encontros com os amigos. “Uma cozinha fresca, informal, para compartilhar. O Mico, uma cozinha sem vergonha!”, brinca a chef fazendo um trocadilho com o nome do restaurante.

De fato, de mico, o Mico não tem nada.

Rua Bela Cintra, 1533, Jardins – São Paulo – SP/ Reservas clique aqui / Horário de funcionamento: terça a sexta, das 12h às 15h e das 19h às 23h, sábados, das 13h às 17h e 19h30 às 23h, domingos, das 13h às 17h.


Mais Recentes da CNN