por: Viagem e Gastronomia Viagem e Gastronomia

Lisboa, a capital da gastronomia por Daniela Filomeno

Ouvir notícia

Quem acredita que a gastronomia portuguesa é feita de bacalhau e doces à base de ovos terá uma surpresa em Lisboa. Realmente é possível comer um ótimo bacalhau, mas uma nova geração de chefs está reescrevendo a história gastronômica do país. Vamos conhecer? 

Experiência gastronômica imperdível

Um dos chefs mais badalados de Portugal, José Avillez, abriu a gastronomia lisboeta para o mundo. Seu principal restaurante, o Belcanto, conquistou sua primeira estrela Michelin com menos de um ano de vida. Do estágio com o catalão Ferran Adriá, uma herança moderna e criativa, mas Avillez seguiu por uma caminho próprio e tem em sua cozinha a sua forma de expressão. Entre os pontos altos, a Galinha dos Ovos de Ouro, um dos pratos que pedimos na casa e que remete à infância de Avillez, que se inspirou no clássico infantil Sítio do Pica-Pau Amarelo. O menu degustação de 6 pratos custa € 125 e a versão estendida, com nove, € 165 (preço dezembro de 2019). Uma experiência inesquecível! 

Laranja, a sobremesa do Belcanto (Foto: Daniela Filomeno)

Ótimo custo-benefício

O Taberna da Rua das Flores é uma iguaria da culinária local. Ele fica escondido em uma rua no Chiado e só é conhecido por locais, tanto que nem site tem. Simples e pequeno, tem decoração que remete às tavernas antigas e ótimo benefício e comida. Seu menu é enxuto e escrito em uma lousa, diariamente, com delícias como a sardinha no azeite (€3,50) ou as ovas de sardinha (€ 16). Já o A Travessa, tem cozinha internacional com toques locais e uma linda localização: o Convento das Bernardas. É uma casa mais sofisticado a um ótimo preço: menu degustação que varia a cada dia a € 14,50, com pratos como anchovas com rúcula selvagem ou ovos mexidos com cogumelos. O Prado Restaurante tem ambiente super cool e comida maravilhosa. Ótimo custo-benefício e um belo exemplo da culinária moderna de Lisboa.

Uma das novidades mais pulsantes da nova gastronomia lisboeta: Prado Restaurante, moderno e imperdível (Foto: Dani Filomeno)

Veja também: 

5 opções de programas para fazer na sua primeira visita a Lisboa
Top 5 Rooftops de Lisboa
Um giro pelos restaurantes tradicionais de Lisboa 

Modernos

Qual o restaurante do momento de Lisboa? O JNcQuoi ocupa este posto com uma fórmula de sucesso: restaurante moderno, comida deliciosa no térreo, um bar no subterrâneo com um menu mais leve e drinques executados com perfeição, além de uma livraria Assouline e multimarca superdescolada e grifada (de Balmain a Gucci). E a comida? Deliciosa! O Bacalhau (€29) com crosta de broa de milho estava suculento, macio e levíssimo, vem com uma boa porção de azeite no fundo para regar o peixe ao servir. De sobremesa, o pão de ló com ovos moles, vale a pedida. Não deixe de reparar no banheiro que tem nada mesmo que uma ante-sala com DJ(!). Ps: abriu faz pouco tempo o vizinho JNcQUOI Asia e já está bombando.

Cervejarias

Frutos do mar com cerveja gelada na Cervejaria Ramiro (Foto: Tina Bornstein)

A Cervejaria Ramiro é um convite para experimentar diferentes frutos do mar acompanhados de uma boa cerveja gelada. Muitos camarões, mariscos, lagostas e lagostins fazem parte do extenso cardápio. Os carabineiros, que são uma espécie de camarão capturados em altas profundezas, são imperdíveis. O quilo chega a custar € 100 (cerca de R$ 400), mas aqui custam € 87 (aproximadamente R$ 350). Conseguir uma mesa requer paciência, já que a casa não faz reservas. A Marisqueira Nunes é o mesmo esquema, porém um pouco mais fácil de conseguir mesa, mais frequentada por locais.

Sazonal

Com um menu que respeita a sazonalidade dos ingredientes, o restaurante Feitoria é comandado pelo chef João Rodrigues que sonhava em ser biólogo marinho e tem como foco desenvolver o produto a partir da “matéria”, basicamente o ingrediente e toda a sua história, de origem a utilização por meio do tempo. O atual cardápio tem algumas opções de degustações, entre elas, o Menu Matéria 4 pratos (€ 105) combina peixe com açorda e folhas de inverno. Já em outro prato, o toucinho do céu leva folhas de cardamomo e citrinos do “lugar do olhar feliz”. 

Pastel de Natal: qual o melhor da cidade?

A centenária fábrica Pastel de Belém produz desde 1837 estas delícias, que seguem uma receita antiga do Convento dos Jerônimos. Diariamente, mais de 20 mil unidades saem do seu forno direto para as mãos dos clientes ávidos por esta iguaria portuguesa – que tem receita secreta e pode ser comido com canela e açúcar polvilhado.

O tradicional Pastel de Belém é parada obrigatória (Foto: Daniela Filomeno)

Agora, a Manteigaria, que abriu há apenas dois anos, oferece em três endereços de Lisboa a iguaria e tem conquistado o coração – e estômago – de muitos. O recheio é mais consistente e farto e sua massa parece ser mais fina. Um bom pastel de nata é o equilibro perfeito de uma massa crocante e não gordurosa com um recheio cremoso não muito doce – e que seja saboroso tanto frio ou quente. Quer descobrir o melhor? Só experimentando um a um para saber qual te agrada mais. Outros lugares ainda valem experimentar: Confeitaria Nacional, Mercado do Peixe, Fabrica de Nata, Fim de Século, Pastelaria Aloma e o Pãozinho das Marias. Qual a solução? Comer um de cada e decidir seu preferido, não?

Pastel de Nata da A Manteigaria (Foto: Daniela Filomeno)

 

Notícias do Futuro: como está a reabertura dos bares e restaurantes em Portugal

 

Mais Recentes da CNN