por: Viagem e Gastronomia Viagem e Gastronomia

Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Dia do Ceviche: curiosidades e 10 restaurantes para saborear o prato em SP

    No Dia Internacional do Ceviche confira curiosidades sobre esse prato leve e refrescante, e endereços que servem versões saborosas na capital paulista

    Ceviche do La Peruana, comandado pela chef peruana Marisabel Woodman
    Ceviche do La Peruana, comandado pela chef peruana Marisabel Woodman Gustavo Steffen

    Tina Binido Viagem & Gastronomia

    São Paulo

    Ouvir notícia

    No dia 28 de junho é celebrado o Dia Internacional do Ceviche, que adquiriu fama por aqui e é considerado patrimônio cultural do Peru.

    Os primeiros registros deste prato foi há mais de 4 mil anos na era pré-colombiana. O povo Mochica, do litoral norte do Peru, e os Incas faziam algo similar usando “chicha”, bebida fermentada do milho, e ao longo do tempo foram acrescentando “aji”. O limão, fundamental nas receitas atuais, só veio a ser usado a partir do século 16.

    Este prato, tradicionalmente, é feito de peixe fresco e cru, cortado em pequenos cubinhos e marinado num importante ingrediente: o “leche de tigre”. O leite de tigre é um suco feito com caldo de peixe, limão, cebola, pimenta e ervas e leva esse nome devido à cor branca e “tigre” ao fato desse molho ser usado para curar ressacas e dar forças a quem o ingere.

    O chef peruano Enrique Paredes, que comanda a cozinha do restaurante peruano Amazo, no centro de São Paulo, compartilha curiosidades sobre o ceviche:

    1. O ceviche não é um prato que só pode ser preparado com peixe: no Peru existem pratos que também chamam ceviche, mas são feitos com frango e pato, por exemplo;
    2. Ele quase sempre é um prato frio, mas algumas regiões do Peru tem ceviches quentes que formam parte da cozinha tradicional do país;
    3. Há alguns anos, a chef peruana Nikkei Rosita Yimura criou o primo do ceviche, chamado de “Tiradito”. A única diferença é no corte do peixe, que chega em finas lâminas também no leite de tigre;
    4. O leche de tigre (que é a receita tradicional do ceviche com limão) nem sempre foi um prato,  o leche de tigre era só o líquido que ficava no fundo do bowl onde era feito o ceviche. Nos últimos anos, o leche de tigre virou um prato da culinária peruana e é feito, as vezes, com molhos de pimentas peruanas ou ervas;
    5. Os acompanhamentos do ceviche mais tradicionais são batata doce e milho. Porém, dependendo da região do Peru isso pode mudar. Na selva do Peru é comum vir com banana da terra e mandioca, já no norte vem com feijão verde (sarandajas), mandioca amarela e chips de banana (chifles);
    6. Os peruanos comem ceviche pelo menos uma vez na semana, mesmo no inverno. No verão, eles comem mais vezes, é quase como o arroz com feijão para os brasileiros.

    Confira a seguir 10 restaurantes onde comer ceviches em São Paulo:

    La Peruana

    La Peruana, comandada pela chef peruana Marisabel Woodman / Divulgação

    No restaurante La Peruana, da chef Marisabel Woodman, o cardápio é recheado de ceviches que agradam todos os paladares. Entre as seis opções fixas, além dos especiais sugeridos que podem aparecer aos finais de semana, há do clássico ao vegano.

    El Campeón, preparado em duas temperaturas, peixe branco fresco e polvo a la brasa no leche de tigre de rocoto e polvo – acompanha chips de banana e cancha chulpi (R$ 69); Nikkei de Atum, atum com ponzu de laranja Bahia, crocante de wasabi, cubos de manga e pepino japonês, gergelim, nori e wonton (R$ 65); e o Veganoabobrinha, e cogumelo paris defumados, pepino, cebola roxa, coentro, pimenta marinados no leche de tigre de tucupi, acompanhado de milho chulpi e batata doce brulée (R$ 44), são algumas das opções.

    La Peruana: Al. Campinas, 1357 – Jardins – SP / Tel.:  5990-0623 / Horário de funcionamento: terça a quinta, das 19h às 23h, sexta, das 12h às 15h e 19h às 23h, sábado, das 12h às 16h30 e 19h às 23h, e domingo, das 12h às 17h. 

    Ama.zo

    Um dos restaurantes peruanos mais concorridos da cidade, localizado no centro de São Paulo, serve cinco opções de ceviche do chef Enrique Paredes. Aposte no Cebiche Miraflores, pesca do dia marinada ao limão e pimenta, molho de pimenta rocoto defumada, mouse de batata roxa, farofa de canchita (R$ 75); no Cebiche y Pulpo, pesca do dia marinada em molho de pimenta vermelha rocoto, polvo na brasa, mousse de batata doce e mousse de abacate (R$ 79); ou no Cebiche Nikkei, salmão em salsa oriental nikkei, mousse de abacate, pepino japones e alho poró (R$ 78).

    Num casarão no centro da cidade fica o AMAZO, casa do chef Enrique Paredes / Luis Morales Tineo

    Amazo Peruano: Rua dos Guaianazes, 1149 – Campos Elíseos – São Paulo/SP / Tel.: (11) 99560-4321 / Horário de funcionamento: terça a sexta, das 12h às 15h30, sábado e domingo, das 12h às 18h, e quinta a sábado das 19h às 23h 

    Barú Marisqueria

    O Barú Marisqueria, casa comandada por Dagoberto Torres, é outro endereço superdisputado de São Paulo para comer peixes e frutos do mar. Pequeno e quase escondido em plena rua Augusta, o chef apresenta um cardápio enxuto, que de tão saboroso e bem executado entrou na seleta lista do Guia Michelin na categoria Bib Gourmand. Por ali, o ceviche Oniguiri, de pescado, castanha de caju, pasta de pimenta fermentada e oniguiri (R$ 57) faz muito sucesso.

    Barú Marisqueria: Rua Augusta, 2542 / Tel.: (11) 3062-0898 / Horário de funcionamento: terça a quinta, das 12h às 15h e das 19h às 22h, sexta e sábado, das 12h às 16h e das 19h às 22h, e domingo, das 12h às 17h. 

    Suri Ceviche

    Ceviche Tierra y Mar do Suri / Reprodução Facebook

    O Suri Ceviche funciona há anos em Pinheiros e foi uma das casas pioneiras em divulgar a comida latino-americana na cidade. No menu, uma seção especial de ceviches com opções como o Clássico Mixto com corvina, camarão e lula, cebola roxa, coentro, milho e batata doce cozida (R$ 57); Clássico Peruano com corvina, cebola roxa, coentro, milho e batata doce cozida (R$ 50); e Tierra y Mar com atum, coalhada seca, tomate cherry, cebolinha, coentro, bacon e totopos (R$ 56).

    Suri Ceviche: Rua Mateus Grou, 488 – Pinheiros/ Horário de funcionamento: terça a sexta, das 12h às 15h e 19h às 22h30, sábado e domingo, das 12h às 16h30 e das 19h às 22h30. Não abre às segundas-feiras.

    Comedoria Gonzales

    A Comedoria Gonzales, comandada pelo chef boliviano Checo Gonzales, também à frente do Mescla, faz sucesso no Mercado Municipal de Pinheiros com delícias típicas do Peru e da Bolívia, como ceviches, milho cozido e costelinhas, em espaço descontraído.

    Entre as opções de ceviches, o Ceviche de Peixe na marinada cambuci, ou seja, no limão, tomate, caldo de peixe, cebola roxa, dedo de moça, milho verde e farofa de milharina (R$ 26); o Cebiche Peixe marinado no suco de laranja e limão, leite de coco, caldo de peixe, cebola roxa, tomate, dedo de moça, coentro, gomo de laranja e coco queimado (R$ 26); o Cebiche Camarão na marinada cambuci (R$ 36); ou ainda o Cebiche Misto, com peixe e camarão na marinada em suco de laranja e limão, leite de coco caldo de peixe, cebola roxa, tomate, dedo de moça coentro, gomos de laranja e coco queimado (R$ 36).

    Comedoria Gonzales: R. Pedro Cristi, 89 – Box 85 – Pinheiros / Tel.: 3813-8719 / Horário de funcionamento: segunda a sábado, das 11h às 17h. 

    Botanikafé 

    Famoso pelos brunches, o Botanikafe também tem um bom ceviche / Bruno Geraldi/Divulgação

    A casa especializada em brunch, dos sócios Manuela Albuquerque e Felipe Scarpa, tem no menu o ceviche com receita supertradicional feito com peixe fresco marinado no limão, tomate cereja, cebola roxa, gengibre, tangerina, pimenta dedo-de-moça, coentro e chips de batata-doce (R$ 45). A sugestão é servida somente nas unidades Barra Funda e Butantã.

    Botanikafe: Av. Magalhães de Castro, 286 / Tel.: (11) 93431-5660 Horários: Restaurante – Segunda a quinta-feira, das 8h às 18h, sexta, sábado, domingo e feriados, das 8h às 20h. Bar da Praia: Segunda a quinta- feira, das 14h às 22h, sexta, das 12h às 22h, sábado, domingo e feriados, das 8h às 20h. 

    MeGusta

    Ceviche das Minas do MeGusta Bar / Gustavo Steffen

    O MeGusta Bar é a casa com culinária inspirada nas cozinhas mais temperadas do mundo, segundo a chef Renata Vanzetto, a peruana, a mexicana e a brasileira. Lá, é servido um ceviche das Minas feito com peixe, camarões, muito coentro, extra pimenta e mandiocas fritas (R$ 58).

    MeGusta Bar: Rua Bela Cintra, 1551, Jardins / Tel.: (11) 98232-7677 / Horário de funcionamento: terça a sexta, das 18h30 às 24h,e sábado, das 14h às 24h. Não abre aos domingos e segundas-feiras. 

    The Bali F12 

    O The Bali F12 é um complexo que reúne quadras de praia, restaurante, rooftop e muito verde, na Serra da Cantareira, zona norte de São Paulo. Ali, o chef Bruno Peralta serve uma combinação de fusion food entre a gastronomia da ilha que empresta o nome ao espaço e o paladar brasileiro. Entre as entradas, faz sucesso o ceviche de peixe branco (R$ 49). Ele é preparado com cebola-roxa, pimenta-dedo-de-moça, batata-doce, suco de limão e milho frito, e é servido com chips de raízes.

    The Bali: Av. Nova Cantareira, 3784, Tucuruvi / WhatsApp.: (11) 93903-6470 / Horário de funcionamento: segunda a sexta, das 7h às 23h, sábado, das 8h às 23h, e domingo, das 8h às 18h.

    Rinconcito Peruano

    Riconcito Peruano existe há 17 anos e é um dos grandes percursores da gastronomia peruana na cidade / Luis Vinhão

    Nascida há 17 anos, na rua Aurora no centro de São Paulo, a rede Rinconcito Peruano, é uma das grandes precursora no segmento. Com várias unidades supervisionadas pelo chef Edgard Villar, autodidata e natural de Apurimac, no Peru, aparecem no menu diversas opções de ceviches, como o misto, à base de pescado, camarão, polvo, mariscos e lula, de pescado, de salmão, de camarão ou o vegetariano. Os valores variam conforme o tamanho da porção a partir de R$ 43,90, o individual,  podendo chegar a R$ 175,90 o tamanho família.

    Rinconcito Peruano: Rua Dr. Cesar, 826 – Santana /  Tel.: (11) 3171-3112 / Horário de funcionamento: todos os dias, das 12h às 22h. Confira outros endereços no site

    Qchicha Restaurante

    O restaurante peruano da Vila Madalena tem muitas opções de ceviches, entre eles o Carretillero com peixe e camarão em leite de tigre e pimenta amarela acompanhados de milho, chips artesanais e lula dorê (R$ 47); oNikkei com atum em leite de tigre nikkei feita com ponzu, algas marinhas, gergelim, shoyu, limão e abacate (R$ 50); ou o Chorrillano com peixe, polvo grelhado, leite de tigre de polvo, peixe empanado e batata doce (R$ 55).

    Qchincha: R. Girassol, 654 – Vila Madalena / Tel.: (11) 3032-4211 / Horário de funcionamento:  terça a sexta, das 12h às 15h e das 19h às 23h, sábado, das 12h às 16h e das 19h às 23h, e domingo, das 12h às 17h. Não abre às segundas-feiras. 


    Mais Recentes da CNN