Cinco restaurantes orgânicos e sustentáveis em São Paulo

Da horta à mesa, essas casas fazem questão de valorizar toda a jornada do alimento até chegada ao prato, preservando seus nutrientes e respeitando sazonalidades. Responsabilidade social e ambiental também são temas abraçados por eles!

Carpaccio de Portobello é um clássico do Teva que não sai do cardápio
Carpaccio de Portobello é um clássico do Teva que não sai do cardápio

Ouvir notícia

São Paulo é a cidade de inúmeras possibilidades gastronômicas. Todas as tendências, novidades e estilos de cozinha encontram na capital paulista morada fixa e acolhedora, tudo graças ao público diverso, adepto a novidades, com gosto e personalidade variados, e estilo de vida que faz com que haja espaço para todas as experiências culinárias.

Não é de hoje que hábitos saudáveis e conscientes vêm conquistando lugares especiais na vida dos brasileiros, seja em forma de ação ou alimentação. Nesse embalo, ganha luz restaurantes que vão muito além do ato de servir refeições, mas que valorizam os processos de plantio, colheita, produção. Aproveitam o alimento por inteiro, evitando desperdícios, e preparam uma comida nutritiva. Mais: não deixam de lado a preocupação ambiental e social.

Quem comprova esses caminhos é a Associação de Promoção dos Orgânicos, a Organis. Segunda ela, em 2019, o mercado de orgânicos movimentou R$ 4,6 bilhões, 15% mais do que o ano anterior. Ainda de acordo com a Associação, no primeiro semestre de 2020 houve um aumento de 50% na procura de orgânicos no mercado varejista.

Acompanhando esse crescimento, o número de pessoas que diminuiu seu consumo de proteína animal também teve um salto nos últimos anos. Luna Azevedo, nutricionista pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e idealizadora do projeto ‘Vida Por Luna’ – com intuito de informar a população sobre alimentação saudável e consciência ambiental -, explica a relação direta desse crescimento com o aumento da responsabilidade e engajamento das pessoas. “A busca por alimentos orgânicos tem crescido no país. As pessoas estão mais conscientes em relação ao produto que estão consumindo e ao meio ambiente. Os agrotóxicos e fertilizantes utilizados no sistema de cultivo convencional contaminam o solo, o lençol freático e o ar. No sistema de cultivo orgânico essas substâncias não são utilizadas”, lembra a nutricionista.

“O aumento de vegetarianos e veganos, assim como o de pessoas que adotam um estilo de vida com um consumo menor de produtos de origem animal, também está relacionado a um aumento da consciência em relação ao meio ambiente.” completa.

E se você está cada vez mais em busca desse estilo de alimentação e da mudança de hábitos, esses cinco espaços que listamos abaixo serão como um abraço apertado:

Da Vila abriu as portas em São Paulo em novembro de 2020
Da Vila abriu as portas em São Paulo em novembro de 2020 (foto: Daniela Caravaggi)

Da Vila

Famoso em Salvador e queridinho dos baianos que amam alimentação saudável, o ‘Da Vila’ é comandado pela chef Luisa Leite e chegou em São Paulo em novembro de 2020, numa casa de dois andares cheia de charme em Pinheiros. O cardápio, 100% vegano e sem glúten, oferece uma comida variada, com sabor e qualidade.

São opções de entradas para compartilhar, bowls diversos, pratos principais, drinques e sobremesas. Além disso, vários produtos como cookies, biscoitos salgados, granolas, kombucha, entre outros podem ser comprados no local e levados para casa.

“Quando falamos de alimentação saudável, falamos de uma volta às raízes, com processos produtivos saudáveis e sustentáveis para toda a cadeia: para o produtor, para quem compra e para quem consome. A pergunta que me faço é: todo o meu processo tem um viés de sustentabilidade? O transporte, a distância, a logística, estão adequados? Eu gosto de entender as dores daquelas pessoas, quais são suas dificuldades, o que é possível e o que não é. É muito além de mandar uma lista de compra para os meus fornecedores”, ressalta Luisa. Hoje, 95% dos produtos do restaurante são orgânicos.

Apesar do cardápio 100% vegano, a chef enfatiza: “não é um restaurante feito para veganos. Foi criado com o intuito de oferecer uma comida saudável, com sabor e responsabilidade. Quando vi, a base era totalmente vegana. O conceito por trás é maior do que levantar uma bandeira ou outra. Acredito em um ativismo feito no dia a dia, com nossas entregas e mudanças de hábitos em prol de um planeta que sobreviva”.

O “Alfredo” é um talharim de abobrinha ao molho Alfredo feito com castanhas e tofu, cogumelos assados na brasa e farofa de amêndoas

De terça a sexta, das 12h às 16h, o cliente pode optar entre o PF Vegano (feijão fradinho com tofu defumado, arroz cateto, purê de kabotchan com gengibre, chips de cavalo negro e farofinha de castanhas – por R$ 44), pelo prato da semana (R$ 40) ou pelo combo executivo que conta com uma saladinha de entrada, um prato principal ou bowl e uma sobremesa (R$ 50). Aos fins de semana, a casa também oferece um brunch.

O “Alfredo”, talharim de abobrinha ao molho Alfredo feito com castanhas e tofu, cogumelos assados na brasa e farofa de amêndoas, ganha destaque. Outra ótima sugestão é o “Bowl Fatuch”, com arroz negro, quinoa, homus, falafel, chutney de tomate, brócolis e cogumelos assados. Muito bem servido!

Responsabilidade para além da comida. Antes de abrir o espaço, Luisa teve o cuidado de reformá-lo apenas para melhorias pontuais, preservando boa parte de sua base, minimizando, assim, o impacto ambiental gerado pelas grandes obras. Lá, as embalagens utilizadas são todas recicláveis. Além disso, a água da casa é servida em uma garrafa de vidro de forma gratuita, evitando o uso desnecessário de plástico. Os uniformes dos funcionários e as cerâmicas que decoram o restaurante foram compradas de projetos sociais da região.

Rua Dr Virgílio de Carvalho Pinto, 137 – Pinheiros/ Horário de funcionamento: terça, quarta e quinta, das 11h às 21h; sexta e sábado, das 9h às 21h; domingo das 9h às 18h.

Teva

O carioca Teva desembarcou em São Paulo em 2019 para quebrar paradigmas da culinária vegana (Foto: divulgação)

Conhecido pelos cariocas desde 2016, o Teva, restaurante 100% vegetal e orgânico, abriu as portas em São Paulo em abril de 2019. A cozinha é comandada pelo chef, e um dos sócios, Daniel Biron, formado em design e vegano desde 2007. Biron tinha o desejo de começar a procurar uma profissão com sua filosofia de vida e decidiu, em 2010, ir estudar gastronomia em Nova York. Se encantou pelos modelos de restaurantes 100% veganos de lá e, assim, despertou o desejo de abrir seu próprio negócio nestes moldes. Nasceu o Teva, espaço que hoje tem o certificado de empresa B, garantia de modelo de negócio que tem preocupações pelo desenvolvimento socioambiental.

Desde o início, a casa se posicionou como um bar/restaurante em que os vegetais são os protagonistas e diferentes formas de preparo e molhos fazem referências à cozinha internacional. Com o objetivo de desconstruir estereótipos sobre o veganismo, foge de clichês. Um ambiente jovem e descolado, com lindos e diferentes pratos no cardápio, além de boas opções de drinques. As caixas de hortifruti fazem parte da decoração e deixam o clima ainda mais descolado e aconchegante.

 

Tofu picante do Teva

Preocupação socioambiental. As unidades do Teva não utilizam plástico. A água dos clientes também não é cobrada e sai direto da chopeira filtrada. Os tecidos dos aventais dos colaboradores são feitos com pet reciclado. A estrutura física, composta com madeira de reflorestamento e os hábitos de separação de lixo, reciclagem e logística reversa com os fornecedores fazem parte das ações tomadas pelo restaurante.

Por conta da sazonalidade, o cardápio é dinâmico, mas duas sugestões do chef que sempre podem ser encontradas é o Tofu picante (R$ 52) e o Espaguete de pupunha com cogumelo sauté, molho de castanha de caju e alho negro, ervilhas e azeite trufado (R$ 62). Aliás, vale contar: a palavra Teva, em hebraico, tem duas definições: natureza e imprimir. E como o chef destaca: seu papel é imprimir, deixar um legado e uma marca positiva ao planeta!

  1. Rua Cônego Eugênio Leite, 539 – Pinheiros / Tel.: (11) 3062-8257/ Horário de funcionamento: de terça a domingo, das 12h às 21h.

Cajuí

Com um cardápio sazonal à base de vegetais e ingredientes 100% orgânicos e nacionais, fornecidos por pequenos produtores de diversos biomas brasileiros, o Cajuí inaugurou no final de dezembro de 2019. Quem desenvolveu o cardápio foi a cozinheira Natalia Luglio, que após estudar gastronomia nos Estados Unidos e trabalhar em locais renomados, tornou-se vegetariana e passou a buscar formas sustentáveis e saudáveis para se alimentar.

A proposta da casa é funcionar durante quase todo o dia: almoço, café da tarde, jantar e brunch aos finais de semana. Todas as receitas são exclusivas e, em muitos casos, com ingredientes pouco utilizados ou totalmente esquecidos provenientes das mais diversas regiões do país. Confira nossas sugestões de pratos nesta matéria falando sobre a abertura do restaurante.

Hambúrguer de feijão preto do novo Cajuí (Foto: Tina Bini)
Hambúrguer de feijão preto do novo Cajuí (Foto: Tina Bini)

Rua Aspicuelta, 202 – Vila Madalena – São Paulo / Tel.: (11) 99116-8660 / Horário de funcionamento (incluindo feriados): terça a sexta, das 12h às 23h; sábado, das 10h às 16h e das 18h às 23h, e domingo, das 10h às 16h.

Quincho Cozinha & Coquetelaria

O Quincho abriu em março de 2018, na Vila Madalena, com a proposta de quebrar paradigmas e preconceitos relacionado à culinária vegetariana. A proposta é trazer um cardápio e ambiente inclusivo, que apresenta os vegetais em sua potência máxima e que seja desejado inclusive por carnívoros. O espaço já conquistou os paulistanos e é referência quando o assunto é comida sem carne.

“São pratos criativos, descomplicados e com vegetais em apresentações cheias de técnica e sabor”, explica a chef Mari Sciotti, idealizadora e proprietária do restaurante. O cardápio é variado e conta com porções, pratos principais, lanches, saladas e drinques.

Quer uma dica da chef? “comece pelo ‘Bolovo’, delicioso, feito com massa de palmito de pupunha (R$ 18). De prato principal, peça o Picadinho de cogumelos ao vinho tinto, acompanhado de couve crispy, quibebe de abóbora, farofa de ovo e banana frita (R$ 50).

Bolovo com massa de palmito de pupunha é uma das sugestões da chef (Foto: reprodução Instagram)

Rua Mourato Coelho, 1140 – Vila Madalena/ Tel.: (11) 2597-6048/ Horário de funcionamento: de terça a sexta, das 12h às 15h30 e das 19h às 22h; aos sábados, das 12h às 17h e 19h às 20h; aos domingos e feriados, das 12h às 17h.

Purana

O restaurante tem o propósito de inspirar a reconexão com a natureza tendo a alimentação como agente de transformação, gerando menos impacto e inspirando as pessoas a viverem com mais saúde. Abriu as portas em Pinheiros com uma cozinha plant based, orgânica e sem trigo. Um ambiente agradável, acolhedor, com uma comida saborosa e sem química, rica em anti-inflamatórios.

Ótimas opções de café da manhã, para um lanchinho ou uma refeição completa podem ser encontrados no local. No menu itens como sucos detox (R$ 19), Super Salada com folhas, tomates cereja, cream cheese de castanha de caju, tofu, brócolis, couve-flor, cogumelos, nozes, damasco e cenourinha baby com molho de mostarda dijon, melado de cana e limão (R$ 45), Torta de guacamole (R$ 32) e Torta de maçã com doce de leite de castanha de caju (R$ 19) fazem sucesso.

A preocupação ambiental também faz parte do DNA do restaurante. Recém-lançado, o delivery do espaço nasceu com a proposta de ser o mais sustentável possível. Eles trabalham com embalagens compostáveis e grande parte dos produtos chega até o consumidor em embalagens de vidros retornáveis.

  1. Rua Cônego Eugênio Leite, 840 – Pinheiros/ Tel.: (11) 96640-7074/ Horário de funcionamento: segunda, terça, quarta e domingo, das 9h às 18h; de quinta a sábado, das 10h às 22h.

*Preços consultados em fevereiro/ 2021. Valores e horários sujeitos à alterações sem aviso prévio.

Mais Recentes da CNN