por: Viagem e Gastronomia Viagem e Gastronomia

Navio desaparecido há 130 anos no maior lago do mundo é encontrado nos EUA

Naufrágio, claramente identificado após todo esse período, está bem preservado graças às águas geladas do Lago Superior

Maxime Tamsettda CNN

Ouvir notícia

Uma vez que se pensava estar perdido para sempre, os destroços de 130 anos do navio Atlanta foram finalmente descobertos no fundo do Lago Superior, é o maior dos cinco Grandes Lagos na América do Norte, e o maior lago de água doce do mundo em extensão territorial.

Localizado a cerca de 60 quilômetros de Deer Park, no estado de Michigan, o “naufrágio maravilhosamente preservado” fica nas profundezas sombrias 650 pés abaixo da superfície do lago, de acordo com a Sociedade Histórica de Naufrágios dos Grandes Lagos (GLSHS), que anunciou sua descoberta na última semana.

O GLSHS encontrou a barcaça da escuna de 172 pés depois de usar o sonar em parceria com a Marine Sonic Technology para mapear mais de 2.500 milhas do Lago Superior no verão de 2021.

O tempo para a pesquisa para contextualizar o naufrágio explica o atraso no anúncio da descoberta de Atlanta, de acordo com Corey Adkins, diretor de comunicações e conteúdo da GLSHS.

Carregando uma carga de carvão, o Atlanta afundou durante uma tempestade em 4 de maio de 1891, enquanto era rebocado pelo navio a vapor Wilhelm.

Apanhado por um vendaval de noroeste, não só o cabo de reboque se rompeu, mas também as velas de Atlanta, que o deixaram à mercê da tempestade.

A tripulação de sete pessoas conseguiu pegar um bote salva-vidas e remou por horas até chegar à Estação de Salvamento de Crisp Point. Ao tentar atracar perto da estação, capotou e apenas dois membros conseguiram chegar em segurança à costa.

Adkins disse que os relatos detalhados do naufrágio vêm de depoimentos de sobreviventes registrados pelo Serviço de Salvamento de Vidas dos EUA. A organização acabou se tornando a Guarda Costeira dos EUA.

Conservado no frio

Os mastros do navio foram perdidos na tempestade; o naufrágio mostra onde os mastros se partiram / Great Lakes Shipwreck Historical Society

Imagens do naufrágio feitas por um ROV (Remote Operated Vehicle) mostram os restos de uma roda, banheiros e mastros quebrados.

De acordo com Bruce Lynn, diretor executivo do GLSHS, naufrágios que podem ser claramente identificados após tanto tempo são raros. O naufrágio está especialmente bem preservado graças às águas geladas do Lago Superior.

“É verdadeiramente ornamentado e ainda bonito depois de 130 anos no fundo do Lago Superior”, disse Lynn em comunicado.

Os sobreviventes disseram que todos os três mastros se partiram durante a tempestade, de acordo com o GLSHS, e imagens do naufrágio apoiam essas alegações.

A placa de identificação do Atlanta, no entanto, permanece intacta e visível. A origem do nome do navio, que corresponde ao da capital do estado da Geórgia, a centenas de quilômetros de distância, permanece incerta.

Enquanto Adkins disse que o museu planeja fazer uma exposição sobre Atlanta, ele explicou que é ilegal salvar qualquer coisa dos destroços, a menos que você tenha uma permissão especial.

“Esse naufrágio é tão profundo em comparação com outros que encontramos, gostaríamos de deixar este intacto.”
Os mergulhadores seriam pressionados a tentar alcançar as profundezas do naufrágio, e o GLSHS não está divulgando sua localização exata no momento.

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN