Embarque em cruzeiros exige vacinação completa e 14 dias de imunização

Vai viajar de navio? Confira o que você precisa saber para não ter problemas; cerca de 25 passageiros brasileiros não embarcaram desde sexta-feira (5)

Divulgação

Da CNN Viagem & Gastronomia

Ouvir notícia

Pelo menos 25 passageiros de navios de cruzeiros não puderam embarcar desde a última sexta-feira (5), dia que marcou o fim da paralisação e o início da temporada de viagens em alto mar. O motivo foi a ausência de vacinação completa contra Covid-19 e o não cumprimento do período de 14 dias que é necessário para a vacina gerar imunização no corpo humano, após a aplicação da última dose.

O prazo de 14 dias é definido pelo PNI (Programa Nacional de Imunizações) como sendo o necessário para se atingir a melhor imunização. Este prazo está apoiado nos estudos clínicos das vacinas que utilizam esse tempo como referência para alcance da proteção com a vacina.

A temporada de cruzeiros no Brasil foi retomada após a decisão dos três ministros que assinam a portaria interministerial 658/2021. Com a decisão, coube à Anvisa a definição dos protocolos sanitários para esta atividade. O objetivo é reduzir os riscos de contaminação e disseminação do vírus da Covid-19 durante os cruzeiros.

Todos os viajantes devem observar atentamente as regras, documentos e prazos necessários para que tenham o embarque autorizado pelas empresas, que são responsáveis por garantir o cumprimento das normas.

Confira os principais requisitos para embarque e realização de cruzeiros:

1 – Ciclo de vacinação completo contra Covid-19. Isso quer dizer que a pessoa deve ter tomado a segunda dose – ou dose única, a depender do imunizante – pelo menos 14 dias antes da data do embarque. Para fins de comprovação, é indispensável a apresentação do Certificado Nacional de Vacinação contra Covid-19.

2- Obrigação de apresentação de teste do tipo RT-PCR negativo feito até 72h antes do embarque ou de teste de antígeno feito até 24 horas antes do embarque.

3 – Preenchimento de Formulário contendo informações sobre as condições de saúde do viajante. Esse formulário deve ser apresentado por todos os passageiros, inclusive menores de idade e tripulantes. O responsável pela embarcação é quem irá avaliar as informações prestadas e poderá negar o embarque.

4 – Testagem diária de 10% dos passageiros a bordo e de 10% da tripulação. Testes positivos não poderão ser descartados por segundo teste (contraprova).

5 – Lotação máxima da embarcação limitada a 75% da capacidade de passageiros.

6 – Espaçamento a bordo de 1,5 metros entre grupos de viajantes (exemplo: grupo familiar ou grupo de pessoas que viajam juntas).

7 – Testagem semanal de toda a tripulação a bordo.

8 – Separação de cabines para isolamento de casos suspeitos a bordo.

9 – Aprovação prévia dos protocolos de cada embarcação pela Anvisa.

10 – Notificação diária da situação de saúde a bordo pela embarcação.

Mais Recentes da CNN